Renato Portaluppi justifica escolha por time reserva após derrota: “Não tem outro jeito”
Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Renato Portaluppi justifica escolha por time reserva após derrota: “Não tem outro jeito”

Comandante ressaltou que não há possibilidade de colocar mesmo time nas três competições que equipe disputa

ritielimoura
Ritieli Moura

Levando um gol já nos acréscimos da segunda etapa, o Grêmio perdeu para o Botafogo no estádio Nilton Santos na tarde deste sábado (28). Renato Portaluppi mandou a campo uma equipe reserva, e, apesar da derrota, saiu satisfeito com o time.

 “A equipe do Grêmio é muito boa, no que o Botafogo levou a melhor hoje foi no ritmo de jogo. Para vocês terem uma ideia, o Grêmio veio aqui no Rio de Janeiro e enfrentou a equipe do Botafogo, que é campeã carioca, de igual pra igual. Foi um jogo que tivemos situações de gol de pra um lado e pro outro. Infelizmente tomamos aquele gol no final. Nós temos um grupo muito bom, não é qualquer time que vem aqui e enfrenta o Botafogo de igual pra igual com uma equipe totalmente modificada. To satisfeito com meus jogadores, foi um jogo parelho.”

O único titular da equipe era o atacante Luan. Renato explicou o motivo da escolha: “Luan é um jogador que ficou alguns jogos fora. Jogador jovem que vinha praticamente descansado, enquanto os outros vinham numa correria grande. Ele pediu para jogar, jogou. Alguns jogos atrás não pode jogar porque estava machucado, então para ele é bom, para recuperar o ritmo.” Ele ainda falou sobre o desempenho do camisa 7: “Hoje o Luan não foi o Luan que conhecemos, mas é compreensível, ele jogou numa equipe modificada, que não jogam sempre juntos. Mas faz parte.

Na temporada passada o Grêmio acabou não conseguindo vencer as partidas em que usou equipe alternativa. O comandante esclareceu: “Fica impossível ganhar a Copa do Brasil e a Libertadores se você colocar sempre a mesma equipe em campo. Aí é impossível nas três. O Grêmio não conseguiu algumas vitórias no ano passado porque jogou com 7 ou 8 jogadores da transição. Em alguns jogos não foi possível utilizar nem os reservas, 12 ou 13 estavam no departamento médico. Esse time que ta aqui do Grêmio, é um time forte, só não jogou mais por falta de ritmo de jogo.”

Renato falou também sobre os motivos de dar mais atenção às competições de mata-mata. Ele ressaltou que outras equipes brasileiras vão poupar jogadores, e salientou que isso é necessário.

O brasileiro, você tem 38 rodadas. Na Libertadores e Copa do Brasil, agora com o mata-mata, são dois jogos. Aí você financeiramente o que é melhor pro clube, em qual é mais fácil ganhar um título. Não adianta criticar os clubes, todos vão jogar com time reserva, agora ou daqui a pouco. Vocês querem o que? Clube grande que disputa três competições e a cada três dias o mesmo time vai entrar em campo? Isso é só pra quem não entende de futebol. Jogador é humano, cansa e sente.

Para encerrar, o técnico voltou a falar positivamente da equipe que jogou hoje. Para ele, o que faltou foi ritmo de jogo: “Mesmo jogando com uma equipe alternativa marcamos a saída de bola, jogamos dentro do campo adversário. O que pesou no jogo de hoje foi o ritmo dos jogadores. Mas não adianta, tem que ser assim e vai ser assim, não tem outro jeito.

VAVEL Logo

Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense Notícias

há 8 dias
há 11 dias
há 18 dias
há 21 dias
há 21 dias
há 22 dias
há um mês
há um mês
há um mês
há um mês
há um mês