Muralha desabafa e fala sobre saída do Flamengo: "Tudo era culpa do Alex"

Muralha desabafa e fala sobre saída do Flamengo: "Tudo era culpa do Alex"

Goleiro falou sobre uma possível volta ao Rubro-Negro, relação com imprensa brasileira e sua adaptação no futebol japonês

mathenrique
Matheus Henrique

Alex Muralha talvez tenha sido um dos jogadores mais perseguidos e criticados da história do futebol brasileiro. Em 2017, jogando pelo Flamengo, ficou marcado por seguidas falhas que acabaram atingindo cada vez mais seu psicológico. Hoje na segunda divisão do campeonato japonês, defendendo o Albirex Niigata, o goleiro voltou a dar entrevistas após sua saída, desta vez, ao Esporte Interativo. 

Mesmo do outro lado do planeta, Muralha continua tendo seus passos controlados pela mídia e público brasileiro. Cada falha, e até mesmo quando leva um simples gol de pênalti, vira notícia. Ao comentar sobre ser esse alvo, o ex-Flamengo falou a respeito de uma perseguição sofrida.

"A gente está sujeito à falha. O goleiro tem que jogar no limite do erro. Eu fiz muitos jogos bons aqui e a imprensa só mostrou a coisa ruim. Se eu tomo gol defensável, eles (imprensa) colocam: 'Muralha franga' e 'Muralha toma gol de pênalti'. Eu acho que estão perseguindo muito. É complicado e difícil. Eu acho que uma hora vai passar. Uma hora vão me esquecer. É ter a cabeça boa porque uma hora vai passar", afirmou.

Muralha tenta driblar R. Oliveira, perde a bola e em seguida sai o gol do Santos. Foto: Buda Mendes/Getty Images
Muralha tenta driblar R. Oliveira, perde a bola e em seguida sai o gol do Santos. Foto: Buda Mendes/Getty Images

Sobre voltar ao futebol brasileiro ao fim do ano - quando termina seu contrato de empréstimo -, o goleiro disse ainda não pensar sobre. Porém, quando foi abordada a possibilidade de retorno ao Flamengo um dia, Muralha afirmou ter vontade de melhorar sua imagem:

"É um objetivo de vida meu. Quero, sim, voltar a jogar no Flamengo. Quero dar o meu melhor aqui. Tenho contrato e, caso precise, volto a jogar com a camisa do Flamengo e mostrar o meu valor", disse.

O jogador segue de olho no que acontece em seu país e também no Rubro-Negro. Inclusive, ele acompanhou os últimos dias de sua antiga equipe, comentou sobre os protestos feitos pela torcida e lembrou de quando aconteceu com o próprio:

"Em ano político tudo pode acontecer (...) Estou aqui na torcida pelos meus companheiros. É muito complicado. Eu passei por isso e é muito chato. Você chegar no aeroporto daquela maneira como se fosse um bandido. Você está trabalhando longe dos familiares e filhos. Muito difícil você passar por essas situações", afirmou.

Ao ser questionado sobre um possível alívio ao sair do Flamengo, Muralha falou sobre o lado da segurança, algo que estava em risco enquanto defendia as cores rubro-negras:

"Chegou um momento no Flamengo que estava difícil de eu ir para a rua. Quando eu queria sair de casa tinha que tomar cuidado. Sei que a pressão de jogar no Flamengo é muito grande, mas estava muito difícil para mim. A imprensa estava batendo muito em mim. Qualquer coisa era Alex. Tudo era culpa do Alex", desabafou.

Muralha também comentou sobre as dificuldades do idioma japonês e como está sendo a adaptação ao futebol local:

"Eu consigo entender bem. Falar eu não falo muito, mas entendo bem. A comunicação é muito importante e eu precisei estudar em casa (...) Eu já tinha jogado aqui em 2013 (pelo Shonan Bellmare) e tinha vontade de retornar e jogar aqui de novo. A qualidade de vida é muito boa. A cidade que a gente (Alex e sua esposa) mora é muito frio, mas fora isso é super tranquilo. Estou feliz, adaptado e mais feliz ainda por estar podendo jogar bem de novo", comentou.

Ao falar sobre a qualidade do futebol no país, ele elogiou a estrutura dos clubes e fez comparação com o futebol brasileiro:

"O futebol daqui é um pouco difícil, é muito mais corrido, muito mais dinâmico em relação ao futebol brasileiro (...) A segunda divisão é mais corrida que a primeira divisão. Tanto que alguns jogadores que vêm para cá demoraram para entrar no ritmo. Aqui a estrutura é muito boa. Tem campos de Copa de Mundo", afirmou.

Até então, Muralha tem sete jogos oficiais pelo Albirex Niigata e nove gols sofridos. Seu contrato com o clube japonês vai até 31/12/2018 e ainda não há informações sobre o futuro do jogador após o término do vínculo. Caso não permaneça na equipe, a tendência é de que Alex não volte ao Flamengo e seja emprestado para outra equipe. O jogador de 28 anos foi contratado pela equipe carioca no ínicio de 2016, e se mantém vinculado com o clue até o fim de 2019.

VAVEL Logo
CHAT