Análise: como chega o Palmeiras para as quartas de final da Copa do Brasil?
O Palmeiras segue com muitas dúvidas por parte da torcida (Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)

Análise: como chega o Palmeiras para as quartas de final da Copa do Brasil?

No dia 1º de agosto, Palmeiras viaja até Salvador para enfrentar oBahia; ainda existem muitas dúvidas da torcida sobre time

vv_cunha
Victor Cunha

Qual o Palmeiras que chega para a Copa do Brasil? A pergunta tem uma certa pertinência mesmo. O time alviverde tem como objetivo para o ano de 2018, devido aos altos investimentos, gastos e jogadores de peso no elenco, ganhar títulos. Para isso o time ainda precisa melhorar algumas partes de seu time e esquema de jogo.

Bruno Henrique, grande destaque da equipe palmeirense nessa temporada (Foto: Cesar Greco/SE Palmeiras/DIvulgação)
Bruno Henrique, grande destaque da equipe palmeirense nessa temporada (Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)

Críticas ao técnico Roger Machado, muito por parte da torcida, vem desde o 1º semestre, onde o time chegou à final do Campeonato Paulista, perdendo a final para seu arquirrival Corinthians, e passou em primeiro lugar de seu grupo na Libertadores. Na Copa do Brasil o time passou para as quartas de final após vencer o América Mineiro, em Minas por 2 a 1 e empatar por 1 a 1, no Allianz Parque.

O primeiro jogo do Palmeiras na fase quartas de final da Copa do Brasil acontece no dia 1º de agosto, onde o time viaja até a Bahia, para enfrentar o Esporte Clube Bahia. Para esse jogo, o time chega após 4 jogos depois da parada para a Copa do Mundo e a torcida espera melhorias no jogo, esquema e intensidade da equipe.

Para começar a projetar o Palmeiras que chega na Bahia, devemos olhar a escalação base da equipe: Weverton, Marcos Rocha, Antônio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Lucas Lima (Moisés); Gustavo Scarpa, Dudu e Willian. O time atual tem algumas mudanças em relação ao time que começou a temporada.

Weverton agora é o goleiro titular da equipe. Gustavo Scarpa tomou o lugar de Keno, que foi vendido para o Egito e, com o artilheiro da equipe, Borja, lesionado, Willian figura como titular.
Este time tem apresentado um futebol de toque de bola, onde seus pontas, por serem mais meias do que atacantes, acabam caindo mais pela faixa central do campo, o que gera jogadas mais criadas pelo meio e não pelas beiradas. Felipe Melo cobre as subidas do laterais, com ajuda de Bruno Henrique, este que também vem crescendo muito, com gols e atuações regulares.

Borja, lesionado, ainda é o artilheiro da equipe alviverde, com 15 gols (Foto: Cesar Greco/SE Palmeiras/Divulgação)
Borja, lesionado, ainda é o artilheiro da equipe alviverde, com 15 gols (Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)

Para esse jogo da Copa do Brasil, o time tem alguns problemas a serem resolvidos que já foram citados neste mesmo texto. O primeiro é a retomada do ritmo de jogo. Por conta da parada de 36 dias para a Copa o Mundo, o time acaba perdendo, naturalmente, o ritmo de jogo, que deve ser retomado o mais rápido possível, por conta do retorno dos jogos já em fases decisivas. Com a retomada desse ritmo de jogo, o time deve conseguir uma intensidade maior no jogo, que é uma das maiores cobranças da torcida em relação ao time de Roger Machado. Desde o 1º semestre a equipe alviverde não mostra uma intensidade alta durante o jogo, muitas vezes sendo uma equipe apática em campo.

Gustavo Scarpa é a grande esperança da torcida palestrina (Foto: Cesar Greco/SE Palmeiras/DIvulgação)
Gustavo Scarpa é a grande esperança da torcida palestrina (Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)

Outra esperança da torcida palmeirense é de que o esquema de jogo esteja mais consolidado até a partida contra o Bahia. Com a saída de Keno, o time perdeu essa força e velocidade pelos lados, mas ganhou mais qualidade e toque de bola com a entrada de Gustavo Scarpa. Com a entrada de mais um meia, o time tem focado o jogo pela faixa central do campo, deixando espaços nos lados, que podem ser facilmente preenchidos pelas descidas dos laterais, coisa que não tem acontecido com certa frequência. Os laterais Marcos Rocha e Diogo Barbosa se tornarem mais presentes na fase ofensiva pode ser a solução para a falta de jogadas de linha de fundo na equipe de Roger Machado.

Com todas essas melhorias feitas, naturalmente o time de Roger Machado poderá contar com jogadores individualmente mais confiantes e que poderão fazer as jogadas de desequilíbrio para vencerem os jogos. Jogadores esses como Dudu, Lucas Lima e Gustavo Scarpa, que não vem apresentando um bom futebol e podem render mais. Dentro de um time mais encaixado, esses jogadores podem apresentar seu futebol e resolver jogos com jogadas de efeito, passes que quebram as linhas de marcação e gols com uma frequência maior.

Lucas Lima parece ter recuperado seu bom futebol na retomada da Copa (Foto: Cesar Greco/SE Palmeiras/Divulgação)
Lucas Lima parece ter recuperado seu bom futebol na retomada da Copa (Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)

O jogo contra o Bahia será na quinta-feira (2), às 19h15. O jogo será disputado na Arena Fonte Nova e o jogo de volta acontece na quinta-feira (16), no Allianz Parque.

VAVEL Logo