Dourado desencanta, Flamengo vence Fluminense e aumenta vantagem na liderança

No quarto triunfo seguido do Rubro-Negro na competição, Dourado e Vizeu marcam, equipe da Gávea vence o clássico por 2 a 0 e abre cinco pontos na liderança

Dourado desencanta, Flamengo vence Fluminense e aumenta vantagem na liderança
(Foto: Staff Images/ Flamengo)
Fluminense
0 2
Flamengo
Fluminense: Júlio César; Renato Chaves (Pablo Dyego (Robinho)), Gum e Luan Peres; Gilberto, Jadson, Richard, Douglas e Marlon; Sornoza (Matheus Alessandro); João Carlos. Técnico: Abel Braga
Flamengo: Diego Alves; Rodinei, Léo Duarte, Rhodolfo (Matheus Thuler) e Renê; Cuéllar; Marlos Moreno (Jean Lucas), Éverton Ribeiro, Lucas Paquetá e Vinícius Júnior; Henrique Dourado (Felipe Vizeu). Técnico: Maurício Barbieri
Placar: Henrique Dourado (29'1ºT - 0 x 1) e Felipe Vizeu (33'2ºT - 0 x 2)
ÁRBITRO: Dewson Fernandes Freitas (PA) | Cartões amarelos: Marlon, Gilberto e Matheus Alessandro (FLU) / Lucas Paquetá e Renê (FLA)

Pela 10ª rodada do Brasileirão, Fluminense Flamengo se enfrentaram no Mané Garrincha, com o maior público do campeonato (60 mil torcedores). Em grande fase, o Rubro-Negro venceu por 2 a 0, gols de Henrique Dourado - que acabou com um longo jejum sem marcar - e Felipe Vizeu.

Com o resultado, os comandados de Maurício Barbieri venceram a quarta partida seguida no torneio e foram para 23 pontos, abrindo cinco para o Sport, vice-líder. O próximo compromisso do Rubro-Negro será contra o Paraná, no Maracanã. Já o Fluminense permanece com 14 pontos, e cai para a 10ª posição. Na próxima rodada, o Tricolor enfrentará o Atlético-MG, em Belo Horizonte.

A partida começou com o Fluminense tendo a primeira chance, após bate e rebate, mas Gilberto isolou. Melhor tecnicamente, o Flamengo passou a tentar atacar, mas esbarrou nos erros de passes nos minutos iniciais. A primeira chance do Rubro-Negro quase veio aos 6, após tabela de Marlos e Éverton, mas o colombiano cruzou para ninguém da equipe da Gávea na área.

A melhor chance rubro-negra veio após uma linda jogada de Vinicius Junior, mas o cruzamento não encontrou Léo Duarte e a boa passou perto do gol. A blitz do Flamengo continuou, e o camisa 20 quase abriu o placar com um chute de fora da área, onde Julio Cesar fez boa - e estranha - defesa. Aos poucos, o Fluminense foi tentando voltar a tentar atacar, mas não encontrou espaço na defesa rubro-negra.

Aos 26, Éverton Ribeiro cruzou, Paquetá desviou na primeira trave, Marlos se antecipou ao Marlon, e foi derrubado. Com o pênalti marcado, e o cartão mostrado para o lateral tricolor, Henrique Dourado cobrou com maestria e voltou a marcar após nove partidas de jejum, Flamengo 1 a 0. Logo depois, Vinicius e Renê forçaram duas grandes defesas de Julio Cesar. 

Após o gol, o Rubro-Negro seguiu melhor, especialmente com os jovens Paquetá e Vinicius, mas a partida ficou extremamente violenta, dos dois lados, com entradas fortes e desnecessárias. No fim do primeiro tempo, o Flamengo teve um excelente contra-ataque, puxado por Rodinei, e Vinicius Junior forçou uma grande defesa de Julio Cesar. Aos 46, Gilberto teve uma boa oportunidade, mas Diego Alves impediu o gol tricolor.

Abel mexeu duas vezes na equipe para o segundo tempo: colocando Matheus Alessandro e Pablo Dyego, e tirando o esquema com três zagueiros, mostrando que buscava o gol. A primeira chance foi do Tricolor, com Jadson que driblou dois rubro-negros e chutou para boa defesa de Diego Alves. Na velocidade dos pontas, o Flamengo tentou responder mas só conseguiu com Marlos aos 9, e Julio Cesar pulou bonito para defender. Na sequência, Douglas arriscou e Diego Alves segurou firme.

Esperando o contra-ataque, Barbieri trocou o cansado Marlos Moreno por Jean Lucas. Mas sem Pablo Dyego, que saiu machucado, o Fluminense não conseguiu agredir até a metade da segunda etapa. Com paciência, o Rubro-Negro chegou com perfeição ao gol, aos 33: em jogada iniciada na defesa, Rodinei tocou para Éverton Ribeiro, que tabelou com Paquetá, e tocou com açúcar para Vizeu driblar Julio Cesar e ampliar, 2 a 0.

Depois do gol, a partida ficou mais nervosa, e o árbitro Dewson Freitas teve problemas para controlar os ânimos dos jogadores, que fizeram faltas duras. No banco de reservas, Abel Braga e Maurício Barbieri também reclamaram demais. Mas a partida se encaminhou até o apito final, sem mais nenhuma grande chance de perigo, apesar da pressão final do Fluminense em busca do gol de honra. O Rubro-Negro abriu cinco pontos para o segundo colocado, e engatou a quarta vitória seguida.