Tite ressalta favoritismo do Brasil na Copa: "Sabemos nossa responsabilidade"

Comandante ainda falou que a vaga na lateral direita está aberta, os convocados, Fagner e Danilo, terão de disputar a titularidade

Tite ressalta favoritismo do Brasil na Copa: "Sabemos nossa responsabilidade"
Tite já tem a lista dos 35 convocados, mas só divulgou os 23 nomes nesta segunda-feira (Foto: Buda Mendes/Getty Images)

Logo após anunciar os 23 nomes que estarão na Copa do Mundo, o técnico Tite concedeu entrevista coletiva na sede da Confederação Brasileira de Futebol, nesta segunda-feira (14).

+ Fim da espera! Tite anuncia lista de jogadores que buscarão o hexacampeonato na Rússia

Na entrevista com os mais de 100 jornalistas presentes, o comandante da seleção brasileira esclareceu alguns pontos de sua convocação. Com a saída de Daniel Alves, Fagner e Danilo foram os convocados, o que gerou a dúvida de qual deles será titular durante a Copa.

"Na lateral direita, está em aberto. Fagner está em recuperação agora, mas vai estar em condições normais", esclareceu Tite.

Durante as diversas respondidas pelo treinador, uma delas foi sobre os outros 12 selecionados. Os suplentes, que só entraram em caso de corte, não foram divulgados pela comissão técnica, entretanto, Tite já deixou claro que tais nomes estão definidos.

"A outra lista já está feita. Um pouco antes de a gente entrar, conversamos. A última informação do último atleta, com o doutro. A lista de 35 já está feita e fechada também. Agora segue o trabalho, um Mundial, de três a sete jogos. A etapa agora é de preparação. Assim que eu vejo a sequência de trabalho", disse.

Quando questionado sobre o impacto que a ausência de Daniel Alves, um dos pilares do elenco no quesito mental, o técnico foi claro em valorizar o grupo, que deve estar pronto para os obstáculos que aparecem no caminho.

"Sempre coloco que o grupo deve ser forte, preparado e treinado para isso. Todas as vezes que um atleta sai, tem que estar preparado. O Daniel é uma pessoa impressionante. Claro que vamos sentir falta, mas aparecem outros caminhos e oportunidades. Eu fui treinar o Grêmio após ser terceira opção do clube. As oportunidades na vida surgem assim. Vamos ficar muito mais fortes com o Neymar, ele é top três", ressaltou.

Outra pergunta que surgiu ao treinador, foi se ele encara o Brasil como favorito ao título mundial, visto que é o maior campeão do torneio e com mais participações além do crescimento técnico e tático apresentado durante as eliminatórias

"O Brasil é um dos favoritos, sim, pelo futebol apresentado, pela consistência da equipe, com transições rápidas. Cada um coloca sua verdade. Não se trata de ser humilde ou arrogante, mas de ver a verdade. Vamos querer fazer o melhor possível, com cabeça e coração equilibrados, corpo e alma. Faremos tudo para apresentarmos um bom futebol. Uma equipe que vai ter que trabalhar para ser postulante ao título. Sabemos da nossa responsabilidade e temos essa consciência", finalizou