Guia VAVEL do Brasileirão 2018: São Paulo

Guia VAVEL do Brasileirão 2018: São Paulo
Guia do Brasileirão 2018: São Paulo

Campeonato Brasileiro de 2018 está prestes a começar, e o São Paulo espera ter um desempenho superior aos dos últimos anos. Para isso, trouxe vários reforços, buscou um novo treinador, e agora pretende ter um ano de mais sucesso.

Começo de temporada razoável

Considerando que o trabalho de Dorival Júnior, bastante contestado, foi interrompido no começo de março, a campanha do Tricolor não é das piores. O futebol apresentado recentemente tem sido mais consistente e parece bem promissor, apesar de o técnico ter assumido há pouco tempo.

Apesar do "mau" desempenho na fase de grupos do Campeonato Paulista, a equipe conseguiu eliminar o São Caetano e quase passar pelo Corinthians, levando um gol nos acréscimos do jogo de volta e sendo eliminada nos pênaltis.

Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net 

Na Copa do Brasil, cinco jogos: quatro vitórias e uma derrota. O São Paulo eliminou o Madureira (1 a 0), o CSA (2 a 0), e o CRB (5 a 0 no agregado). Já na quarta fase do torneio, ocorreu um revés contra o Atlético-PR, por 2 a 1, mas a partida de volta ainda será disputada, e o confronto segue em aberto.

Contratações na temporada

A diretoria do Tricolor trouxe reforços para todos os setores do campo. No total, oito transferências foram realizadas: o goleiro Jean, os defensores Régis e Anderson Martins, os meias Nenê e Valdívia, além dos atacantes Tréllez e Gonzalo Carneiro.

Carneiro, anunciado no dia 2 de abril (Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net)

Sofrimento e alívio no Brasileiro de 2017

Ídolo do clube, Rogério Ceni assumiu o cargo de treinador no começo da temporada, mas seu trabalho não deu certo. Ele foi demitido ainda no primeiro turno do campeonato, deixando a equipe na zona de rebaixamento e dando lugar a Dorival Júnior. Demorou, mas, com grande ajuda de Hernanes, o São Paulo conseguiu se afastar do perigo, terminando o torneio na 13ª colocação.

Expectativas

Não deve ser nesta temporada que o Soberano voltará a levantar o principal troféu no país. Mas também não deve lutar contra o descenso, como fez ano passado. Considerando que sete (oito ou até nove) times classificarão para a Copa Libertadores, é totalmente plausível que a equipe do Morumbi possa lutar para retornar ao torneio continental.

Escalação

Apesar de ter surgido, recentemente, a possibilidade de jogar em um esquema de três zagueiros, o São Paulo deve jogar em um tradicional 4-3-3. Assim, Jucilei, Liziero e Nenê devem fazer o meio de campo, enquanto Marcos Guilherme e Valdívia jogarão pelos lados, dando velocidade.

Destaque: Valdívia

Diferente do ano passado, em que Hernanes aparecia como grande nome do elenco, nesta temporada não há unanimidade. Até agora, no entanto, o jogador que tem atuado melhor é o meia-atacante Valdívia, impondo velocidade aos lados do campo. Ele perdeu algumas semanas devido a um leve estiramento na coxa, mas já está recuperado.

Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

De qualquer forma, é preciso citar Nenê como um dos atletas mais importantes do time. Apesar da idade, ele tem sido consistente e tendo boas atuações - como no clássico contra o Corinthians na semifinal, em que marcou gol e venceu por 1 a 0.

Fique de olho: Liziero

Apesar de não ser muito famoso, principalmente por ser jovem e estar na primeira sequência como jogador profissional, Liziero tem mostrado muita capacidade para preencher o meio de campo. Com inteligência tática e intensidade, ele tem conseguido ajudar nas tarefas defensivas e ofensivas e pode evoluir ainda mais com o tempo.

Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Esperanças em Diego Aguirre, o treinador

Contratado em março após a derrota do São Paulo em um Choque-Rei, o uruguaio parece já ter conseguido organizar a equipe dentro de campo. A intensidade e característica 'aguerrida' também tem agradado os torcedores, e o trabalho pode evoluir ainda mais com o tempo - afinal, ele só assumiu a cerca de um mês.

Foto: Paulo Pinto / saopaulofc.net
Foto: Paulo Pinto / saopaulofc.net

Lar, doce lar: Morumbi

Com capacidade para cerca de 66 mil torcedores, o Estádio Cícero Pompeu de Toledo, conhecido como Morumbi, é o lugar onde a torcida apoia e empurra os jogadores. Não é à toa que o recorde de público do ano passado, por exemplo, pertenceu ao Tricolor.

Foto: MIGUEL SCHINCARIOL/AFP/Getty Images
Foto: MIGUEL SCHINCARIOL/AFP/Getty Images