Em jogo recheado de gols, Vasco vira nos acréscimos e vence Boavista em Cariacica
( Fotos: Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br)

Em duelo fora do Estado do Rio de Janeiro, Vasco da gama e Boavista se enfrentaram na noite deste domingo (4), em Cariacica, no Espírito Santo, no estádio Kléber Andrade pela terceira rodada da Taça Rio. Há quem diga que o jogo foi longe de casa mas para o Vasco, jogar no Espírito Santo, seria como jogar na sua segunda casa. Empolgado pela fiel torcida vascaína, o time de Zé Ricardo começou o duelo dando iniciativa das jogadas, com o comando da posse de bola que chegou aos 73% e com jogadas de velocidades pelas laterais. Ao Boavista, só restou se defender no início e esperar as saídas de contra-ataque. Porém, por conta de um descuído, o erro foi fatal.

Aos 28 minutos do primeiro tempo, Yago Pikachu iniciou a jogada, tabelou com Paulinho e aproveitou a indecisão da zaga do Boavista e marcou seu quinto gol na temporada. 1 a 0. Com a vitória, o Vasco chegaria aos sete pontos e seria líder isolado do grupo B do Campeonato Carioca. Mas o time de Saquarema não deixou por menos e foi pra cima do time cruzmaltino. E quem diria que teríamos mais uma falha e logo de um jogador que, há pouco tempo, foi tido como um salvador da pátria vascaína por conta da heróica classificação na Libertadores.

Aos 31 minutos do primeiro tempo, aconteceu a falha. Em cruzamento de bola parada do lateral-esquerdo Júlio César, a bola veio fraca, parecendo ser uma bola segura para Martín Silva. Porém o goleiro foi seguro demais no lance e falhou grosseiramente no lance, deixando a bola passar por entre as suas pernas, dando o empate para a equipe de Saquarema. 1 a 1. Mesmo com a falha, a torcida do Gigante da colina foi saudosa e gritou o nome do goleiro, e capitão, do expresso da vitória que deu jus ao seu status no clube.

Aos 38 minutos da primeira etapa, em jogada de velocidade do time alviverde, Tartá recebeu passe forte dentro da área e chutou mascado mas forte e obrigou a Martín Silva mostrar que é um goleiro seguro e que o lance do empate, foi nada mais, nada menos, do que um episódio esporádico. Já no final da primeira etapa, os times já ensaivam um jogo mais cadenciado, com toques de bola sem velocidade e com pouca agressividades. Até que, em mais um lance de bola parada, veio o que pouco se especulava na partida.

No final do primeiro tempo, aos 46 minutos, em nova cobrança de falta do lateral Júlio César, depois de uma falta "boba" no meio-campo, a zaga vascaína falha no posicionamento e Elivelton cabeceia e vira o jogo para o Boavista. 2 a 1. O técnico Zé Ricardo ficou visivelmente irritado com o gol sofrido, até porque o comandante é também conhecido por ter uma defesa sólida. No fim da partida, o treinador deu instruções no banco de reserva. O time vascaíno não subiu as longas escadas de acesso ao vestiário do estádio.

No segundo tempo, era natural uma pressão, ainda maior, do Vasco. Aos 13 minutos do segundo tempo, Zé Ricardo promoveu as entradas de Rildo e Riascos para a saída de Wellington e Paulinho. Com isso, o time ficou com poder ofensivo maior, intensificando as jogadas pelas pontas, o que já havia acontecendo no primeiro tempo. Pelo lado alviverde, o time de Eduardo Allax voltou a formação de saída de contra-ataque, planejada assim no 

Aos 30 minutos do segundo tempo, em mais uma jogada trabalhada pelo lado esquerdo vascaíno, a bola foi cruzada na área, bate na trave, engana Júlio César que passa da bola e cai nos pés do desmarcado Thiago Galhardo, que empatou a partida. 2 a 2. Depois do gol, o Gigante da colina foi mais à frente, esperando assim, virar a partida. Porém, a comemoração novamente foi contida tempos depois em mais uma falha do setor defensivo vascaíno.

Aos 33 minutos da etapa final, em contra-ataque, Lucas aproveitou o corte errado da defesa e bateu forte no canto do gol vascaíno e colocou o Boavista novamente à frente do placar. 3 a 2. Logo em seguida, o Vasco já respondeu ao gol sofrido. aos 37 minutos do segundo tempo, em cruzamento de bola parada do meio-campo, a zaga do Boavista tenta afastar mas a bola sobra para Wagner, que chuta forte e empata novamente a partida. 3 a 3. Após o gol, o jogador sentiu cãimbras e foi ajudado pelos companheiros de equipe. E como todo grande espetáculo, o melhor ficou para o final.

Aos 46 minutos do segundo tempo, em bate-rebate na área, Riascos chuta forte, a bola bate na trave, a zaga do Boavista tenta afastar mas a bola volta à área, Wagner cruza, a bola é cabeceada fraca, Gustavo "geladeira" falha e Erazo vira o jogo disputado em Cariacica, sacramentando a vitória vascaína em um jogo emocionante, onde o Vasco quase deixou os três pontos escaparem.

Com a vitória, o Vasco da gama soma sete pontos e vira líder do grupo B. Na próxima rodada, o cruzmaltino enfrenta o Fluminense, no estádio Nilton Santos, na quarta-feira (7), às 19H30, enquanto que o Boavista segue na terceira colocação do grupo C e, na próxima rodada, enfrenta o Flamengo, no estádio Raulino de Oliveira, na quarta-feira (7), às 21H45.

VAVEL Logo