Recordar é viver: em 2015, Fluminense venceu Cabofriense na estreia de Ricardo Drubscky

Com destaque para as joias Kenedy e Gerson, tricolor aplicou 3 a 0 no adversário em pleno Maracanã; técnico permaneceria apenas dois meses no comando do clube

Recordar é viver: em 2015, Fluminense venceu Cabofriense na estreia de Ricardo Drubscky
Foto: Divulgação
Fluminense
3 0
Cabofriense
Fluminense: Diego Cavalieri; Wellington Silva, Gum, Marlon e Giovanni; Edson, Jean, Gerson e Wágner (Min. 20' 2ºT Vinícius); Kenedy (Min. 39' 2ºT Lucas Gomes) e Fred (Min. 35' 2ºT Walter).
Cabofriense: Rafael; Lenon, Leandro Souza, Vladimir e Leandro; Hiroshi, Everton (Min. 18' 2ºT Chiquinho), Gerson e Marcinho (Min.30' 2ºT Marco Aurélio); Gilcimar (Min. 30' 2ºT Fabrício Carvalho) e Arthur
Placar: Min. 22' 1ºT Gerson. Min. 12' 2ºT Edson. Min. 33' 2ºT Fred.
ÁRBITRO: Árbitro: Grazziani Maciel Rocha. Cartões amarelos: Leandro Souza, Gerson, Marcinho e Gilcimar (Cabofriense). Kenedy (Fluminense).
INCIDENCIAS: Partida válida pela 12º rodada da Taça Guanabara. Disputada no estádio do Maracanã.

Pela 12º rodada da Taça Guanabara, há três anos, o Fluminense vencia a Cabofriense pelo placar de 3 a 0, na estreia de Ricardo Drubscky à frente do time carioca. Apesar do começo com o "pé direito", o treinador, que chegou para substituir Cristóvão Borges, permaneceria apenas dois meses no cargo. Na partida, o tricolor contou com noite inspirada das joias Gérson e Kenedy.

Com apenas dois dias para treinar sob o comando do novo técnico, a equipe do Fluminense apresentou um futebol ainda com as características de Cristovão Borges. Necessitando da vitória para não se afastar da zona de classificação, o Flu não teve dificuldades diante de um adversário fragilizado. Propondo o jogo desde o início, o tricolor criou chances e acelerou a partida na hora necessária para construir a goleada sobre o time da Cabofriense.

Já no início de partida, mesmo com a movimentação lenta, o Fluminense criou duas chances de gol em chutes de fora da área. A primeira partiu de Wágner, o meia finalizou de longe e a bola desviou na zaga adversária. No lance seguinte, Kenedy arriscou com perigo e obrigou o goleiro Rafael a fazer grande defesa.

Aos 22 minutos, o tricolor abriu o placar. Em contra-ataque puxado pelo lateral esquerdo Giovanni, Kenedy recebeu na entrada da área e serviu Gerson, o meia tirou o adversário e finalizou sem chances para o goleiro. Após o gol, o tricolor relaxou e passou a controlar a partida, só voltando a ameaçar a meta de Rafael aos 39 minutos, em falta cobrada pelo volante Jean. 

No segundo tempo, o Flu voltou disposto a ampliar o marcador. Após três chances criadas, Wágner tabelou com Fred, que finalizou, Rafael espalmou para escanteio. Na cobrança, o zagueiro Marlon desviou e a bola sobrou para Edson mandar para o fundo da rede aos 12 minutos. E não parou nisso. Em jogada individual,  Kenedy puxou para esquerda e finalizou bonito, Rafael fez mais uma boa defesa. Com 33 minutos o Fluminense fechou o placar. Após o cruzamento do meia Vinícius, Fred subiu livre e cabeceou sem chances para o goleiro, selando a vitória contra a equipe da Região dos lagos e fazendo os 2.781 pagantes saírem satisfeitos do Maracanã.

O tricolor carioca conquistou a classificação para as semifinais, mas o técnico Ricardo Drubscky durou apenas oito jogos no cargo. A Cabofriense, por sua vez, terminou a competição na 11º colocação.