Guia VAVEL do Brasileirão Série B 2018: Ponte Preta

Após rebaixamento, Macaca tenta se recuperar para retornar a elite do futebol brasileiro; Ponte jogará os seis primeiros jogos com portões fechados por conta de confusões em 2017

Guia VAVEL do Brasileirão Série B 2018: Ponte Preta
Arte: Rodrigo Rodrigues/VAVEL.com

Em 2018, após três temporadas disputando a elite do futebol nacional, a Ponte Preta está de volta para a Série B do Campeonato Brasileiro. Está será a décima sétima participação do time no torneio. Na última aparição, em 2014, a equipe realizou uma grande campanha e, um ano após ser rebaixada, conseguiu o acesso para a Série A, feito que está nas pretensões da Macaca.

Nesta edição do torneio, um confronto é muito aguardado pela torcida pontepretana: O dérbi campineiro, diante do Guarani, um dos maiores clássicos interioranos do Brasil e que voltará a ser disputado após cinco anos, período no qual as equipes se desencontraram entre divisões estaduais e nacionais.

Em dezembro, após o Brasileirão, a Ponte Preta elegeu seu novo presidente. Até 2021, José Armando de Abdalla Júnior comandará o clube, ele substitui Vanderlei Pereira, que pertencia a mesma chapa, mas se afastou por problemas pessoais e deu lugar ao novo mandatário, que é conselheiro da Macaca desde 1974.

Campanha 2018

Depois de ir mal no Paulistão, Ponte conquistou o Torneio do Interior  Foto: Israel Oliveira | PontePress
Depois de ir mal no Paulistão, Ponte conquistou o Torneio do Interior Foto: Israel Oliveira | PontePress

Após a confirmação do rebaixamento no Brasileirão, a Ponte Preta passou por uma grande reformulação, muitos pilares deixaram o clube, buscando rejuvenescer o elenco, apostando em garotos promovidos das categorias de base e novos reforços, com perfis distintos do grupo antigo, que contava com muitos medalhões, como Rodrigo e Emerson Sheik.

Diferente de 2017, quando foi vice-campeã estadual, neste ano a Ponte Preta decepcionou sua torcida, ecaiu ainda na primeira fase, com uma campanha tão fraca que credenciou o clube a brigar contra o rebaixamento até a última rodada da competição. Sem participar do mata-mata, a Macaca foi direcionada para o Torneio do Interior e se sagrou campeã, superando o Mirassol na decisão.

Na Copa do Brasil, a Nega Veia segue viva na disputa, no entanto, não conseguiu ter atuações convincentes até aqui. Na primeira fase empatou com o Nacional-AM, por 0 a 0, e se classificou graças ao regulamento. No confronto seguinte, contra a Inter de Limeira, venceu por 1 a 0. Diante do Sampaio Correa, a Macaca teve sua maior dificuldade, mas conseguiu garantir a vaga nos pênaltis. Para a quarta fase, o sorteio definiu que os campineiros irão enfrentar o Náutico.

Contratações

Tony (esq.) e Paulinho (dir.) estão entre os reforços da Ponte Foto: PontePress
Tony (esq.) e Paulinho (

Nas últimas semanas, desde que encerrou sua participação no estadual, a diretoria pontepretana tem trabalhado para reforçar o elenco. Assim como em anos anteriores, a Macaca está priorizando sua busca em jogadores que disputaram o Campeonato Paulista por clubes menores e chamaram atenção durante o certame.

Seguindo esta estratégia, a Ponte Preta acertou a contratação de sete jogadores, por enquanto. Além dos atletas, outra novidade na Macaca é Doriva, que estava comandando o Novorizontino, o treinador deve assumir no primeiro confronto com o Náutico, pela Copa do Brasil, na próxima quarta-feira (11).

Os reforços da Ponte Preta:

Léo (zagueiro) – Ituano
Igor Vinícius (lateral-direito) – Ituano
Tony (lateral-direito) – Novorizontino
Paulinho (volante) – Mirassol
Lucas Mineiro (volante) – Chapecoense
Murilo (meia-atacante) – Linense
Júnior Santos (atacante) – Ituano

Campanha em 2017

Apesar do rebaixamento, Lucca se destacou no Brasileirão Foto: Raul Sauan | PontePress
Apesar do rebaixamento, Lucca se destacou no Brasileirão Foto: Raul Sauan | PontePress

A Ponte Preta teve um bom início em 2017, foi vice-campeã paulista, porém, isso gerou um problema para o restante da temporada, visto que muitos jogadores se valorizaram e deixaram a equipe. Pilares da campanha no estadual, Willian Pottker e Clayson foram negociados com Internacional e Corinthians, respectivamente. Matheus Jesus, que também se destacou, foi vendido para o Estoril, de Portugal e depois seria cedido ao Santos.

Reformulada, a Macaca não conseguiu repetir a boa campanha de anos anteriores no Brasileirão, até teve um bom início de campeonato, mas logo deixou claro que sua briga seria diretamente contra o rebaixamento. No começo do segundo turno, Gilson Kleina foi demitido, após uma sequência de resultados ruins. Como substituto, a diretoria apostou em Eduardo Baptista, que não conseguiu evitar a queda.

Nas últimas rodadas, a Ponte ainda almejou uma reação, que não veio a acontecer. Diante do Vitória, na penúltima rodada, a Macaca abriu 2 a 0, no Moisés Lucarelli, mas a expulsão do zagueiro Rodrigo, ainda no início, destruiu a equipe, que sofreu a virada e teve seu rebaixamento decreto, naquela ocasião, a torcida invadiu o gramado e protagonizou cenas lamentáveis, com agressões aos atletas.

O que esperar?

Ponte é incógnita para a Série B, mas pode surpreender Foto: Fábio Leoni | PontePress
Ponte é incógnita para a Série B, mas pode surpreender Foto: Fábio Leoni | PontePress

A Ponte Preta não entra como uma das favoritas ao acesso, mas pode surpreender, já que está passando por uma pequena reformulação, desde o momento que foi eliminada no Campeonato Paulista. Chegou o técnico Doriva, que teve bons momentos pelo Novorizontino, seu último clube e que conseguiu a melhor campanha entre os clubes pequenos, no Paulistão 2018.

O trabalho da diretoria na captação de reforços também foi interessante, chegaram jogadores por baixo custo, jovens e que procuram espaço no mercado nacional, sendo a Série B uma ótima vitrine e um estímulo a mais. Paulinho, que foi contratado, foi um dos poucos destaques do Atlético-GO, na Série A 2017, ele teve seu nome ligado a grandes clubes após o torneio, mas acertou com o Mirassol.

No Troféu do Interior, a equipe demonstrou uma pequena melhora, mas ainda não é o suficiente para cravar que terá uma boa campanha na Série B, já que o nível da competição será amplamente superior. A diretoria ainda busca outros reforços ofensivos, como Safira (Novorizotino) e Chiquinho (São Caetano), que podem elevar o poderio ofensivo do time, que tem sido a pior característica até aqui.

Destaque

Ivan (21) é o destaque da Ponte Preta na temporada Foto: Israel Oliveira | PontePress
Ivan é o destaque da Ponte Preta (Fonte: PontePress)

No início da temporada, o clube anunciou a saída de Aranha, com isso, o jovem Ivan (21), assumiu a meta pontepretana. Titular em todos os jogos da temporada, o goleiro tem sido um dos poucos destaques da equipe, com participação decisiva para a classificação contra o Sampaio Correa, na Copa do Brasil, defendendo uma das penalidades.

Como todo jovem, Ivan também passa por momentos de irregularidade e algumas falhas, mas terminou com saldo positivo. No Torneio do Interior, onde a Macaca se sagrou campeã, ele se destacou novamente, sendo essencial para a conquista da taça, que apesar do valor simbólico, ajuda a elevar a moral do grupo e a confiança da torcida.

Cria das divisões de base do clube, o goleiro foi titular na equipe vice-campeã paulista sub-20. Além dele, muitos outros jovens daquele elenco foram promovidos e agora estão com os profissionais, tendo muitas oportunidades nesse início de temporada, mas sem ter todo o sucesso, por conta da pressão e do momento negativo que vive o clube.

Ponto forte/ponto fraco

No Paulistão, Macaca viveu de extremos nos seus setores Foto: PontePress
No Paulistão, Macaca viveu de extremos nos seus setores Foto: PontePress

Durante a primeira parte da temporada, a Ponte Preta esteve muito distante de apresentar um bom futebol, com muitas apostas em jovens formados pelo clube, a Macaca sentiu o peso de ter um elenco sem muita experiência e quase foi rebaixada no estadual. O ataque, que foi formado por muitos garotos, não rendeu e foi muito ineficaz até aqui. A defesa foi relativamente bem, mas não conta com nomes que inspirem confiança na torcida.

Para a Série B, a diretoria enxergou a necessidade de contratar mais jogadores para o ataque, até o momento chegou apenas Júnior Santos, vindo do Ituano, mas outros nomes já foram especulados e devem chegar para assumirem as posições de frente. Depois das fracas atuações no estadual, a Ponte Preta liberou Silvinho para o Paraná, e agora conta com menos uma opção para o sistema ofensivo.

Apesar de ter ido melhor durante o Paulistão, o sistema defensivo recebeu muitos reforços. A dupla de zagueiros, formada por Luan Peres e Renan Fonseca não passa muita segurança ao torcedor, o primeiro deles ainda pode estar de saída, já que seu contrato vence no próximo mês. Nas laterais, o time convive com incertezas, Emerson, titular na direita, pode estar de saída e do outro lado nenhum se firmou na posição, por enquanto.

Fique de olho

Marciel chegou na Macaca neste ano, ele está emprestado pelo Corinthians  Foto: PontePress
Marciel chegou na Macaca neste ano, ele está emprestado pelo Corinthians Foto: PontePress

Emprestado pelo Corinthians para a temporada, Marciel, 23, era visto como uma das grandes promessas do antigo clube, porém recebeu poucas oportunidades no time principal. Versátil, o jogador pode atuar como volante e lateral-esquerdo, sendo nesta segunda a posição que mais se destacou.

Com qualidade para driblar e dono de uma passada larga, o jogador cresceu com João Brigatti, no Torneio do Interior, atuando como lateral-esquerdo e sendo um dos destaques no título. Enquanto Eduardo Baptista esteve no comando, ele atuou apenas no meio-campo, sem conseguir chamar atenção, ainda que tenha sido titular na maioria dos jogos.

Com a carência na posição, já que Orinho passou a atuar como ponta e Jefferson – que era improvisado – foi para o Vitória, essa é a grande chance de o jovem cravar seu nome entre os titulares, os primeiros jogos da Série B serão essenciais para garantir esse status, já que a diretoria já indicou que buscará alguém para a posição.

Treinador

Depois de três anos, Doriva voltou para a Ponte  Foto: PontePress
Depois de três anos, Doriva voltou para a Ponte Foto: PontePress

Depois da campanha decepcionante no Campeonato Paulista, a Ponte Preta decidiu demitir Eduardo Baptista. De forma interina, o clube colocou João Brigatti no comando da equipe, ele conquistou o Torneio do Interior, mas seguirá como auxiliar, dessa vez ajudando Doriva, que volta ao clube depois de três anos e vindo de um bom trabalho pelo Novorizontino.

Esta será a quinta temporada de Doriva como treinador, uma carreira muito curta, mas que passou por altos e baixos. O início foi pelo Ituano, de cara veio o título do Paulistão 2014, uma conquista marcante e que alavancou sua carreira. No ano seguinte, pelo Vasco, veio outro estadual, mas a sequência da carreira não foi das melhores. Teve um bom momento na própria Ponte Preta, em 2015, mas deixou o clube ao receber uma proposta do São Paulo, onde teve passagem curta e sem sucesso.

Após trabalhos frustrados, o técnico voltou a ter sucesso no início dessa temporada, comandando o Novorizontino. Com a terceira melhor campanha da primeira fase, atrás apenas dos finalistas Corinthians e Palmeiras, a equipe alcançou as quartas-de-final, mas foi eliminada pelo Verdão. Com a valorização do seu trabalho, ele foi o escolhido para dirigir a Macaca no sonho de voltar para a Série A.

Estádio

Mais conhecido como Majestoso, o Moisés Lucarelli é a casa da Ponte Preta  Foto: DroneLy | PontePress
Mais conhecido como Majestoso, o Moisés Lucarelli é a casa da Ponte Preta Foto: DroneLy | PontePress

A casa pontepretana é o Moisés Lucarelli, o estádio foi inaugurado em 1948 e recebeu o apelido de Majestoso, por conta da sua capacidade na época da inauguração, ficando atrás de Pacaembu e São Januário. Com o tempo, o limite de público foi reduzido por questões de segurança e a liberação máxima é para receber 17 mil torcedores, por jogo.

No final do último Brasileirão, a torcida se revoltou com a situação do time, que estava próximo de ter seu rebaixamento decretado, centenas de torcedores invadiram o gramado e agrediram jogadores, causando um grande tumulto. A confusão passou pelos tribunais, e a Ponte Preta não poderá receber público nos seus seis primeiros jogos como mandante, causando um grande prejuízo financeiro e técnico para o clube, que vê sua torcida como um dos trunfos para o acesso.