Ex-Figueirense, zagueiro Marquinhos é apresentado no Avaí: "Um novo ciclo"
Marquinhos pousou ao lado do presidente do Avaí, Francisco Battistotti (Foto: Divulgação/Avaí FC)

Ex-Figueirense, zagueiro Marquinhos é apresentado no Avaí: "Um novo ciclo"

Defensor de 35 anos atuou no Furacão entre 2014 e 2017 e agora chega para suprir uma necessidade no elenco avaiano; Jogador não atua desde novembro de 2017

bruno-da-silva
Bruno da Silva

Avaí confirmou nesta quarta-feira (23) a contratação do zagueiro Marquinhos, 35 anos, que atuou entre 2014 e 2017 no rival Figueirense. O defensor, que não acertou sua renovação com o Alvinegro após o fim do ano passado, está atuar desde o último mês de novembro e vinha aprimorando a forma física e técnica em um centro de treinamento em Palhoça.

A destacada passagem pelo Figueirense, onde fez mais de 100 jogos e conquistou o Catarinense em 2014, foi o principal tema da coletiva de imprensa de apresentação de Marquinhos. O zagueiro valorizou sua trajetória no Alvinegro, mas se disse pronto para uma nova página na carreira.

"Não posso negar, não vou ser hipócrita. Tenho uma história lá, mas ficou, faz parte do passado. É um novo ciclo que inicia na minha carreira e em um grande clube. Podem ter certeza, não será com palavras que vou agradar alguém. É com o trabalho dentro de campo", assegurou.

O anúncio da contratação do jogador foi muito discutido nas redes sociais, com manifestações das duas torcidas. Marquinhos avaliou essa situação como normal e espera mostrar dentro de campo o valor pelo novo clube.

"Entendo o lado do torcedor, não posso julgar ninguém. É dentro de campo que vou trabalhar humildemente no dia a dia aqui, é nos jogos que vou estar provando. O jogador quanto menos falar, é melhor. Não adianta falar palavras bonitas para o torcedor, eles podem até ficar satisfeitos ou não, mas é dentro de campo. Venho para agregar com os companheiros em busca do objetivo. Não decepcionarei aos que acreditaram em mim", garantiu.

O Avaí postou nas redes sociais uma foto do ídolo do clube, Marquinhos, com o novo zagueiro, que agora terá um 'Silva' acrescentado para questões burocráticas. O defensor tratou com naturalidade o novo nome artístico.

"A troca de nome é o menor dos problemas. Primeiro que estou chegando agora, não posso sentar na janela. Ele (Marquinhos) é ídolo, tem história bonita dentro do clube. Pode colocar o nome que for. Quero estar dentro de campo. Questão do nome é pura vaidade. Todos me conhecem pelo meu nome. Até para a imprensa pode facilitar", disse.

Sem atuar desde novembro, Marquinhos Silva continuou se preparando para quando surgisse uma oportunidade. O zagueiro explicou que cuidados serão tomados antes de sua estreia.

"Vou fazer avaliações. Nunca tive uma pré-temporada tao longa, foram quatro meses trabalhando, fazendo físico e no campo também. Com a idade que tenho, treinar muito não vale. Tem que ter o cuidado de dosar, saber lidar. Quero treinar com o grupo logo e estar mais rápido possível", enfatizou.

O contrato do zagueiro está baseado numa relação de produtividade, até por conta dos últimos meses do jogador de inatividade. Marquinhos Silva minimizou esse fato e afirmou que o principal objetivo é voltar a jogar futebol.

"Desde o início da conversa não pensei no lado financeiro. Deixei claro que queria voltar a trabalhar. Optamos por essa forma. Começar os jogos, dependendo do número de jogos, sentar e conversar novamente. Hoje, quando assinamos o contrato, nem olhei. Não estou preocupado mesmo. Só quero trabalhar, estava quatro meses sem poder fazer o que amo, depois de 18 anos é muito difícil. A parte financeira não pesou, simplesmente o prazer de ter a porta aberta", explicou.

Marquinhos terá um 'Silva' adicionado e usará a #33 no Avaí (Foto: Divulgação/Avaí FC)
Marquinhos terá um 'Silva' adicionado e usará a #33 no Avaí (Foto: Divulgação/Avaí FC)

No fim de 2017, Marquinhos foi punido pelo STJD de doping por uso de asteroides em uma partida em novembro de 2016 entre Figueirense e Chapecoense pela Série A. O jogador cumpriu uma punição preventiva de 30 dias durante o ano passado, e foi condenado em 14 meses posteriormente em novembro. O julgamento final foi em março, e Marquinhos foi absolvido dado que o tribunal avaliou que as amostras do exame tinham sido trocadas e seriam de outra pessoa.

"Momento mais difícil não só da carreira, mas como pai. Minha filha de 11 anos já entende bem. Não só o fato de provar uma injustiça que estava manchando meu nome, sempre frisei isso, meu caráter e minha carreira. Sempre falei que ia até o fim. Era o meu caráter, não era dinheiro nenhum. Complicado. Ontem recebi um abraço da minha filha. Abraço verdadeiro, felicidade no rosto dela. Me dá mais gás de voltar a trabalhar. Mostrar que o pai deles passou por uma grande dificuldade, venceu e vai voltar a trabalhar", contou.

VAVEL Logo

    Avaí Futebol Clube Notícias

    há 3 dias
    há 9 dias
    há 10 dias
    há 11 dias
    há 15 dias
    há 23 dias
    há 23 dias
    há 24 dias
    há um mês
    há um mês
    há um mês