Chape elimina Atlético-MG nos pênaltis e avança pela primeira vez às quartas da Copa do Brasil

Com um jogo pouco movimentado, equipes não saíram do 0 a 0 na etapa regulamentar; O Galo ainda viu Fábio Santos ser expulso no final dos 90 minutos

Chape elimina Atlético-MG nos pênaltis e avança pela primeira vez às quartas da Copa do Brasil
Equipe catarinense se classifica pela primeira vez às quartas (Foto: Divulgação/Chapecoense)
Chapecoense (4)
0 0
Atlético-MG (3)
Chapecoense (4): JANDREI; APODI, THYERE, DOUGLAS, BRUNO PACHECO; AMARAL, MÁRCIO ARAÚJO, CANTEROS (NÁDSON); GUILHERME (LUIZ ANTÔNIO), ARTHUR (BRUNO SILVA), WELLINGTON PAULISTA. TÉCNICO: GILSON KLEINA
Atlético-MG (3): VICTOR; PATRIC, LÉO SILVA, BREMER, FÁBIO SANTOS; ADILSO (LUAN), GUSTAVO BLANCO (ELIAS), CAZARES, OTERO (ERIK), RÓGER GUEDES; RICARDO OLIVEIRA. TÉCNICO: THIAGO LARGHI.

Depois de empatar sem gols na ida, a Chapecoense recebeu o Atlético-MG, na Arena Condá, nesta quarta-feira (16). Contudo, a partida mais uma vez terminou sem gols na etapa regulamentar e caminhou para os pênaltis, onde a Chape bateu o Galo por 4 a 3, com Rafael Thyere fechando a cobrança e dando a classificação aos catarinenses.

Com um primeiro tempo morno, os mineiros levaram superioridade na posse de bola, mas pouco criaram. As jogadas do Atlético se baseavam principalmente pela ponta esquerda, com a individualidade de Roger Guedes, que buscava Ricardo Oliveira dentro do da área.

Já os donos da casa se encolhiam enquanto o Galo ocupava o campo de ataque. Otero arriscou o primeiro chute de fora da área e Jandrei pulou no canto para defender. Do lado da Chape, Wellington Paulista levou perigo em cabeçada, que exigiu defesa providencial do goleiro Victor, que evitou o gol com a ponta dos dedos.

Na segunda etapa, os donos da casa passaram a ser mais ofensivos e deram trabalho para Victor, que defendeu as chances de Guilherme e de Bruno Pacheco. O Atlético, por sua vez, assustou no começo da segunda etapa com Roger Guedes e Ricardo Oliveira, mas pouco desenvolveu durante a partida.

Percebendo o desgaste físico e o excessivo número de faltas, os técnicos promoveram substituições com o objetivo de melhorar o ritmo e a qualidade da partida. Entretanto, as alterações pouco surtiram efeito e o jogo já se encaminhava para as penalidades quando Fábio Santos recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso, após falta em cima Apodi.

Penalidades

A equipe mineira foi quem saiu batendo, entretanto, Ricardo Oliveira parou em Jandrei e na trave. Na quarta cobrança, Roger Guedes foi mais um da equipe visitante que desperdiçou a cobrança, isolando a bola por cima do gol.

Precisando defender a penalidade para manter o Atlético na disputa, Victor defendeu o pênalti seguinte, de Bruno Pacheco. Cazares, ainda converteu a quinta cobrança, mas Rafael Thyere só precisava fazer para classificar a Chapecoense. O zagueiro bateu, Victor ainda encostou na bola, mas viu a redonda morrer dentro do gol, para o delírio dos 8.500 torcedores presentes na Arena Condá, em Santa Catarina.

Agora, a Chapecoense aguarda o adversário das quartas de final que será definido por sorteio. No Brasileirão, os catarinenses enfrentam o Internacional, no Beira-Rio, na segunda-feira (21). Já o Atlético-MG, volta a focar suas atenções somente ao Campeonato Brasileiro e tem parada dura no sábado (19), em clássico mineiro contra o Cruzeiro, fora de casa.