Guia VAVEL do Brasileirão Série B: Figueirense

Guia VAVEL do Brasileirão Série B: Figueirense
Arte: Rodrigo Rodrigues/VAVEL Brasil

A estreia do Figueirense Futebol Clube na Série B do Campeonato Brasileiro 2018 será em casa, no dia 13 de abril. O Figueira recebe o Juventude pela primeira rodada da competição nacional às 21h30. A equipe de Milton Cruz espera esquecer 2017 e confirmar seu retorno à elite do futebol brasileiro. O começo foi promissor, após a conquista do Campeonato Catarinense contra a Chapecoense.

Início de temporada

O Figueirense acumulou 11 vitórias, seis empates e duas derrotas na primeira fase do Campeonato Catarinense de 2018. Os números garantiram o clube na segunda colocação da fase de classificação, chegando na final da competição.Na final, disputada na Arena Condá, o Figueirense venceu a Chapecoense e ficou com o título estadual

Figueira venceu na Arena Condá e conquistou seu 19º título catarinense (Foto: Luiz Henrique/Figueirense FC)
Figueira venceu na Arena Condá e conquistou seu 19º título catarinense (Foto: Luiz Henrique/Figueirense FC)

Além do Campeonato Catarinense, o Figueirense também disputou a Copa do Brasil. A equipe comandada por Milton Cruz chegou atá a quarta fase da competição nacional. O Figueira passou pelo Treze-PB e pelo Oeste-SP. O Alvinegro foi eliminado fora de casa, nos pênaltis, para o Atlético-MG. Foram quatro jogos pela Copa do Brasil: três vitórias e apenas uma derrota.

Contratações

Diego Renan, Denis e Romarinho foram apresentados em janeiro (Foto: Luiz Henrique / Figueirense FC)
Diego Renan, Denis e Romarinho foram apresentados em janeiro (Foto: Luiz Henrique / Figueirense FC)

Entre chegadas por empréstimos, contratações e jovens vindos da base, o Figueirense apresentou 18 atletas para a temporada 2018. Os destaques são: Denis (goleiro ex-São Paulo), Diego Renan (lateral-esquerdo ex-Chapecoense), Gustavo Ferrareis (meia-atacante ex-Internacional), Maikon Leite (ex-Ceará) e Víctor Cedrón (meia ex-Melgar). Entre rescisões, términos de contratos e negociações com outras equipes, o Figueirense já rescindiu o contrato de 32 atletas para essa temporada.

Campanha em 2017

(Foto: Luiz Henrique / Figueirense FC)
(Foto: Luiz Henrique / Figueirense FC)

Rebaixado para a Série B em 2016, o Figueirense esperava fazer o bate volta à elite do Brasileirão em 2017, mas isso não aconteceu. Pelo contrário, o Figueira fez uma campanha decepcionante na segunda divisão nacional na última temporada e passou a maior parte da competição brigando para permanecer. O time de Florianópolis venceu 12 partidas, empatou 12 e saiu derrotado outras 14 vezes. A campanha de 42% de aproveitamento preocupou os torcedores do alvinegro.

O que esperar?

(Foto: Luiz Henrique / Figueirense FC)
(Foto: Luiz Henrique / Figueirense FC)

O time do Figueirense não vai querer viver outro drama em 2018. A equipe de Milton Cruz deve entrar na Série B desta temporada visando apenas sua volta à elite do futebol nacional. O Figueira é apontado como um dos favoritos a confirmar o acesso no final do ano. O espelho do clube será a própria temporada passada, analisando o que aconteceu de errado para corrigir. O Figueirense tem apenas três derrotas na temporada, apenas uma em casa.

Destaque: André Luis

André Luís é o artilheiro alvinegro na temporada (Foto: Luiz Henrique / Figueirense FC)
André Luís é o artilheiro alvinegro na temporada (Foto: Luiz Henrique / Figueirense FC)

Com oito gols na temporada, André Luís vem sendo o destaque do Figueirense nesse inicio de ano. O atacante de 23 anos participou de 21 jogos do Figueira em 2018. Seis gols foram pelo estadual. O camisa 9 ainda balançou as redes duas vezes pela Copa do Brasil. André Luís estava no Figueirense por empréstimo em 2017 e acabou não tendo seu contrato com o Botafogo, clube que possuía o passe do atleta, renovado. Assim acabou sendo contratado em definitivo pelo time catarinense.

Ponto forte x ponto fraco

Figueirense demora para reagir quando sofre gols (Foto: Luiz Henrique / Figueirense FC)
Figueirense demora para reagir quando sofre gols (Foto: Luiz Henrique / Figueirense FC)

O ponto forte do Figueirense em 2018 vem sendo o ataque. A do técnico Milton Cruz balançou as redes 30 vezes em 22 jogos. O Figueira não marcou gols em apenas quatro jogos na temporada: três pelo Campeonato Catarinense e um pela Copa do Brasil. A equipe Alvinegra marcou gols em 82% das partidas disputadas em 2018.  O ponto fraco fica na defesa e poder de reação. O Figueirense acaba se perdendo em campo quando sofre gol. A equipe de Milton Cruz demora um pouco para voltar ao jogo e as vezes falta tempo para correr atrás do resultado.

Fique de olho: Victor Cedrón

Cedrón vem conquistando seu espaço no Figueirense (Foto: Luiz Henrique / Figueirense FC)
Cedrón vem conquistando seu espaço no Figueirense (Foto: Luiz Henrique / Figueirense FC)

O Figueirense acertou com o meia peruano Víctor Cedrón, de 24 anos, ainda em janeiro. O jogador foi fazer sua estreia pela equipe alvinegra apenas na nona rodada do Campeonato Catarinense, pois teve que aguardar a documentação para entrar em campo. Cedrón tem características de criação de jogadas. O meia  está conseguindo encontrar seu espaço no time e pode ser peça fundamental do Figueira na disputa da Série B.

Treinador: Milton Cruz

Milton Cruz assumiu o Figueirense em agosto de 2017 (Foto: Luiz Henrique / Figueirense FFC)
Milton Cruz assumiu o Figueirense em agosto de 2017 (Foto: Luiz Henrique / Figueirense FC)

Milton Cruz assumiu o Figueirense em agosto de 2017, após a demissão de Marcelo Cabo. O treinador conseguiu livrar o Figueira da Série C do Campeonato Brasileiro. Em 2018 vem fazendo uma boa campanha com a equipe de Santa Catarina, garantindo o título do Campeonato Catarinense contra a Chapecoense, fora de casa. O Figueirense é o terceiro clube na carreira de treinador de Milton Cruz, que iniciou no São Paulo e passou pelo Náutico.

Estádio: Orlando Scarpelli

(Foto: reprodução / site Figueirense FC)
(Foto: reprodução / site Figueirense FC)

Inaugurado em junho de 1960, o Orlando Scarpelli é o maior estádio de Florianópolis e o quarto maior do estado de Santa Catarina. Hoje, o Scarpelli pode comportar até 19.584 torcedores por jogo, mas em 1975 chegou a receber 32.800 torcedores em uma partida entre Figueirense e Vasco, que terminou com vitória da equipe carioca. O Figueirense mandou 11 jogos em casa nesta temporada. Foram sete vitórias, três empates e apenas uma derrota. Foram dez gols marcados diante de seu torcedor e apenas quatro sofridos.