Sport é eliminado pelo Central que chega na final do Pernambucano pela primeira vez em sua história
(Foto: Divulgação/Central)

Quarta-feira. Vinte e um de março. Data que ficará marcada por muito tempo na lembrança dos torcedores que acompanharam a partida entre Central e Sport, pela semifinal do Campeonato Pernambucano. O todo poderoso Sport mostrou nesta noite o porquê do futebol ser tão apaixonante. Diferente de outras áreas da vida, é dentro de campo que há a possibilidade do Davi vencer o Golias. Hoje foi assim. O Central venceu o Sport por 1 a 0, fazendo história.

O primeiro tempo no Lacerdão começou bem movimentado com ambos os times tentando impôr suas propostas de jogo. A equipe rubro-negra tentava ditar o ritmo da partida, trocando passes, rodando a bola, enquanto a Patativa tentava sair em velocidade nos contra-ataques puxados por Leandro Costa.

Apesar do Sport estar comandando as ações, foi o Central quem chegou com perigo. Após cobrança de falta lateral de Charles,aos 13 minutos, bola passa por todo mundo e Magrão faz boa defesa. 

O Central chegou novamente ao ataque após Leandro Costa fazer boa jogada driblando dois e cruzando para Junior Lemos cabecear com perigo para fora.

A resposta Leonina veio somente aos 21, com Sander. Lateral rubro-negro fez boa tabela com Marlone e deixou Índio em excelentes condições para finalizar, mas atacante chutou rasteiro para fora.

O lado esquerdo do Sport foi por onde saíram as melhores jogadas do time comandado por Nelsinho Baptista no primeiro tempo. As triangulações entre Sander, Marlone e Gabriel quase sempre levavam perigo à defesa centralina.

Apesar do equilíbrio inicial, foi o time recifense quem quase abriu o marcador em Caruaru. Em cobrança de falta aos 23, Marlone fez levantamento na área para o cabeceio forte do zagueiro Léo Ortiz, que obrigou o goleiro França a trabalhar na meta alvinegra.

Quatro minutos após o susto lá trás, o Central quis retribuir. Depois da zaga rubro-negra afastar de cabeça, bola sobra na entrada da área para Vitão chutar forte de primeira. Magrão defendeu em dois tempos.

O primeiro tempo se caracterizou principalmente pela clareza nas propostas dos dois times, sendo bem executadas por ambas as equipes. O equilíbrio se estabeleceu por praticamente todo o tempo, seja com o Sport, em boas triangulações, seja com a Patativa, saindo em velocidade. E assim permaneceu até o árbitro Ricardo Marques Ribeiro apontar o centro de campo e finalizar a primeira etapa.

Central faz gol no início do segundo tempo, faz jogo seguro e chega à final do Pernambucano

Nelsinho Baptista já volta do intervalo com uma alteração. Saiu o jovem atacante Índio para a entrada do meia Everton Felipe, que fez sua estréia na temporada após se recuperar de lesão.

E o primeiro ataque que quase arrancou o grito de gol das arquibancadas foi do Central, que já dava uma prévia do que estava por vir. Logo aos quatro minutos Junior Lemos soltou o pé de fora da área, bola desviou na cabeça do zagueiro Ronaldo Alves e passou muito perto da meta de Magrão, já batido no lance.

O Sport respondeu. Descansado, Everton Felipe arranca em velocidade e acha Marlone em boas condições. Passe de Everton não foi bom e foi para linha lateral.

No minuto 14 aconteceu a jogada mais importante da partida e da história da equipe caruaruense. Após cruzamento na área, bola bate em Ronaldo Alves e sobra para Itacará. Magrão se jogou em cima do atacante tentando fechar o ângulo mas jogador centralino dá passe pra trás para a chegada de Leandro Costa, que só teve o trabalho de empurrar pra dentro. Lacerdão vai à loucura. Central 1 a 0.

O Sport, pressionado por ter a obrigação de buscar o resultado, parece ter ficado abalado emocionalmente. O abalo se refletiu em cartões. Logo após o gol, aos 16 minutos, zagueiro alvinegro protege bola e Thomás o empurra, sendo advertido em seguida.

Nelsinho, na tentativa de imprimir uma melhor qualidade de passe no meio campo, troca Neto Moura por Fellipe Bastos aos 18 minutos da segunda etapa. Após jogo ficar paralisado por um tempo para atendimento médico à Junior Lemos, no minuto 25, Fellipe Bastos faz falta e se envolve numa confusão com atleta adversário. O juiz não titubeou em mostrar o amarelo ao meio campista leonino.

O jogo continuava nas condições perfeitas para o Central. Apesar do Sport ter a posse da bola e comandar as ações, não conseguia ser agressivo. A cartada final de Nelsinho veio na substituição dos laterais Sander por Capa, aos 32.

O primeiro chute dos Rubro-Negros no segundo tempo só aconteceu dez minutos depois, aos 42. Ronaldo Alves chutou forte de fora da área, mas goleiro França só observou a bola indo pela linha de fundo.

O árbitro Ricardo Marques Ribeiro sinalizou seis minutos de acréscimo. Tempo suficiente apenas para Fellipe Bastos, aos 47, fazer falta de ataque, receber segundo amarelo e ser expulso.

Sem conseguir esboçar nenhum tipo de reação, e com a boa marcação da equipe caruaruense, a segunda etapa foi finalizada. A torcida centralina fez a festa e a Patativa faz história chegando à sua primeira final de Campeonato Pernambucano em quase 100 anos de existência.

O Sport agora volta suas atenções para o Campeonato Brasileiro, já que não participa nem da Copa do Nordeste (por opção) nem da Copa do Brasil (eliminado). O próximo jogo do Leão da Ilha do Retiro será no dia 14 de abril, diante do América-MG, em Belo Horizonte.

 

 

 

 

 

VAVEL Logo