Em momentos distintos na temporada, Coritiba e Atlético-PR começam a decidir Paranaense
Foto: Comunicação / Coritiba Foot Ball Club

Atlético-PR e Coritiba disputam neste domingo (1°), a partida de ida da final do Campeonato Paranaense. A partida será realizada no Couto Pereira às 16h. A partida é o início da definição do estadual que foi dividido em duas taças, com o Coxa sendo campeão da Taça Dionísio Filho, ao vencer o Rio Branco e o Furacão conquistando a Taça Caio Júnior, depois de vencer o Londrina na final.

Furacão sem surpresas

A equipe atleticana, que conquistou o titulo do segundo turno de forma invicta, mostrou evolução durante a competição. segundo o treinador Tiago Nunes, que assumiu a equipe apenas para a disputa do estadual e consegue um início de temporada positivo.

“É um grupo jovem, mas maduro e muito confiante pelo o que tem construído. Estamos achando o entrosamento ideal e isso faz com que o time jogue cada vez melhor. Esperamos ter a naturalidade e a paciência necessárias para fazer mais um jogo de muita qualidade”, comentou o treinador. 

O primeiro Atletiba do ano foi vencido pela equipe rubro-negra; Éderson, autor do gol daquela partida, falou sobre a expectativa para a grande final e ainda comentou sobre a diferença de disputar a final em dois jogos; tanto a Taça Dionísio Filho como a Taça Caio Júnior, foram disputadas em jogo único.

O clássico é definido em detalhes. Precisamos estar bem preparados para não errar. Fizemos um bom jogo aquela vez. Esperamos repetir para conquistar um bom resultado”, ressaltou o atacante. 

“Nosso estilo não vai mudar. Estamos trabalhando jogo a jogo e vamos buscar o resultado positivo neste domingo (1º), que é importante, já que são dois jogos”, concluiu.

Sem muitos desfalques, o Furacão deve ir a campo com uma equipe similar a que jogou a final da Taça Caio Júnior contra o Londrina. Apenas o volante Deivid, suspenso, ficará de fora. Pierre irá ocupar a vaga. O Atlético-PR vai jogar com: Caio; Diego Ferreira, Zé Ivaldo, Léo Pereira e Renan Lodi; Pierre, Bruno Guimarães e Matheus Anjos; João Pedro, Marcinho e Ederson.

Coxa comemora tempo de trabalho

Em compensação por ter sido eliminado da Taça Caio Júnior, o Coritiba teve um tempo de preparação para o jogo maior do que o seu adversário (cerca de dez dias a mais). A eliminação acabou sendo de certa forma positiva, já que a sequência de jogos, impedia um período de treino maior. A possibilidade de treinar dias seguidos e acertar detalhes para o jogo pode ser definitiva para o resultado da partida.

“É claro que o tempo é importante. Ainda não é o ideal tendo em vista só tivemos uma semana desde o começo do ano, mas já nos dá uma condição melhor”, comentou Sandro Forner, comandante da equipe.

Forner também ressaltou que isso deve aumentar a confiança da equipe que vive uma fase ruim na temporada. A equipe se despediu da Taça Caio Júnior com derrota para o Cascavel.

“Fizemos muitos testes até aqui, algumas coisas não aconteceram conforme nós gostaríamos. Tivemos algumas derrotas, algumas lesões. Mas, foi um período de muita experiência para todos. Lógico que as vitórias trazem muito mais confiança, mas estamos nos preparando para fazer jogos bem competitivos, com uma equipe que realmente tenha ambição de ganhar os jogos. Acredito que entraremos em um nível bem melhor do que estávamos”, completou o treinador.

O Coritiba deverá ter o retorno do seu volante, Vitor Carvalho que se recuperou de lesão na coxa e tem chances de entrar na vaga de João Paulo. O zagueiro Thalisson Kelven, que ficou de fora das ultimas duas partidas, também deve retornar ao time titular. Sendo assim, o Coxa deve ir da seguinte forma para o clássico: Wilson; Marcos Moser, Thalisson Kelven, Romércio e Léo Andrade; João Paulo (Vitor Carvalho), Matheus Galdezani e Júlio Rusch; Kady (Thiago Lopes); Pablo e Alecsandro.

VAVEL Logo