Próximo de renovação com Vasco, Wagner espera um contrato longo: “Entre três e dois anos”

Jogador espera conseguir ratificar vínculo até fim da Copa do Mundo

Próximo de renovação com Vasco, Wagner espera um contrato longo: “Entre três e dois anos”
(Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br)

Meia do Vasco da Gama, Wagner está bem próximo de uma renovação com o clube carioca. O jogador pensa em duas ou três temporadas para poder assinar novo contrato com o clube. Conversas com Alexandre Campello, presidente do Gigante da Colina, animaram o jogador. 

Wagner crê que até antes do término da Copa haja um acordo, já que a cúpula cruz-maltina acenou positivamente para sua permanência e o que resta ser acertado são apenas os números do novo contrato. 

“O André (Souza, supervisor), o PC (Gusmão, coordenador técnico) e o presidente já acenaram que querem que eu continue. Já estão quase fechando o tempo de contrato, agora só falta acertar os números. Creio que até antes dessa Copa a gente consegue resolver”, contou. 

A prioridade do Vasco é reforçar o elenco para que Jorginho tenha boas condições e peças para ajustar a equipe para o decorrer da temporada, e uma renovação não deve ser problemas. 

Se sentindo à vontade, o camisa 20 crê em um contrato longo para, quem sabe, até virar carioca: “O que queria era quatro anos de contrato. Creio que entre três e dois anos deve ser o ideal para as duas partes. Estou em casa. Mais um ou dois anos eu viro carioca. Quem sabe esse contrato venha com três anos e eu já não vire carioca?”

Wagner não tem tido vida fácil para acertar esse vínculo com o clube. É o terceiro departamento que ele pega para tentar concretizar o contrato. Antes, Fred Lopes, Paulo Pelaipe e Newton Drummond não conseguiram ratificar. A esperança é que o nodo diretor de futebol, Alexande Faria, dê fim à trama. 

“Foi uma loucura (risos). Conversa com o Fred, ele sai. Conversa com o Pelaipe, ele sai. Com o Chumbinho, ele sai. Conversa com o PC e o André, aí chega o Alexandre. Ainda vou ter que conversar com o Alexandre, porque ele vai ser o responsável. Foi ele que me subiu no América-MG com 17 anos. É um cara sério, profissional e ganhador”.