Criciúma sai na frente, mas Figueirense busca empate em duelo catarinense na Série B

Tigre dominou primeiro tempo e abriu o placar, mas pressão alvinegra funcionou na etapa final e placar ficou no 1 a 1

Criciúma sai na frente, mas Figueirense busca empate em duelo catarinense na Série B
Foto: Caio Marcelo/www.criciuma.com.br
Criciúma
1 1
Figueirense
Criciúma: Luiz; Sueliton, Nino, Fábio Ferreira, Marlos; Marlon Freitas (Jean Mangabeira, min. 15/2ºt), Eduardo, Élvis (Alex Maranhão, min. 36/2ºt), Luiz Fernando (Andrew, min. 36/2ºt); Vitor Feijão, João Paulo. Técnico: Mazola Júnior
Figueirense: Denis; Diego Renan (Felipe Amorim, min. 28/2ºt), Nogueira, Cleberson, Guilherme Lazaroni; Pereira (Matheus Sales, min. 14/1ºt), Zé Antônio; Renan Mota, João Paulo (Juninho, min. 23/2ºt), Gustavo Ferrareis; André Luis. Técnico: Milton Cruz
Placar: 1-0, min. 30/1ºt, João Paulo. 1-1, min. 31/2ºt, Nogueira
ÁRBITRO: Vinicius Furlan, auxiliado por Herman Brumel Vani e Luiz Alberto Andrini Nogueira, todos em SP. Amarelo: João Paulo, Marlon, Luiz Fernando (CRI); Nogueira, Renan Mota, Matheus Sales (FIG)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 14ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2018, no Estádio Heriberto Hülse, em Criciúma, SC. Público total: 2.528 torcedores; Renda: R$ 50.930,00

Em mais um duelo catarinense na Série BCriciúma Figueirense, em pontas diferentes da tabela, empataram em 1 a 1, pela 14ª rodada. João Paulo abriu o placar para o Tigre em um bom primeiro tempo dos mandantes, mas Nogueira fechou o placar para o Alvinegro, que pressionou em busca do resultado na etapa final.

O início de jogo foi positivo para o Criciúma. Com grande influência de João Paulo, o Tigre teve o domínio territorial e a maioria das chances da primeira etapa. Aos 12, o atacante teve espaço na entrada da área, finalizou forte e exigiu primeira boa intervenção de Denis. Quatro minutos depois, Vitor Feijão aproveitou roubada de bola de Eduardo na entrada da área, arriscou chute no canto e parou em defesa segura do goleiro do Figueirense.

Aos 17, João Paulo percebeu o goleiro adiantado e arriscou chute praticamente da meia-lua, mandando perto do gol alvinegro. O Figueirense só conseguiu fugir da pressão carvoeira aos 26. Em rápida cobrança de lateral de Diego Renan, Ferrareis avançou rápido pela direita e bateu no canto, mas parou em Luiz.

Porém, em um momento de esperança para o Figueirense no jogo, o Criciúma finalmente conseguiu buscar seu gol. Aos 29, em arrancada espetacular pelo meio, João Paulo deixou Cleberson para trás com um drible de corpo, saiu de frente para o gol e deixou Denis no chão para só empurrar para as redes: Tigre 1 a 0.

O Criciúma conseguiu administrar bem sua posição à frente do placar e pouco foi assediado na reta final da primeira etapa. E quase ainda ampliou. Aos 43, Vitor Feijão recebeu com espaço na entrada da área e arriscou chute forte, mas a bola foi por cima do gol de Denis.

Já nos acréscimos, por pouco o Figueira não buscou o gol em uma jogada fortuita. No último lance do primeiro tempo, Renan Mota recebeu nas costas da defesa e saiu com espaço na entrada da área. O meia do Figueirense avançou com espaço, mas foi travado, na bola, por Luiz na entrada da área e foi ao chão pedindo falta, mas foi ignorado pelo árbitro.

Com uma postura diferente na segunda etapa, o Figueirense mudou o panorama do jogo. Subindo suas linhas de marcação e aproveitando-se de um rival mais resguardado, o Alvinegro se lançou em busca do empate. Logo aos três, após cruzamento de Lazaroni da esquerda, André Luis apareceu com espaço no meio da área e cabeceou no contrapé de Luiz, mas mandou à direita do gol.

O Criciúma conseguiu uma chegada aos 13. Élvis recebeu cruzamento de de Vitor Feijão no meio da área e finalizou na direção do gol, mas a zaga do Figueira apareceu no meio do caminho para interceptar. Mas foi o Figueirense que continuou em cima. Aos 19, Nogueira ficou com rebote da cobrança de escanteio, limpou João Paulo e bateu de canhota, mas Eduardo apareceu em cima da linha para evitar o empate.

O técnico Milton Cruz fez alterações ofensivas, trocando João Paulo e Diego Renan por Juninho e Felipe Amorim, abrindo mão de um lateral-direito, e aumentando ainda mais a ofensividade do time, que continuou pressionando. Aos 21, Lazaroni recebeu com espaço pela esquerda, cruzou forte para o meio da pequena área e André Luis se esticou para finalizar, mas pegou fraco e mandou à esquerda.

O Figueirense construiu para conseguir a igualdade, e foi recompensado na bola parada. Aos 30, em cobrança de falta na quina da área, Felipe Amorim colocou na segunda trave e Nogueira, mesmo caindo, se esticou para finalizar e empatar em Criciúma: 1 a 1. Dois minutos depois, aproveitando a instabilidade do Tigre, por pouco não virou. Dois minutos após o gol marcado, Ferrareis recebeu com espaço pela direita, cruzou para a área e André Luis tentou dominar, mas a bola acabou sobrando para Juninho chegar batendo, mas parou em ótima saída de Luiz.

Com o empate, o técnico Mazola Júnior colocou Alex Maranhão e Andrew nas vagas de Élvis e Luiz Fernando, e o Criciúma conseguiu assustar. Aos 38, Alex Maranhão de Vitor Feijão na entrada da área, ajeitou para o pé esquerdo e finalizou forte, perto do ângulo esquerdo de Denis. Poucos segundos depois, foi a vez de Marlon receber com espaço e chutar cruzado, porém, outra vez a bola passou próxima ao gol, mas não acertou a meta de Denis e a partida terminou em 1 a 1.

Com 13 pontos, o Criciúma permanece na zona de rebaixamento: 18º colocado. Já o Figueirense perde a chance de entrar no G-4 e chega aos 22 pontos, em sexto lugar, um ponto atrás do grupo de acesso.

O Criciúma volta a campo na sexta-feira (13) para enfrentar o Goiás, em Goiânia, às 20h30. Antes, na segunda-feira (9), o Figueirense joga diante do seu torcedor contra o Oeste, também às 20h30.