Notas: Réver, Juan e Cuéllar se salvam em nova atuação ruim do Flamengo na Libertadores
(Foto: Gilvan de Souza/ Flamengo)

Notas: Réver, Juan e Cuéllar se salvam em nova atuação ruim do Flamengo na Libertadores

Jogadores defensivos se portaram bem diante da altitude, e da falta de ambição de vencer do Rubro-Negro; Diego tem nova atuação abaixo da crítica

rafalisboa
Rafael Lisboa

Em termos de classificação para a próxima fase da Libertadores, o empate em Bogotá não foi ruim para o Flamengo, que pode se classificar já na próxima rodada. Mas a atuação da equipe no empate em 0 a 0 contra o Independiente Santa Fe, novamente deixou muito a desejar. Escorregões, falta de movimentação, passes errados e postura defensiva, minaram as chances de vitória do Rubro-Negro na Colômbia. Apenas o sistema defensivo se salvou. A VAVEL Brasil deu as notas para os atletas da equipe carioca. Confira:

Diego Alves: nota 6,0- Pouco exigido, foi seguro e ainda ajudou a segurar o ímpeto do Santa Fe, ao esfriar a partida em alguns momentos.

Rodinei - nota 6,5: manteve a regularidade que apresenta desde quando voltou a ser titular. Apoiou bem no ataque no primeiro tempo, especialmente quando tabelou com Paquetá, e pouco sofreu defensivamente.

Juan - nota 7,5: Com a qualidade de sempre, o veterano de 39 anos levou vantagem sobre o artilheiro Morelo, e ganhou quase todas as bolas levantadas para a área rubro-negra.

Réver - nota 7,0: assim como Juan, o capitão conseguiu parar o ataque colombiano, e ajudou a evitar que o Rubro-Negro saísse derrotado de Bogotá.

Renê - nota 6,5: seguro no momento defensivo, o lateral sofreu mas conseguiu se sair bem mesmo em desvantagem nos ataques colombianos. No ataque, ainda precisa evoluir.

Cuéllar - nota 7,0: um leão. Incansável na marcação, o colombiano foi responsável pela marcação na entrada da área e ainda teve que compensar a fraca atuação de seu companheio Arão.

Diego - nota 4,0: de volta a equipe, o camisa 10 teve mais uma atuação abaixo da crítica e, mesmo chamando a responsabilidade em alguns momentos, pouco auxiliou no ataque. Precisa voltar a ser o velho Diego, caso queira uma vaga na Copa do Mundo.

Lucas Paquetá - nota 6,0: foi o melhor do ataque rubro-negro, especialmente no primeiro tempo. Mas novamente não conseguiu manter a regularidade, e foi prejudicado com a saída de Dourado, quando passou a jogar no centro do ataque.

Jonas - sem nota: entrou no fim do jogo e só teve tempo para cometer uma falta.

Willian Arão - nota 4,0: começou novamente como titular, e mais uma vez não teve uma boa atuação. Sumido na saída de bola, pouco ajudou na marcação e no ataque, errando muitos passes.

Vinicius Jr - nota 5,5: quando foi acionado, não conseguiu novamente levar vantagem sobre Arboleda. Assim como contra o América-MG, o jovem atacante não auxiliou Renê na marcação.

Geuvânio - nota 5,5: entrou no segundo tempo, e não contribuiu até ser o protagonista da polêmica envolvendo o árbitro Daniel Fedorczuk, que apitou o fim do jogo quando o atacante partia para marcar o gol da vitória.

Henrique Dourado - nota 6,0: procurou mais o jogo, e conseguiu prender a bola no ataque no primeiro tempo. Na segunda etapa, ficou muito isolado, e não teve pernas para aguentar a altitude, ficando sem conseguir segurar a bola no campo ofensivo. Cometeu pênalti não marcado por Fedorczuk no primeiro tempo.

Marlos Moreno - nota 5,0: entrou no lugar de Vinicius Jr e pouco fez. Teria desperdiçado a melhor, e mais inacreditável, chance da partida se a bola não tivesse saído no cruzamento de Geuvânio.

VAVEL Logo
CHAT