Palmeiras testa força do elenco em sequência de jogos decisivos pelo Paulistão e Libertadores
Palmeiras enfrenta dura sequência de jogos nos próximos dias (Foto: Cesar Greco/ Ag Palmeiras/ Divulgação)

O Palmeiras terá pela frente uma sequência de jogos decisiva e complicada que colocará em teste o forte elenco alviverde montado para essa temporada. Já neste sábado (31) o time jogará a partida de ida da final do Campeonato Paulista contra o arquirrival Corinthians em Itaquera às 16h30.

Em seguida receberá o Alianza Lima no Allianz Parque na terça (03/04) pela Libertadores. Depois terá o jogo de volta da finalíssima do Paulistão, também sob seus domínios, no domingo (08/04) e por fim receberá o Boca Juniors em seu estádio na quarta-feira (11/04), também pela Libertadores.

Com quatro jogos importantes em 12 dias, o time de Roger Machado terá que provar porque é tido como um dos melhores elencos do Brasil, visto que o investimento foi grande em contratar jogadores de alto nível e em manter peças fundamentais de temporadas passadas.

Dos cinco reforços que desembarcaram este ano na Academia de Futebol, apenas o lateral esquerdo Diogo Barbosa, que sofreu uma lesão grave no tornozelo logo que chegou, e o zagueiro Emerson Santos (inscrito apenas na Libertadores) não estrearam.

Retorno de peças importantes

Marcos Rocha deve reforçar o Palmeiras no primeiro jogo da final do Paulistão (Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)
Marcos Rocha deve reforçar o Palmeiras no primeiro jogo da final do Paulistão (Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)

Se formos olhar a última escalação do Palmeiras o time atuou com: Jailson, Tchê Tchê, Antônio Carlos, Thiago Martins, Victor Luis, Felipe Melo, Bruno Henrique, Lucas Lima, Dudu, Willian e Keno. Para essa sequência de jogos importantes é aguardado o retorno de peças consideradas titulares do time.

Para a final de sábado é esperado o retorno do lateral direito Marcos Rocha (maior desarmador do time no Paulistão) que foi substituído por Tchê Tchê, o qual jogou improvisado na posição. Miguel Borja, artilheiro do Campeonato Paulista com seis gols e que vive seu auge no Palmeiras (com sete gols em 11 jogos), estava servindo à seleção colombiana, e agora volta a estar à disposição de Roger Machado para a maratona decisiva do Palmeiras.

Outro aguardado retorno é o do lateral esquerdo Diogo Barbosa que vem sendo relacionado e já pode fazer sua estreia na temporada depois de se recuperar de lesão. Porém, este vem sendo muito bem substituído por Victor Luis, que tem feito boas apresentações como titular do Palmeiras. Esse retorno pode render uma disputa muito boa para o time, tendo em vista a difícil sequência de jogos e o provável desgaste físico. Por isso, é importante ter jogadores de bom nível da mesma posição.

Palmeiras mantém o nível de atuação mesmo sem os "titulares"

Willian vem sendo o titular na ausência de Borja (Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)
Willian vem sendo o titular na ausência de Borja (Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)

Mesmo quando jogadores importantes como Marcos Rocha, Borja e Diogo Barbosa (esse nem chegou e estrear) não puderam atuar, o time do Palmeiras mostrou que possuía um elenco cheio de opções que fez com que o time não caísse de nível sem essas peças.

Quando Borja teve que desfalcar o Palmeiras para servir sua seleção, o técnico Roger Machado não possuía um centroavante com as mesmas características do colombiano, visto que Deyverson – com uma fratura no pé – vinha em fase de recuperação. O técnico então escalou Willian como titular.

O time mudou seu esquema para atuar sem um centroavante, e deu certo. Com Keno, Willian e Dudu o time ganhou movimentação e intensidade na pressão à saída de bola adversária, e não deixou de marcar gols. Desde a saída de Borja para a Colômbia foram cinco jogos e 13 gols marcados. Willian e Keno dividem a vice-artilharia do time com 4 gols.

Porém, um centroavante de ofício ainda dá opções que atacantes mais leves não dão. Se com um falso 9 o time ganha com movimentação e velocidade, com um centroavante o time ganha opção para bolas mais longas e cruzamentos. Como foi o que aconteceu no último jogo, quando Deyverson (recuperado de lesão) entrou na vaga de Willian e em 28 minutos em campo recebeu duas bolas longas, mais do que Willian tinha recebido no jogo todo.

O Palmeiras tem à disposição duas formações com jogadores de características diferentes e que certamente serão utilizadas quando Roger Machado julgar ser necessário, tanto nesses quatro jogos decisivos, quanto no restante da temporada.

Outros jogadores que ganharam oportunidade para atuar foram Rafael Papagaio, Fernando, Weverton e Fernando Prass.

Papagaio, atacante de 18 anos da base, tinha sido titular na vitória por 3 a 0 contra o Ituano, entrou no segundo jogo das quartas de final contra o Novorizontino e marcou o último gol da goleada por 5 a 0. Também da base, Fernando entrou na vaga de Papagaio no jogo contra o Ituano e marcou seu primeiro gol no time profissional. Ambos são opções para os dois clássicos da final do Paulistão.

Quando esteve ausente para cumprir suspensão, Jailson foi substituído por Prass e por Weverton. O goleiro não corre risco de ficar de fora da primeira decisão do Paulistão, porém se a pena não for diminuída no julgamento do recurso de sua punição, que ocorrerá na terça-feira (03/04), ele terá de cumprir suspensão no jogo de volta da final. Caso isso ocorra, Roger Machado terá à disposição Fernando Prass e Weverton. Os dois goleiros possuem três jogos somados ( dois de Fernando Prass e um de Weverton)  na temporada com 2 gols tomados e fazem sombra ao irretocável titular Jailson.

Desafio do desgaste físico: a importância do banco de reservas

Guerra é um dos reservas de luxo do Palmeira (Foto: Alexandre Schneider / Getty Images Sport)
Guerra é um dos reservas de luxo do Palmeira (Foto: Alexandre Schneider / Getty Images Sport)

Como afirmou na entrevista coletiva após a classificação, Roger prevê que com um dia a mais de descanso os jogadores que atuaram contra o Santos estarão “zerados” para a primeira partida da decisão. O técnico não respondeu se pretende fazer mudanças na equipe para o jogo de terça.

A tendência é que o time seja o mesmo que enfrentou o Santos, porém fica a dúvida se Roger começará com Borja entre os 11 titulares.Dessa forma, ele terá que sacar alguém do trio de ataque  que hoje é formado por Keno, Willian e Dudu. O treinador ainda não divulgou se Marcos Rocha possui condicionamento físico para atuar os 90 minutos da partida decisiva.

Para a sequência de jogos decisivos, um dos grandes desafios que o Palmeiras terá que enfrentar será o desgaste físico. E para isso, possuir opções que sejam do mesmo nível dos titulares no banco de reservas para rodar o time (se for do interesse do técnico) é essencial.

É evidente que o Palmeiras possui muitas opções dentro do elenco que podem ganhar oportunidade de serem titulares a qualquer momento. Com um banco de reservas, com nomes como os de Moisés, Diogo Barbosa, Edu Dracena, Tchê Tchê e Guerra, o Palmeiras pode rodar o elenco e mudar seu esquema tático mantendo o nível de atuação, como já tem acontecido. 

VAVEL Logo