Guia VAVEL do Brasileirão Série B 2018: Avaí
Arte: Rodrigo Rodrigues/VAVEL Brasil

Guia VAVEL do Brasileirão Série B 2018: Avaí

Contratações, expectativas, destaques e muito mais: o que esperar do Leão na Segunda Divisão

bruno-da-silva
Bruno da Silva

Nos últimos cinco anos, o Avaí vem caindo e subindo no Campeonato Brasileiro. Quarto colocado na Série B em 2014, 17º na Série A em 2015, vice-campeão na Segundona em 2016 e 18º na elite em 2017, o Leão quer novamente uma grande campanha na Série B, para enfim se consolidar na Primeira Divisão. 

Um incentivo a mais para o Avaí, é que a temporada 2018 deve ser a última do ídolo Marquinhos, 36 anos. O meia e capitão é o maior artilheiro da história da Ressacada e espera encerrar sua carreira com mais uma grande campanha com o seu clube. Além disso, o time tem no seu comando o técnico Claudinei Oliveira, a frente desde agosto de 2016.

O Avaí estreia na Série B no sábado (14), às 16h30, contra o Vila Nova, no Serra Dourada.

O ano até aqui

O início do Campeonato Catarinense para o Avaí foi de disputa na disputa pelas primeiras posições. O time se manteve em terceiro lugar grande parte da competição, com grandes resultados fora de casa - quatro vitórias, dois empates e três derrotas -, mas a campanha em casa acabou comprometendo a luta pelo título - foram apenas duas em nove partidas. O Leão não vence o Estadual desde 2013.

Dividindo atenções com a Copa do Brasil, o Leão perdeu fôlego no segundo turno, e, após a derrota por 1 a 0 para o Hercílio Luz, em casa, na 12ª rodada, acabou ficando longe dos dois primeiros colocados. Assim, no restante da competição, o técnico Claudinei Oliveira acabou fazendo testes, e o time não conseguiu vencer nenhuma das sete últimas rodadas do Catarinense, despencando para a sexta colocação. No total, foram seis vitórias, seis empates e seis derrotas da equipe no âmbito estadual.

Derrota para Hercílio Luz, em casa, praticamente tirou o Leão da briga pelo título estadual (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)
Derrota para Hercílio Luz, em casa, deixou o Leão longe da briga pelo título estadual (Foto:Jamira Furlani/Avaí FC)

Já pela Copa do Brasil, o Avaí faz uma grande campanha, mantendo o 100% de aproveitamento. Derrotou o Ceilândia-DF, fora de casa, por 3 a 2 na primeira fase, e depois bateu o Juventude, em Caxias do Sul, por 2 a 0. Na terceira fase, enfrentou o Fluminense, e venceu as duas partidas: 2 a 1 no Engenhão e 1 a 0 na Ressacada. O adversário da quarta fase é o Goiás.

Avaí venceu duas vezes o Fluminense na Copa do Brasil: na Ressacada, 1 a 0 (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)
Avaí venceu duas vezes o Fluminense na Copa do Brasil: na Ressacada, 1 a 0 (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)

Contratações

O Avaí fez cinco contratações para a sequência da temporada: três velhos conhecidos e duas novidades. A primeira foi do volante Matheus Barbosa, 23, destaque do Tubarão no Campeonato Catarinense.

Às vésperas da estreia na Série B, o Avaí anunciou o retorno de três jogadores. O lateral-direito Renato, 28, estava no Ceará e atuou no Leão em 2016, e foi importante na conquista do acesso naquele ano. Além dele, o lateral-esquerdo Capa, 25, que atuou no time entre 2016 e 17, e o meio-campista Pedro Castro, 25, que saiu no fim do ano passado, voltaram ao time de Florianópolis após serem pouco utilizados no Sport.

O outro contratado foi o atacante Rodrigão, 24, que jogou o último Brasileirão pelo Bahia e estava no Santos. Pelo Paulista, fez um gol em cinco jogos em 2018, e, em 2017, fez cinco gols em 14 partidas na Série A.

Rodrigão chegou como esperança de gols para o Avaí (Foto: Divulgação/Avaí FC)
Rodrigão chegou como esperança de gols para o Avaí (Foto: Divulgação/Avaí FC)

Campanha em 2017

No Campeonato Catarinense, o Avaí conquistou o primeiro turno invicto e garantiu vaga para a final contra a Chapecoense. Na primeira partida, em casa, perdeu por 1 a 0 e devolveu o resultado em Chapecó, mas acabou ficando com o vice-campeonato, porque a Chape tinha a vantagem dos resultado iguais por ter a melhor campanha.

Na Copa do Brasil, o Avaí eliminou a Desportiva Ferroviária-ES, com uma vitória por 2 a 0, fora de casa. Na segunda fase, enfrentou o Luverdense, em casa, mas acabou sendo eliminado na disputa de pênaltis.

Na Série A, o Avaí teve um começo muito ruim: conquistou apenas uma vitória nas primeiras nove vitórias. Na metade final do primeiro turno, porém, conseguiu grandes resultados - venceu Grêmio e Botafogo, fora de casa, bateu o Cruzeiro e empatou com o campeão Corinthians, em casa -, mas fechou o primeiro turno na 19ª colocação, com 18 pontos e apenas 10 gols marcados.

Goleiro Douglas foi um dos destaques do Leão no Brasileiro 2017 (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)
Goleiro Douglas foi um dos destaques do Leão no Brasileiro 2017 (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)

No início do returno, o Avaí engatou sua melhor sequência invicta: não perdeu entre a 19ª e a 25ª rodada, com três vitórias e quatro empates na sequência, sendo o líder do momento no segundo turno e subindo para o 12º lugar. Porém, quando teve a chance de embalar, perdeu dois jogos seguidos em casa, para Atlético-GO e Vasco, e voltou para a luta contra o rebaixamento.

Nos 10 jogos seguintes a essa boa sequência, o Avaí só venceu um (2 a 1 contra a Ponte Preta, fora de casa), e chegou para as últimas quatro rodadas em situação complicada e com uma tabela difícil. Empatou com o Cruzeiro no Mineirão, venceu Atlético-PR e Palmeiras em casa, e foi para a última rodada precisando de uma vitória para se salvar. Porém, diante do Santos, na Vila Belmiro, empatou por 1 a 1 e acabou sendo rebaixado em 18º, um ponto atrás do Vitória, 16º. No returno, foram 25 pontos conquistados, a 13ª melhor campanha nas 19 rodadas finais.

No total, o time de Claudinei Oliveira somou 10 vitórias, 13 empates e 15 derrotas. O Avaí foi muito bem diante dos seis primeiros - três vitórias, sete empates e apenas duas derrotas em 12 jogos -, mas acabou pecando principalmente na sua campanha em casa - foram apenas cinco vitórias em 19 jogos na Ressacada -, além de ter tido o pior ataque da competição, com somente 29 gols marcados nas 38 rodadas. O artilheiro do time no ano foi o atacante Júnior Dutra, que atualmente está no Corinthians, com 15 gols. Outro destaque foi o goleiro Douglas, que hoje está no Bahia.

Júnior Dutra foi o artilheiro do Avaí em 2017, com 15 gol (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)
Júnior Dutra foi o artilheiro do Avaí em 2017, com 15 gol (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)

O que esperar?

Com boa parte do elenco mantido de 2017, a revelação de jovens da base, a contratação de atacantes e de um goleiro experientes e a manutenção do técnico desde 2016, o Avaí se candidata ao acesso para a Série A. O time tem problemas de defender bolas paradas e de propor jogo neste começo de ano, mas a expectativa é de briga pelo retorno à Série A.

Destaque

Jogando junto desde 2016, o Avaí tem na sua dupla de defesa uma segurança. Apesar dos problemas nas bolas aéreas no início deste ano, Alemão Betão são dois pilares da equipe de Claudinei Oliveira. O artilheiro do time no ano é o contestado atacante Rômulo, com seis gols.

Rômulo tem seis gols no ano (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)
Rômulo tem seis gols no ano (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)

Ponto forte/ponto fraco

Os pontos fortes e fracos do Avaí relacionam-se com a proposta de jogo da equipe. O ponto positivo, desde o Brasileiro do ano passado, é a campanha fora de casa. Foram sete vitórias, três empates e três derrotas longe da Ressacada, sendo quatro delas na Copa do Brasil. Com uma proposta mais reativa, o time se comporta bem jogando como visitante e conquista grandes resultados.

Já dentro de casa, o Avaí vem tendo problemas. Foram apenas três vitórias em 10 jogos no ano na Ressacada, muito por conta da postura dos visitantes, que, na maioria das vezes, passam a se defender e expõem os problemas de criação do time. Claudinei espera retomar a campanha como mandante da Série B 2016, quando comando o time em nove jogos em casa, com oito triunfos e apenas um empate.

Fique de olho: Guga, lateral-direito 

Guga é titular absoluto na lateral-direita do Avaí (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)
Guga é titular absoluto na lateral-direita do Avaí (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)

O lateral-direito Guga, 19, foi eleito a revelação do Campeonato Catarinense. Com mais foco no jogo ofensivo, o jogador, que ganhou a titularidade absoluta no Avaí, atuou em 13 partidas como profissional, todas este ano, e marcou um gol.

Técnico: Claudinei Oliveira

Claudinei tenta mais um acesso com o Leão (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)
Claudinei tenta mais um acesso com o Leão (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)

O técnico Claudinei Oliveira, 48, assumiu o Avaí em agosto de 2016, com o time lutando contra o rebaixamento, e encaixou uma grande campanha para conquistar o acesso e o vice-campeonato na Série B. Em 2017, conduziu o time à final do Catarinense, perdida para a Chapecoense. No Brasileirão da Série A, apesar do rebaixamento e da pressão da torcida em certos momentos, manteve o crédito com a diretoria e tenta levar o Leão outra vez à elite do futebol brasileiro.

Estádio: Ressacada

Foto: Divulgação/Avaí FC
Foto: Divulgação/Avaí FC

Estádio da Ressacada, casa do Avaí, tem capacidade para 17.800 torcedores. A média de público do Leão no ano é de 4.173 torcedores, e o maior público em 2018 foi no empate em 3 a 3 no clássico contra o Figueirense, no dia 28 de janeiro: 10.271.

VAVEL Logo

Avaí Futebol Clube Notícias

há 2 dias
há 3 dias
há 7 dias
há 8 dias
há 12 dias
há 20 dias
há 21 dias
há 21 dias
há 24 dias
há 24 dias
há 25 dias