Artilheiro do Santos na Copa do Brasil, Gabigol diz gostar de jogos decisivos

Atacante que marcou três gols diante do Luverdense, admitiu gostar de jogos decisivos

Artilheiro do Santos na Copa do Brasil, Gabigol diz gostar de jogos decisivos
Foto:  Fábio Lázaro/VAVEL Brasil

Quando o assunto é Copa do Brasil, Gabigol cresce. Artilheiro do Santos na história da Copa do Brasil, com 18 gols, o atacante anotou um hat-trick na vitória do Peixe por 5 a 1 sobre o Luverdense, na Vila Belmiro, na noite da última quinta-feira (10), em jogo de ida da competição.

Gabigol que foi vaiado por alguns torcedores no primeiro tempo do jogo, deu entrevista coletiva nesta sexta-feira (11), no Centro de Treinamento Rei Pelé. 

"É difícil explicar o motivo. É algo que o professor Jair falou, competição curta e várias decisões. Temos que dar o máximo. Se saíssemos com 1 a 0 para eles, seria complicado lá. E 5 a 1 também será complicado para eles, é longe, talvez o campo não seja tão bom. É difícil explicar (sorte na Copa do Brasil), mas pode ser pelas decisões. É decisões eu gosto", disse o camisa 10.

A estreia do atacante na competição foi diante do Grêmio, em 2013, quando ele tinha 16 anos. Depois disso o camisa 10 do Peixe marcou seis gols em 2014 e oito em 2015.

"A Copa do Brasil é uma competição muito importante e me sinto muito honrado de ter colocado meu nome na história dela, sendo artilheiro em duas edições. São números que ficam para a história, valorizam, mas o foco sempre será o titulo. Vamos atrás dele este ano e vamos trabalhar forte para conquistá-lo", ressaltou o atacante.

Durante o primeiro tempo do jogo contra o Luverdense, Gabigol foi um dos alvos das vaias da torcida. 

"Eu sempre fui muito focado nos jogos. No começo, errei algumas bolas, o que é normal, de jogo. A torcida estava um pouco impaciente. Mas sabia que teria mais chances. Pude aproveitar muito bem as chances depois. É normal a falta de paciência depois do jogo contra o Grêmio. Não somos um time que tomamos muitos gols, compacto, certo, mas lá (no Sul)  nada deu certo. São coisas que acontecem", analisou o atacante. 

Segundo Gabriel, que ficou dois meses sem balançar as redes, o apelido de " Gabigol "não traz mais pressão para ele marcar gols. 

"Não pesa (o apelido). Levo numa boa. Foi uma brincadeira que pegou de alguns amigos meus no futsal. Tinha muito Gabriel no time e colocaram esse apelido. Eu coloquei na internet e acabou pegando, então não é algo que pese", garantiu Gabriel. 

  • O Santos volta a campo no próximo domingo (13), diante do Paraná, às 19h, na Vila Belmiro, pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro Série A. O Peixe com um jogo a menos, busca de recuperar da goleada sofrida diante do Grêmio, no último domingo (6).