Após eliminação na Copa do Brasil, Aguirre é enfático: "Não posso falar de coisas boas do time"
Foto: Divulgação / São Paulo FC

Após eliminação na Copa do Brasil, Aguirre é enfático: "Não posso falar de coisas boas do time"

Comandante se mostrou bastante irritado com a eliminação, porém disse que seguirá trabalho focado na Sul Americana

GaBrizotti
Gabriella Brizotti

Na noite desta quinta-feira (19) o São Paulo enfrentou o Atlético-PR, no Morumbi, pela quarta fase da Copa do Brasil e acabou eliminado. A segunda partida terminou empatada em 2 a 2, com gols de Valdívia e Nenê para os donos da casa e de Guilherme e Matheus Rosseto para os visitantes. Apesar do empate, o Tricolor foi eliminado, porque na primeira partida perdeu por 2 a 1, e o placar agregado terminou em 4 a 3.

Após o apito final, o técnico Diego Aguirre analisou a partida:No primeiro tempo, controlamos bem, fizemos dois gols e perdemos mais alguns. O pênalti mudou o fator psicológico, talvez caímos um pouco. No segundo tempo, os dois times tiveram seus momentos. Poderíamos ter marcado um gol a mais" – analisou o comandante.

O treinador ainda lamentou a derrota e preferiu não dizer os pontos positivos da equipe: “Eu não posso falar de coisas boas do time. Eu queria classificar. Eu falaria de coisas boas se tivéssemos conseguido a classificação. Temos de assumir que foi um fracasso a eliminação. Somos um time grande, que tem de brigar por coisas importantes. Temos de pegar essa responsabilidade e ir à frente. Domingo tem Campeonato Brasileiro, temos a Copa Sul-Americana. Eu não gosto de perder e não vou falar de coisas positivas hoje”, lamentou o uruguaio.

Ao analisar a postura e maneira de jogo do adversário, o técnico foi enfático. "Eles são entrosados, muito trabalho. Gosto do estilo deles. Um estilo muito válido, porque tentam sempre jogar. Em alguns momentos também superamos eles. Tem jogadores de qualidade. As vezes um detalhe, como o pênalti, mudou um pouco o curso do jogo. Estava controlado, não tínhamos sofrido. Marcamos dois e estávamos perto de conseguir mais. E isso influenciou”.

E ao dar um panorama geral de todas eliminações, Aguirre não poupou palavras. “Isso são dados da realidade, mas eu não posso pensar que isso influência. É uma coisa que acontece e temos que cortar e reverter essa situação. É trabalhando e olhando para frente. É uma eliminação que dói muito, porque trabalhamos muito para o jogo e tivemos a ilusão, porque chegamos muito perto”, finalizou.

O Soberano agora foca na partida de volta da Sul-Americana diante do Rosário Central, no dia nove de maio e no Campeonato Brasileiro 2018, já que enfrenta o Ceará neste fim de semana pela segunda rodada da competição nacional.

VAVEL Logo