Figueirense goleia, tira invencibilidade do CSA como mandante e entra no G-4

Catarinenses apresentaram muita eficiência ao aproveitar as brechas defensivas e emenda recuperação na Série B

Figueirense goleia, tira invencibilidade do CSA como mandante e entra no G-4
Morgana Oliveira/RCortez/CSA
CSA
1 4
Figueirense
CSA: Alexandre Cajuru; Celsinho, Leandro Souza, Roger e Rafinha; Edinho e Ferrugem (Hugo Cabral, min. 74); Niltinho, Daniel Costa (Taiberson, min. 81) e Didira; Walter (Michel Douglas, min. 60). Técnico: Marcelo Cabo.
Figueirense: Denis; Diego Renan, Cleberson, Nogueira e João Lucas; Pereira e Zé Antônio; Gustavo Ferrareis, Renan Mota (Juninho, min. 74) e Jorge Henrique (João Paulo, min. 90); Henan (André Luís, min. 81). Técnico: Milton Cruz.
Placar: 0-1, Renan Mota, min. 4. 1-1, Didira, min. 13. 1-2, Jorge Henrique, min. 52. 1-3, Henan, min. 55. 1-4, André Luís, min. 89.
ÁRBITRO: Thiago Duarte Peixoto (SP), auxiliado por Anderson José de Moraes Coelho (SP) e Bruno Salgado Rizo (SP) | Cartões amarelos: Niltinho (CSA, min. 37), Roger (CSA, min. 75), Edinho (CSA, min. 79)
INCIDENCIAS: Partida válida pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro da Série B 2018, disputada no Estádio Rei Pelé, em Maceió/AL

O fator casa dessa vez não foi suficiente. O torcedor azulino voltou a comparecer em bom número e manter a boa média de público no Estádio Rei Pelé, mas o CSA não correspondeu. Em jogo válido pela abertura da sétima rodada do Campeonato Brasileiro da Série B 2018, disputada na noite desta terça-feira (22), o Figueirense emendou a segunda vitória consecutiva na competição nacional ao golear por 4 a 1. Renan Mota, Jorge Henrique, Henan e André Luís marcaram os gols do Figueira, enquanto Didira descontou ao Azulão.

Pronto para fazer valer o mando de campo, o CSA partiu para o ataque desde o primeiro rolar da bola, com os laterais em avanço simultâneo ao ataque. Dominante no começo da partida, o time sofreu um duro golpe na primeira oportunidade do adversário. Aos quatro minutos, Gustavo Ferrareis passou pela marcação, avançou e chutou cruzado na trave. Na sobra, Renan Mota teve o simples trabalho de empurrar e abrir o placar. Apesar de estar em desvantagem, o Azulão não sentiu o gol e manteve o ímpeto ofensivo, empurrado pelo torcedor. Primeiro com Ferrugem, mas errou o alvo. Em seguida, um golaço. Aos 13 minutos, Didira arriscou de longe e emendou um lindo chute – que contou com o desvio da marcação – para empatar o jogo.

Como a estratégia, o esquema tático e o estilo de jogo das duas equipes eram semelhantes, o jogo permaneceu aberto. Mesmo com menos posse de bola, os catarinenses eram rápidos em armar jogadas e finalizar, principalmente com Jorge Henrique, responsável pela velocidade e toque de bola qualificado. Por outro lado, os azulinos chegavam principalmente pela lateral-direita, mas não conseguiam assustar o goleiro Denis.

Morgana Oliveira/RCortez/CSA

O segundo tempo começou da mesma forma que o primeiro. O CSA foi ao ataque e o lateral-esquerdo Rafinha teve duas oportunidades. Na primeira, emendou de longe em cobrança de falta e Denis espalmou. Em seguida, aproveitou sobra na pequena área e tirou tinta da trave. Quando o Figueirense deu o troco, foi cruel. Aos sete minutos, João Lucas cruzou da esquerda e Jorge Henrique se abaixou para recolocar o Figueira na frente do placar. Aos 10, a situação ficou ainda melhor aos visitantes. Nova falta de compactação resulta em troca de passes. Henan recebeu após triangulação e tocou na saída de Alexandre Cajuru para marcar o terceiro.

Todas as vezes que os catarinenses atacavam era um tormento. Completamente insegura, a defesa do CSA não apresentava a mesma consistência e eficiência. Com a excelente vantagem aberta, o Figueirense se preocupou em fortalecer o setor de marcação. Os gols esfriaram o jogo e os donos da casa sentiram o revés. Apesar de ter mais posse de bola, vários erros e finalizações mal concluídas resultaram na primeira derrota azulina dentro de casa. Nos minutos finais, Gustavo Ferrareis chutou forte e a bola bateu na mão de Leandro Souza. A arbitragem marcou penalidade máxima. Na cobrança, André Luís bateu bem e definiu o placar da partida.

O resultado coloca o Figueirense provisoriamente no G-4. O Figueira ocupa temporariamente o quarto lugar, com 12 pontos ganhos. Por outro lado, o CSA segue na segunda posição, com 15 pontos. As equipes voltam a entrar em campo na próxima semana. O Figueirense enfrenta o São Bento no Estádio Walter Ribeiro, em Sorocaba/SP, às 19h15 da terça-feira (29). O CSA irá medir forças contra o Vila Nova no Serra Dourada, em Goiânia/GO, às 20h30 da sexta-feira (1º).