Em jogo único, Cruzeiro bate Patrocinense com dois de Raniel e avança para a semifinal do Mineiro
O atacante Raniel marcou duas vezes na partida e garantiu a vitória da equipe celeste.  (Foto: Washington Alves/Light Press)

O Cruzeiro recebeu o Patrocinense no primeiro unico válido pelas quartas de final do Campeonato Mineiro nesse sábado (17) e bateu a Águia Grená por 2 a 0. Os gols celestes foram marcados pelo atacante Raniel. O jogo abriu a sequência de mata-mata do Estadual, fato inédito devido às mudanças realizadas no regulamento da competição em outubro de 2017.

A Raposa ainda não sabe quem vai enfrentar na semifinal do Campeonato Mineiro. Nessa sábado, o Tupi bateu nos pênaltis o Tombense e será o adversário celeste se o Atlético eliminar a URT neste domingo. Agora, se o Trovão Azul aprontar para cima do Galo e se classificar, é ele quem cai no caminho da Raposa - a URT foi a sexta, e o Tupi foi quarto da primeira fase, com isso, o Cruzeiro vai enfrentar a quarta pior campanha dos semifinalistas. 

Cruzeiro tem mais posse, mas primeiro tempo termina sem gols

O resultado foi um resumo justo dos 90 minutos de bola rolando em tempo normal: a equipe celeste dominou quase todo o jogo e deu poucas oportunidades para a equipe do Patrocinense. A Raposa iniciou pressionando, com linhas avançadas à frente da área intermediária.

A estratégia exigiu que o goleiro Neguete trabalhasse bastante para vetar a primeira finalização perigosa da partida, um chute de longe batido por Raniel após jogada ensaiada com Thiago Neves - numa cobrança de fata - logo aos seis minutos da etapa inicial.

A partir daí, a equipe de BH explorou os dois lados do campo, com lances construídas por Robinho e Egídio. Além disso, Thiago Neves foi fundamental: o meia teve boa movimentação e proporcionou variação de jogadas durante toda a etapa inicial. Apesar do bom poderio de criação, o grupo cruzeirense ainda não conseguia fazer jogadas agudas. Com isso, o chute de fora da área foi amplamente usado pelos jogadores celestes.

Contudo, aos 45 minutos da primeira etapa, Dedé quase atingiu a meta de Neguete e obrigou o goleiro a realizar grande defesa. Após um escanteio cobrado por Robinho, o zagueiro do Cruzeiro subiu mais do que toda a defesa da Patrocinense, e o arqueiro  da Águia Grená teve que buscar a redonda no cantinho superior direito. 

O zagueiro Dedé teve duas boas chances de finalização na partida (Foto: Washington Alves/Light Press)
O zagueiro Dedé teve duas boas chances de finalização na partida (Foto: Washington Alves/Light Press)

 

 

 

 

 

 

Raniel brilha, marca dois e garante classificação do Cruzeiro

A etapa complementar começou quente. Logo no primeiro minuto de jogo, Rafinha roubou a bola e tocou para Raniel, que finalizou, mas o lance foi novamente impedido por Neguete. O Cruzeiro seguiu pressionando. No minuto seguinte, Robinho cobrou o escanteio curto para jogada ensaiada com Egídio, que cruzou para a área.

O meia Cabral desviou de cabeça, e a bola sobrou para Dedé, que não conseguiu aproveitar a jogada. Os minutos posteriores foram de pressão do time celeste. Numa tentativa de abrir espaços no campo defendido pelos jogadores da equipe interiorana, o Cruzeiro passou a deixar as suas linhas de marcação um pouco atrás do meio campo e a estratégia surtiu efeito. 

Aos sete minutos, o zagueiro Murilo avistou Raniel na intermediária e acertou um bom passe para o atacante, que passou por dois para chegar à área e chutou forte para o fundo do gol. O goleiro da equipe de Patrocínio, que salvava a equipe até o momento, não conseguiu parar o garoto - que marcava o seu primeiro gol na partida e o segundo no campeonato.

Em busca de reação, aos 13 minutos o Patrocinense tentou sair para o jogo com Marcelo Régis, mas não teve sucesso. Aos 19 minutos, a estrela de Raniel brilhou novamente. O atacante foi acionado pelo volante Robinho, entrou na área, fez bela jogada individual e acertou uma "bomba" no gol de Neguete. Daí adiante, não houve surpresas. A Patrocinense optou pela retranca e o Cruzeiro administrou a partida.

Cruzeiro recebe muitos cartões, e Sóbis fica suspenso para ida da semi

Nesta categoria, o Cruzeiro levou a pior. Dos seis cartões amarelos aplicados na partida, quatro foram para jogadores celestes. Os cartões aplicados a Ariel Cabral e Raniel foram em decorrência de faltas perigosas cometidas pelos atletas. Já para Thiago Neves e Rafael Sóbis, os motivos foram por sentidos obtusos: para o meia, por demorar a sair do campo durante sua substituição por Arrascaeta; já para o atacante, por reclamação exacerbada. Este foi o terceiro cartão amarelo de Sóbis, que não poderá jogar a ida da semifinal.

VAVEL Logo