Diniz valoriza atuação do Atlético-PR apesar de revés: "Não concordo que equipe fez partida ruim"

Furacão perdeu a primeira em casa depois de 17 jogos; Palmeiras gruda na liderança do Flamengo

Diniz valoriza atuação do Atlético-PR apesar de revés: "Não concordo que equipe fez partida ruim"
Miguel Locatelli/Atlético-PR

No último domingo (06), o Atlético-PR recebeu, na Arena da Baixada, o Palmeiras, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro. O jogo terminou com o placar de 3 a 1 para o time paulista, que marcou com Bruno Henrique, Marcos RochaWillian. Já o Furacão descontou com Pablo. Com a vitória, o Palmeiras assumiu a vice-liderança, com oito pontos. Já o Atlético fica em nono, com cinco pontos ganhos.

Após a partida, o técnico Fernando Diniz concedeu entrevista coletiva, onde analisou a derrota de seu time, mas valorizou a atuação, que, para ele, não foi ruim.

"Eu não concordo que a equipe fez uma partida ruim. No primeiro tempo a gente fez uma partida melhor que o Palmeiras, o primeiro chute que eles deram no gol foi onde saiu o gol. A gente teve umas três ou quatro chances e o Palmeiras não tinha chegado. E depois no segundo tempo quando a gente tava melhor no jogo a gente acabou tomando o segundo gol".

"Existe uma coisa que é o resultado do jogo, depois tem que analisar o jogo em si. A gente teve um jogo muito difícil, contra um adversário muito forte que e o Palmeiras. A gente tem que trabalhar pra melhorar a equipe", completou o técnico do furacão.

Após dois jogos passando em branco, o Atlético-PR voltou a marcar e Fernando Diniz comentou sobre essa situação: "Nesse tipo de questão (volume de finalizações) não tá satisfatório. A gente precisa criar mais. A gente tem que trabalhar pra ser mais agudo, ser mais incisivo, os times contra nós vem pra jogar de uma maneira com foco mais forte na marcação do que pra propor o jogo. A gente sabe que vai ser assim, que os adversários vão nos estudar mais e precisamos criar alternativas pra vencer isso".

O técnico do rubro-negro comentou também sobre a dificuldade imposta pela marcação do Palmeiras ao seu time, que pouco conseguiu produzir no ataque: "A gente podia ter sido mais incisivo. O Palmeiras fez um tipo de marcação diferente daquela que a gente tava acostumado a jogar até então. Existem uns artifícios que a gente pode treinar pra quando acontecer de novo a equipe estar mais solta e mais confiante, para conseguir sair deste tipo de situação".

Gedoz vem sendo pouco utilizado por Diniz no Atlético, e isso se tornou um questionamento a coletiva: "Não vou expor o Gedoz aqui. Não tenho problema pessoal com ele. E nesse momento são os jogadores que estão aí. A resposta quase sempre vai ser a mesma. Se os outros (treinadores) tiveram (problemas), eu não tenho. Eu monto o melhor time".