Guia VAVEL do Brasileirão 2018: Cruzeiro

Raposa iniciará sua trajetória na edição de 2018 no sábado (14), às 16h, contra o Grêmio

Guia VAVEL do Brasileirão 2018: Cruzeiro
Foto: Editoria de Arte VAVEL Brasil

Depois de faturar o penta na Copa do Brasil, o Cruzeiro também vai em busca de sua quinta estrela no Campeonato Brasileiro. A Raposa conquistou a principal competição nacional em 1966 (Taça Brasil), 2003, 2013 e 2014, e vai estrear na edição de 2018 no próximo sábado (14), às 16h, no Mineirão, contra o Grêmio. 

Com a manutenção do elenco e de seu treinador, além de aquisições pontuais, o Cruzeiro tem um dos grupos mais bem vistos do futebol brasileiro. Após o bicampeonato de 2013 e 2014, não conseguiu brigar de forma mais efetiva pelo título desde então, o que espera neste ano. Confira a composição do elenco celeste atualmente: 

Goleiros: Fábio, Rafael, Lucas França e Vitor Eudes
Zagueiros: Léo, Murilo, Dedé, Manoel, Digão e Arthur
Laterais-direitos: Edilson, Ezequiel
Laterais-esquerdos: Egídio, Marcelo Hermes, Victor Luís e Patrick Brey
Volantes: Henrique, Arial Cabral, Lucas Romero, Lucas S. e Bruno S.
Meias: Thiago Neves, Robinho, Arrascaeta, Rafinha e Mancuello
Atacantes: Fred, Raniel, Rafael Sobis, Rafael Marques, Sassá e David

Como vem?

O Cruzeiro entrará no Campeonato Brasileiro com a disputa da Copa Libertadores em andamento e o título estadual na conta. A Raposa venceu o grande rival, Atlético-MG, e levou a edição de 2018 do Campeonato Mineiro após perder a ida por 3 a 1 e descontar na volta em 2 a 0, no Mineirão - critérios de desempate eram favoráveis ao time celeste, melhor equipe da primeira fase.

Na Libertadores, o Cruzeiro não teve um bom começo. A Raposa estreou com uma derrota por 4 a 2 para o Racing e empatou em seguida com o Vasco em 0 a 0. Com apenas um ponto, é lanterna do Grupo 5 do torneio continental, que conta ainda com a Universidad de Chile além do Cruz-maltino e do time argentino. Em 2018, o time de Mano Menezes soma 13 vitórias, três empates e duas derrotas.

O Cruzeiro venceu o Campeonato Mineiro (Foto: Washington Alves/Light Press)

Mercado celeste

O Cruzeiro não perdeu muitas peças para esta temporada. As principais saídas foram do meia-atacante Alisson (Grêmio), do lateral-esquerdo Bryan (Vitória) e do meia Elber (Bahia). Os dois últimos não eram titulares da Raposa, com o primeiro tendo um espaço maior na equipe principal de Mano Menezes. Mas, quem chegou? Confira abaixo todas as contratações celestes para esta temporada.

- Egídio: o lateral-esquerdo bicampeão brasileiro com a Raposa em 2013/2014 foi contratado ainda em novembro do ano passado. Egídio estava no Palmeiras, time no qual foi reserva ao longo da última temporada. De volta ao Cruzeiro, assumiu a titularidade da equipe.

- Edilson: ainda em dezembro do ano passado, o Cruzeiro acertou com o lateral-direito Edilson. Na negociação, o meia-atacante Alisson foi para o tricolor gaúcho. Campeão da Libertadores com o Grêmio, Edilson chegou para a assumir a titularidade na Raposa e agregar experiência ao elenco mineiro.

Edilson foi campeão com o Grêmio em 2017 (Foto: Washington Alves/Light Press)

- Fred: a aquisição mais surpreendente do Cruzeiro, sem dúvida alguma, foi a de Fred. O atacante tinha contrato com o rival Atlético e o rescindiu no dia 22 de dezembro, sendo anunciado pela Raposa imediatamente no dia seguinte. A aquisição-relâmpago prometia ser o goleador do clube em 2018, mas o atacante se lesionou em março e deve desfalcar o time por quase toda a temporada.

- Marcelo Hermes: sem muito espaço no time B do Benfica, de Portugal, o lateral-esquerdo Marcelo Hermes foi adquirido pelo Cruzeiro via empréstimo de um ano. A atleta de 23 anos chegou ao clube mineiro para ficar no decorrer da temporada 2018 e é a primeira opção de Mano para substituir o titular Egídio.

Bruno Silva: a principal novela do mercado do Cruzeiro para esta temporada foi do volante Bruno Silva, do Botafogo. A Raposa vinha demonstrando interesse no atleta desde outubro do ano passado, mas só concretizou o negócio em 2018. Bruno Silva foi eleito um dos melhores volantes do Brasileiro de 2017 ao lado de Arthur, do Grêmio, mas ainda não foi muito aproveitado no elenco celeste.

Bruno Silva, negociação mais demorada do Cruzeiro, ainda não mostrou a que veio (Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro)

- David: um dos destaques do Vitória no último ano, o atacante David também pintou no carrinho da Raposa. O jogador, porém, ainda não conseguiu atuar pela equipe, porque já deixou o território baiano em processo de recuperação de uma lesão na coxa. O Cruzeiro contratou o atleta machucado, mas abriu as portas da Toca da Raposa para seu tratamento. Atualmente, David já treina com o elenco normalmente e deve reforçar o time no Brasileirão.

- Mancuello: o último reforço do Cruzeiro antes da estreia celeste no Mineiro foi o meia Mancuello. A Raposa buscou o argentino no Flamengo, clube no qual já vinha tendo poucas oportunidades. Versátil, pode atuar de lateral-esquerdo, volante e meia, sendo mais testado por Mano Menezes nas duas últimas funções. O time rubro-negro e o grupo cruzeirense são as duas experiências da carreira do atleta no Brasil até então.

- Patrick Brey: com o Campeonato Brasileiro já batendo na porta do Cruzeiro, a Raposa contratou o lateral-esquerdo Patrick Brey. Com apenas 20 anos, o jogador foi um dos destaques do Tupi no Campeonato Mineiro e chega ao elenco estrelado para disputar posição com Egídio e Marcelo Hermes.

- Renato Kayser: assim como Brey, o atacante Renato Kayser despertou as atenções da diretoria celeste por sua atuação no Mineiro. O Galo Cairjó foi eliminado na semifinal justamente para a Raposa, mas Kayser anotou cinco gols e foi o artilheiro da equipe alvinegra - Rafinha e Thiago Neves, artilheiros estrelados no Estadual, também marcaram cinco vezes.

Escalação

Treinador: Mano Menezes

Dos 20 treinadores que vão iniciar o Campeonato Brasileiro deste ano com suas equipes, o técnico do Cruzeiro é o segundo com mais tempo de comando. Atrás apenas de Enderson Moreira, do América, o comandante da Raposa treina a equipe desde setembro de 2016, situação rara no contexto do futebol brasileiro.

Mano comando o Cruzeiro desde setembro de 2016 (Foto: Marcello Zambrana/Light Press)

Campanha em 2017

Assim que levantou o caneco da Copa do Brasil, o Cruzeiro ganhou um gás diferente para a reta final do Campeonato Brasileiro, mas não chegou a ameaçar a ponta do Corinthians. Ao fim da última edição do Brasileirão, a Raposa terminou na quinta colocação, com 57 pontos, 15 vitórias, 12 empates e 11 derrotas. O artilheiro celeste foi Thiago Neves, com 11 tentos - sete a menos que Jô (Corinthians) e Henrique Dourado (Fluminense), artilheiros gerais do torneio.

Fique de olho: Raniel

Atualmente cuidando de um desconforto muscular, o atacante Raniel pode surpreender em 2018. Com a lesão de Fred, o ataque da Raposa se concentra na 'briga' entre o jovem atleta e o experimente Rafael Sobis, principalmente. Em 2017, Raniel teve a chance de jogar a grande decisão da Copa do Brasil devido à suspensão de Sobis, mas logo no início da final lesionou ambas as coxas e saiu em prantos do gramado do Mineirão. Nesta temporada, foram três gols em dez jogos, seis desses duelos como titular. 

Raniel tem apenas 21 anos (Foto: Washington Alves/Light Press)

E agora?

O Cruzeiro chega ao Brasileirão alimentando boas esperanças do torcedor celeste. Em 2018, a Raposa escorregou em seus grandes testes, sendo os duelos da Libertadores e a ida da final do Mineiro, mas encerrou o Estadual com uma vitória e uma reação que levantaram os ânimos da torcida.

A equipe-base do Cruzeiro para o Brasileirão terá algumas mudanças em relação ao último ano. No gol, segue o experiente Fábio, com Edílson na lateral direita e Egídio no corredor esquerdo. A zaga celeste pode seguir a mesma que terminou 2017, com Léo e Murilo, mas o bom retorno de Dedé colocou uma interrogação na cabeça de Mano.

À frente, devem seguir os volantes Ariel Cabral e Henrique, com uma trinca dos meias Robinho, Thiago Neves e Rafinha. Com a lesão de Fred, Rafael Sobis e Raniel disputam posição no ataque atualmente. A Raposa tem ainda o meia Arrascaeta, que pode atuar no lugar de Rafinha ou atuar de falso 9 com a ausência de atacante de ofício.

Destaque: Thiago Neves

O cérebro do Cruzeiro veste a camisa 30 e é o destaque da equipe celeste. O meia Thiago Neves é fundamental no time de Mano Menezes e foi o artilheiro da Raposa no Mineiro ao lado de Rafinha, cada um com cinco gols. Em 2017, além de artilheiro do Cruzeiro no ano, foi ainda o principal garçom - 17 gols e 14 assistências.

Thiago Neves é um dos atletas mais experientes do elenco estrelado (Foto: Vinicius Silva/Cruzeiro)

Estádio: Mineirão

Ah, o Mineirão! O Gigante da Pampulha, grande palco do futebol mineiro, é o estádio em que o Cruzeiro manda os seus jogos. Localizado na região da Pampulha, em Belo Horizonte, comporta cerca de 62 mil torcedores e foi um dos estádios reformados para a Copa do Mundo de 2014. Não só reformado, recebeu a última partida da Seleção Brasileira de quatro anos atrás, a goleada para a Alemanha.