Opinião: Bola para frente, São Paulo
Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

O São Paulo, mesmo derrotado, teve uma postura muito diferente da qual estava tendo até o último jogo sob o comando técnico de Dorival Júnior. De um time lento, sem muita criatividade e sem uma proposta tática clara para uma equipe mais aguerrida, com muito mais vontade de vencer e impor seu futebol, Diego Aguirre mostra que, ao menos nesses quatro jogos em que teve comandou o clube, conseguiu passar para os jogadores sua proposta de jogo.

Claro que existem muitos pontos a melhorar, como por exemplo a construção de um contra-ataque mais efetivo e inteligente. Isso, no entanto, é completamente normal em um elenco que ainda está em processo de preparação.

O que tudo isso nos mostra é que o São Paulo, nesta nova fase, tem uma expectativa muito favorável para os próximos jogos que irá disputar e, mesmo com a derrota no clássico, vem em uma crescente. Em quatro jogos no comando da equipe, Aguirre já conseguiu quebrar dois tabus de uma vez só vencendo o Corinthians no Morumbi: o time venceu seu primeiro clássico em 2018, depois de ter sido derrotado três vezes na fase de grupos e, de quebra, voltou a vencer o rival em um jogo de mata-mata pela primeira vez desde o dia 1º de maio de 2002.

Digerida a derrota no Paulista, o Tricolor tem uma semana de preparo para enfrentar o Atlético-PR no dia 4 de abril, às 21h45, na Arena da Baixada pela quarta rodada da Copa Do Brasil. Depois, enfrenta o Rosário Central da Argentina pela Copa Sul-Americana, no dia 12.


+ Frustração estadual: pela 12ª temporada consecutiva, São Paulo não chega à final do Paulista 

Decepcionado, Aguirre lamenta eliminação no Paulista: “Foi uma derrota dura”

Mesmo eliminado, Raí elogia postura do São Paulo e afirma: “Time foi guerreiro”

VAVEL Logo