Recordar é viver: há dez anos Fluminense eliminava Boca Juniors no Maracanã

Pela primeira vez o Tricolor estava numa final de Libertadores

Fluminense
3 1
Boca Juniors
Fluminense: FERNANDO HENRIQUE; GABRIEL, THIAGO SILVA, LUIZ ALBERTO, JUNIOR CÉSAR; YGOR (DODÔ), AROUCA, DARÍO CONCA; WASHINGTON (ROGER).
Boca Juniors: MIGLIORE; HUGO IBARRA, GABRIEL PALETTA, CLAUDIO MOREL RODRÍGUEZ (MAURO BOSELLI), SEBASTIAN BATTAGLIA, FABIAN VARGAS (LEDESMA), JESÚS DÁTOLO (CRISTIAN CHAVEZ), RIQUELME; RODRIGO PALACIO, MARTÍN PALERMO
Placar: 0-1, MIN 12, MARTÍN PALERMO. 1-1, MIN 18, WASHINGTON. 2-1, MIN 25, DARÍO CONCA. 3-1, MIN 48, DODÔ
ÁRBITRO: Carlos Torres (PAR) Emigdio Ruiz (PAR) Manuel Bernal (PAR)
INCIDENCIAS: LIBERTADORES DA AMÉRICA 2008

No dia 4 de junho de 2008, há exatos dez anos, o Fluminense vencia de virada o Boca Juniors pelo placar de 3 a 1. Mais uma partida emocionante e inesquecível da campanha do Tricolor na Libertadores e que não terminou em título por muito pouco.

Como o Fluminense terminou em primeiro lugar na classificação da primeira fase, ganhou o direito de decidir todas as fases seguintes em casa. Logo, o jogo de ida foi disputado em Buenos Aires e o Fluminense já começava o jogo de volta com uma ótima vantagem, pois empatou com os argentinos lá em 2 a 2, com gols de Thiago Neves e Thiago Silva.

O primeiro tempo terminou em 0 a 0, mesmo com as oportunidades criadas pelos dois times, principalmente o argentino, que estava em busca do bicampeonato na competição. E esbarravam nas ótimas defesas do goleiro Fernando Henrique, que viveu naquele ano a melhor fase de sua carreira.

O Boca Juniors abriu o placar aos 12 do segundo tempo, com Palermo, após jogada que começou com Dátolo. Mas nem o gol foi capaz de abalar o time e nem a torcida presente no estádio. E após seis minutos veio o gol de empate, com Washington, de falta com bastante perfeição.

O empate já dava a classificação para o Fluminense, devido ao critério de gol fora de casa, mas o Tricolor queria mais. E aos 25 veio a virada com Conca. O argentino arriscou um chute que desviou em Ibarra e entrou no gol de Migliore.

Aos 48, para fechar com chave de ouro, veio o gol de Dodô, que aproveitou uma bobeada de Palácio no campo de defesa e fez o terceiro do Fluminense. E pela primeira vez o Tricolor chegava a uma final de Libertadores, para a alegria de todos os tricolores, os que estavam e os que não estavam presentes nessa noite épica.