Atlético-PR se recupera de início ruim, empata com São Paulo e vai às oitavas da Copa do Brasil

Mesmo após estar perdendo por 2 a 0, comandados de Fernando Diniz reagiram e avançaram para a fase seguinte

Atlético-PR se recupera de início ruim, empata com São Paulo e vai às oitavas da Copa do Brasil
(Foto: Rubens Chiri/Saopaulofc.net)
São Paulo
2 2
Atlético-PR
São Paulo: Sidão; Éder Militão, Rodrigo Caio e Arboleda; Jucilei, Petros (Lucas Fernandes, min. 83), Regis, Valdivia (Cueva, min. 74) e Liziero; Nenê e Tréllez (Diego Souza, min. 57).
Atlético-PR : Santos; Pavez (Zé Ivaldo, min. 63), Paulo André e Thiago Heleno; Camacho, Lucho Gonzalez, Matheus Rossetto (Deivid, min. 88) e Thiago Carleto; Guilherme (Ribamar, min. 84), Nikão e Pablo.
Placar: 1-0, min. 25, Valdivia. 2-0, min. 35, Nenê. 2-1, min. 39, Guilherme. 2-2, min. 50, Matheus Rossetto.
ÁRBITRO: Wagner do Nascimento Magalhães (FIFA-RJ). Cartões amarelos: Lucho Gonzalez, Pavez e Guilherme (CAP)
INCIDENCIAS: Partida válida pelo jogo da volta da quarta fase da Copa do Brasil, disputada no Morumbi, em São Paulo.

São Paulo e Atlético-PR se enfrentaram na noite desta quinta-feira (19), no Morumbi, pelo jogo de volta da quarta fase da Copa do Brasil. Após um primeiro tempo agitado e uma etapa final amarrada, o Furacão arrancou o empate com gols de Guilherme e Matheus Rossetto, e confirmou a vaga nas oitavas de final. Valdívia e Nenê marcaram para o Tricolor.

Vale lembrar que os times que disputam a Libertadores deste ano, o campeão da Copa Verde, da Copa do Nordeste e da Série B de 2017 se juntam aos classificados para o sorteio que definirá os confrontos da fase seguinte. 

A primeira grande chance dos donos da casa veio aos seis minutos. Militão levantou, Valdivia cabeceou para trás e Petros, de cara para o gol, finalizou pela linha de fundo. 

O gol veio aos 25 minutos. Petros ajeitou de cabeça, Nenê tocou de calcanhar, Valdívia girou em cima do zagueiro Thiago Heleno para finalizar no cantinho e abrir o placar no Morumbi. 

O segundo gol veio 10 minutos mais tarde, dos pés de Nenê. Após belíssima jogada de Liziero, o camisa 7 recebeu, ajeitou para a perna direita, que não é a boa, e finalizou. A bola desviou em Thiago Heleno, enganou o goleiro Santos e foi morrer no fundo do gol. 

O duelo era intenso e tinha todos os ingredientes de uma partida decisiva. Aos 38 minutos, Camacho driblou Liziero na linha de fundo mas a bola bateu no braço do jogador Tricolor. O árbitro assinalou a penalidade máxima muito bem convertida por Guilherme, descontando o placar. 

Logo no início do segundo tempo, o Furacão conseguiu igualar o marcador, dando problemas ao time de Aguirre. Após excelente tabela de Pablo com Guilherme pelo lado esquerdo, o atacante chutou cruzado para o outro lado da grande área e Matheus Rossetto apareceu para estufar as redes. 

Insinuante e agressivo no início da etapa completamentar, o time paranaense quase virou o jogo. Rossetto cruzou para Carleto que acertou um belíssimo chute sem deixar a bola cair, mas parou na trave. 

Nenê teve a oportunidade de colocar o Soberano na frente novamente. Diego Souza tocou para o meia na direita, ele ajeitou para o centro da área e bateu de perna canhota, mas parou em excepcional defesa do arqueiro do Atlético-PR. 

Nikão teve a chance da virada para os visitantes. Após jogada trabalhada, o meia do rubro-negro finalizou forte mas para fora. Apesar do abafa final, o São Paulo não conseguiu reverter a situação e deu adeus ao torneio. 

O Tricolor paulista volta as gramados no domingo (22), quando visita o Ceará no Castelão, às 16h, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro. No mesmo dia, o Furacão vai ao Rio Grande do Sul visitar o Grêmio, na Arena do Tricolor gaúcho, às 19h.