Análise: Corinthians iguala Derby no início e assume postura defensiva em título paulista

Com o gol, que fora marcado logo no primeiro minuto, a equipe de Fábio Carille se recuou em seu campo de defesa à espera de um contragolpe, que não aconteceu, muito pela falta de um homem de frente no ataque

Análise: Corinthians iguala Derby no início e assume postura defensiva em título paulista
Equipe alvinegra se mostrou bem postada em seu campo defensivo e evitou o gol de empate (Foto: Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians)

Em confronto válido pela final do Campeonato Paulista 2018, o Corinthians venceu o Palmeiras no pênaltis, no Allianz Parque, após superar a equipe alviverde no tempo normal, por 1 a 0.

A equipe de Fábio Carille foi efetiva no primeiro minuto de jogo, abrindo o placar com Rodriguinho, na primeira subida ao ataque do Timão durante os primeiros 45 minutos.

Sem um centroavante de origem, no esquema 4-2-4, o Corinthians tinha Rodriguinho, e Jadson mais adiantados, para encarar a linha de defesa do Palmeiras. Contudo, o jogo passou a ser mais vertical, com Mateus Vital sendo acionado pela ponta esquerda constantemente, enquanto Romero, puxava a marcação pela parte direita do campo, abrindo espaços para a infiltração dos meio-campistas centralizados.

Com o gol sendo marcado no primeiro instante de partida, o Corinthians assumiu uma postura que lhe é característica. A defesa. Os 11 jogadores ocupavam a primeira metade do gramado, e durante escanteios e bolas paradas, toda a equipe se retraía para dentro da área, congestionando e inibindo qualquer jogada ofensiva do Palmeiras.

Sidcley, que ocupava a lateral esquerda, foi o mais exigido em campo, visto que Dudu era constantemente acionado no ataque palmeirense, e o defensor tinha a missão de impedir os seus cruzamentos nas subidas à linha de fundo.

O Corinthians ainda tentava sair jogando para contra-atacar, mas como todos os jogadores estavam recuados, a jogada não se desenvolvia sentido ao gol do Palmeiras, porque o jogador que tinha a bola, não tinha com quem trocar passes do meio de campo para o ataque.

Abdicando de atacar no segundo tempo

O que pouco aconteceu na primeira etapa, nos 45 minutos finais ficou evidente. A equipe alvinegra jogaria no erro do Palmeiras, que ocupou o campo de ataque na partida inteira, só se defendendo, ora com 'chutões', ora com trocas de passes que não se desenvolviam devido aos erros individuais e a marcação.

A única chance criada na segunda etapa, aconteceu nos minutos finais, quando o contra-ataque funcionou e Sidcley saiu em arrancada pela lateral esquerda, invadindo a área e chutando pra fora.

Ademais, a partida não fora de encher os olhos no quesito com bola rolando, entretanto, a postura defensiva do Corinthians, postada taticamente em campo, foi um ponto crucial para a vitória nos 90 minutos.