Anderson Barros comenta sobre atraso de salários no Botafogo, mas evita justificar derrotas
(Foto: Botafogo / Divulgação)

O gerente de Futebol do Botafogo, Anderson Barros, apareceu na sala de imprensa e concedeu entrevista coletiva na tarde desta terça-feira (23), dois dias após a derrota no clássico contra o Flamengo, no Maracanã. O Gerente achou mais prudente que ele estivesse falando algo nos microfones do que algum atleta, após a equipe botafoguense vir de duas derrotas no período pós-Copa.

Alguns dos principais assuntos tratados por Anderson Barros durante a coletiva foram: as dificuldades financeiras do clube, evolução da equipe nos últimos dois jogos, possíveis saídas de jogadores e o comportamento do atacante uruguaio Aguirre, que lidera a estatística de cartões vermelhos no campeonato, com cinco cartões amarelos e duas expulsões em nove partidas e nenhum gol marcado. Porém, o tema principal discorrido por ele, foi a situação do goleiro Jefferson, que se lesionou contra o Flamengo.

Barros iniciou a entrevista comentando a nada confortável situação financeira do Botafogo, que segundo ele mesmo, já não é nenhuma novidade, mas que não pode ser usada como justificativa para resultados negativos.

"O mais importante é termos consciência sim de que a situação financeira é delicada. Mas o futebol não pode ficar atrás disso. Temos que entender que é um momento que o clube vive. E não é de hoje. Temos dificuldades para contratar? Temos, mas não podemos nos justificar o tempo inteiro atrás de uma situação financeira. Situação que a gente já vem administrando há alguns anos. Situação que temos capacidade de administrar"

O Gerente de Futebol falou também sobre salários atrasados."Botafogo pagou os salários de maio, tanto dos atletas quanto dos funcionários. Temos a pendência do mês de junho sim. Normalmente o Botafogo paga até o dia 10. Temos a necessidade de quitar com atletas e funcionários."

Anderson Barros falou também do desempenho do time no retorno do Brasileirão pós Copa do Mundo e viu evolução da equipe, apesar das duas derrotas. Porém deu ênfase a necessidade por resultados positivos nos próximos jogos.

"O Botafogo é isso. Nosso torcedor cobra, nosso torcedor sente, e isso faz parte. Sabíamos que na volta da Copa tínhamos dois jogos complicados por natureza. Jogamos com o Corinthians na casa deles e jogamos com o Flamengo como mandante no Maracanã. Time se portou bem contra o Corinthians tendo tomado gol no início, como aconteceu contra o Flamengo.  O jogo com o Flamengo era extremamente perigoso. Se o adversário faz mais um, já viraria uma goleada. Temos um jogo quinta-feira com a Chapecoense, temos jogo com o Inter, em Porto Alegre, e o primeiro da próximos fase Sul-Americana. Temos obrigação de buscar bons resultados."

Sobre a venda de atletas para ajudar a fechar as contas do clube, Anderson Barros não descartou a possibilidade de que em algum momento venha a acontecer.

"Há um planejamento, há uma necessidade de negociação, mas o Botafogo precisa entender o mercado. Matheus Fernandes e Igor Rabello, que têm normalmente seus nomes veiculados, vão acabar acontecendo em algum momento caso não aconteçam agora (negociação). E outros jovens também."

Quanto ao atacante Rodrigo Aguirre, o diretor do Alvinegro evitou as críticas sobre o atual desempenho e estatísticas do  uruguaio, pontuando que é necessário compreender o momento do atleta para ter um bom rendimento do jogador.

"Contra o Corinthians, acho que quando ele tomou o amarelo já poderia ter recebido o vermelho. Contra o Fla, acredito que poderia ter tomado só amarelo. O mais importante é que precisamos entender que Aguirre é um jovem. Foi um investimento que o clube fez, e precisamos tirar o retorno dele. Precisamos entender para tirarmos o melhor dele. Tem 23 anos, está se dedicando. Não está conseguindo render, mas acho que precisamos de um pouco de equilíbrio para entender o momento. Sabemos que ele tem qualidade e precisamos entender uma forma de tirar dele a melhor posição técnica."

Sobre o  ídolo do clube, Jefferson, Anderson Barros deu detalhes da lesão sofrida pelo goleiro após o choque com Lucas Paquetá, no segundo gol do Flamengo, e do período de recuperação pelo qual o atleta terá de passar.

"Jefferson teve fratura da cartilagem na traqueia, posso estar errando algum termo técnico. Ele vai ser submetido hoje a mais uma tomografia. Foi uma situação muito complicada. A nova tomografia será feita para que os médicos tenham uma noção maior do fato".

Em boletim oficial, o Botafogo informou que o goleiro sofreu um trauma na região anterior do pescoço com uma pequena fratura da cartilagem tireoide, e edema de cordas vocais. 

"Jefferson está fora de quinta-feira e do jogo de domingo. Lógico que quem tem de falar isso são os médicos. Mas, pelo que conversei com eles, o Jefferson deve ter pelo menos de seis a 10 dias de recuperação", confirmou Barros.

Com a lesão de Jefferson, a responsabilidade de defender o gol alvinegro fica por conta do jovem Saulo, já que Gatito Fernandez, que vinha sendo titular, também está lesionado e já não joga uma partida oficial desde a 2ª rodada do Brasileirão, contra o Sport. Anderson Barros finalizou a coletiva comentando a atuação do goleiro diante do Flamengo e mostrando que tem confiança no goleiro de 23 anos formado nas categorias de base do Botafogo

"Botafogo tem dois grandes goleiros. O Saulo é um garoto nosso. Entrou aos sete e oito minutos contra o Flamengo e perdendo por 2 a 0 no Maracanã. Mostrou muita tranquilidade. Foi uma grande surpresa para nós apesar de o acompanharmos o dia a dia dele. Logicamente esperamos que Gatito e Jefferson se recuperem logo, mas podemos contar com o Saulo. Menino que tem nos mostrado no dia a dia da sua qualidade. O parecer do Flavio Tênius é fundamental. São sempre elogios. Fiquem tranquilos que o Saulo está pronto. Já falamos disso quando o Jefferson tratava da aposentadoria. Flávio (Tenius, preparador de goleiros) sempre nos disse: "O Saulo está pronto". O Botafogo pode ficar tranquilo se o Saulo tiver que ficar por algum tempo"

VAVEL Logo