Thiago Larghi prefere celebrar vitória a comentar polêmicas: "Arbitragem é com a diretoria"

Treinador do Atlético-MG destacou também as atuações de Gustavo Blanco e Róger Guedes, na vitória do Galo por 1 a 0 sobre o Corinthians

Thiago Larghi prefere celebrar vitória a comentar polêmicas: "Arbitragem é com a diretoria"
Foto: Divulgação/Atlético-MG

A tarde deste domingo (29) trouxe um misto de emoções para o Atlético-MG. Após arbitragem polêmica e gol anulado, o Galo derrotou o Corinthians por 1 a 0 em partida válida pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. O jogo foi acompanhado por um público de 19 mil torcedores, que viram Róger Guedes definir o resultado final com um gol aos 41 minutos da segunda etapa.

Apesar da vitória mínima, a equipe de Thiago Larghi apresentou bom volume de jogo, com jogadas incisivas pelos lados do campo. Além disso, o time demonstrou organização tática e atuação sólida no setor defensivo, o que limitou as participações do goleiro Victor. 

Ainda no primeiro tempo, após uma sequência de finalizações protagonizadas pela equipe mineira, um lance polêmico tirou a chance de um resultado mais elástico do Galo. A demora para anular gol marcado por Róger Guedes - com alegação de toque voluntário de mão do atacante Ricardo Oliveira na jogada - foi uma das principais contestações realizadas pela comissão atleticana. No entanto, durante a entrevista coletiva após o jogo, Larghi afirmou que minimizar o lance foi a estratégia para manter o foco da equipe.

"A gente fica chateado, logicamente, mas já chegamos no vestiário colocando os jogadores para focarem no que a gente tinha que fazer.  O importante era a gente vencer a partida, então tínhamos que nos concentrar nos próximos 45 minutos pra fazer um bom jogo e sair com a vitória. E foi isso que eles fizeram, eles compreenderam. Não adiantava nem reclamar, a arbitragem é assunto para a diretoria , vamos deixar a diretoria resolver", destacou. 

Dois destaques do Atlético na partida foram o volante Gustavo Blanco e o atacante Róger Guedes. Blanco participou ativamente da construção de jogadas ofensivas e foi responsável por dez desarmes durante o jogo, dando estabilidade à equipe ao lado de Adilson. Já Guedes foi incisivo em todos os lances de perigo da equipe alvinegra, marcando, sobretudo, o gol da vitória. 

"Mérito dos dois jogadores que estão trabalhando muito e se dedicando bastante. Falei com o Róger agora que ele fez dois gols hoje, mas durante a semana ele fez 50. E os dois gols hoje é fruto dos 50, do trabalho durante a semana, isso aí fica muito claro. Com o Blanco não é diferente, ele se dedica muito também nos treinamentos e a resposta vem durante os jogos. Os desempenhos acontecem porque o jogador está preparado e, na partida, ele está tem a capacidade de executar o que é pedido", afirmou o treinador.

Na etapa final da partida, Larghi realizou três substituições simultâneas nos 39 minutos: Elias, para entrar no lugar de Luan, Matheus Galdezani, no lugar de Blanco e o atacante Alerrandro, substituindo o zaguerio Bremer. Esta última, pouco usual e inédita na atuação do treinador frente à equipe: para garantir maior poder ofensivo à equipe alvinegra, Larghi recuou o volante Adilson para a zaga. Segundo o técnico, o principal motivo para a decisão girou em torno de uma situação emergencial pela conquista de um gol no jogo. 

"Havia uma necessidade do resultado e a gente entende que o Adilson, muitas vezes, entra na nossa linha defensiva como um quarto homem quando o lateral avança, isso a gente treina bastante, são situações de jogo, e ele certamente dá conta do recado. Entendemos também que precisávamos de masi um homem na área, pois estávamos chegando à linha de fundo e, em algumas vezes, as bolas cruzadas na área não se convertiam em gol. Colocamos então o Alerrandro na área, para termos mais chances", explicou. 

Uma boa dor de cabeça para Larghi é a volta de Léo Silva, que está recuperado de lesão e  completa o trio de zagueiros atuantes do Galo. O treinador teria de escolher entre substituir Bremer ou Gabriel, que juntos formaram a zaga atleticana nos últimos dois jogos. Contudo, já existe decisão: segundo o comandante do Atlético, Léo terá a titularidade no próximo jogo da Copa do Brasil.

"O Léo vai jogar na quarta-feira (02), foi uma conversa que a gente teve. Ele já foi liberado mas está fazendo um trabalho de transição por conta da lesão que requer ainda alguns dias de preparação física para o melhor condicionamento no jogo. Agora é reforçar o grupo; temos competições longas, jogo em cima de jogo e é importante sim utilizarmos os jogadores que a gente tem. Ótimo que o elenco esteja se reforçando", salientou.

A boa atuação do Atlético deve-se, segundo Thiago Larghi, à semana livre para treinamentos. No entanto, os próximos dias trazem uma sequência árdua ao grupo alvinegro: serão sete jogos em apenas 20 dias. Quando questionado acerca de um padrão de atuação, o técnico não escondeu a preocupação por uma possível queda de rendimento.

"Voltamos à fase de recuperar e jogar. A possibilidade de a gente ter um bom padrão depende de treino e não é sempre que é possível tem uma semana de treinamentos. Quando temos, a gente vê que o desempenho do time é melhor, e isso não é coincidência. É porque se treina, descansa e prepara-se bem os detalhes das partidas. Mas precisamos encarar a realidade do calendário que temos e usar o grupo que está se fortalecendo. Temos mais do que 11 titulares, já falamos disso, e a gente via fazer uma ótima partida na quinta-feira (03) contra a Chapecoense", ressaltou.

O compromisso seguinte da equipe mineira será na próxima quarta-feira (2), às 19h30: a equipe recebe a Chapecoense no Independência, para o primeiro jogo das oitavas de final da Copa do Brasil