Derrotado pela primeira vez no Fluminense, Marcelo Oliveira crê em trabalho: “Não está perdido”
FOTO: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.

Derrotado pela primeira vez no Fluminense, Marcelo Oliveira crê em trabalho: “Não está perdido”

Treinador fez uma avaliação da equipe e falou sobre a ausência de Marcos Junior

jessicaalbuquerque
Jéssica Albuquerque

O treinador Marcelo Oliveira concedeu entrevista após a derrota para o Ceará, por 1 a 0, a primeira sob o comando dele. Ele criticou o grande número de jogos em pouco tempo e afirmou que isso contribuiu para o resultado negativo.

“Quatro jogos em dez dias, duas viagens para o nordeste. Se o adversário tivesse feito a mesma coisa, tudo bem, mas ficou claro que o Ceará estava muito melhor que nós”, disse o treinador.

A principal ausência no time titular foi do atacante Marcos Junior, que estava no banco, mas não entrou no decorrer da partida. Marcelo Oliveira justificou a opção por Júnior Dutra ao lado de Pedro no ataque.

“O Marcos Junior não pôde jogar por cansaço, perna pesada, possibilidade de lesão. O Júnior Dutra estava com a perna muito pesada, muito cansado. São situações no futebol brasileiro que precisamos rever. Jogar já sabemos que vamos, mas tem de organizar”.

Marcelo Oliveira afirmou que o atacante fez falta, mas que, apesar da derrota, o trabalho não está perdido. Também falou que a diretoria está procurando por reforços, principalmente no meio de campo.

“Acho que hoje o Marcos fez falta porque vem jogando bem, entrosado com o Ayrton pelo lado esquerdo. A diretoria do Fluminense está atenta a qualquer situação nova, possibilidade. Um jogador que queremos para o meio é raro. Mas da mesma forma que ganhamos dois jogos não vamos agora achar que está tudo errado”.

Marcelo Oliveira também falou sobre Pedro, o artilheiro do time, mas que não marca há dois jogos. Ele afirmou que o cansaço foi um dos motivos pela falta de gols do atacante.

“Pedro é um ótimo finalizador. Precisa de jogadas para fazer o gol e criamos muito pouco, principalmente no segundo tempo. Não foi uma tarde feliz. O cansaço bateu forte também, mas estamos firmes na caminhada do trabalho”.

A partida contra o Ceará marcou a estreia do atacante Luciano, que estava no Panathinaikos, da Grécia. Ele entrou no intervalo do jogo, no lugar do volante Jadson. Marcelo falou sobre a atuação do atleta.

“A entrada do Luciano, um jogador que vem treinando muito bem e estava esperando oportunidades. Tem um chute muito forte de fora da área. Poderia encostar no Pedro, como meia e atacante. Bate muito bem essas bolas paradas”.

Por fim, o treinador fez uma análise do jogo, admitindo que o time não marcou bem a equipe do Ceará, além de não ter criado muitas situações.

“Eu achei que, principalmente no primeiro tempo, foi dessa forma: não só não conseguimos marcar bem o Ceará, como não conseguimos criar situações. Foi muito pouco. Fizemos uma cobrança natural no intervalo, trocamos jogadores e o segundo tempo foi melhor. Embora também não tenha criado tanto, não demos tantas chances para o Ceará”, finalizou o treinador.

O Fluminense agora volta as atenções para a Copa Sul-Americana. Na próxima quinta (02), o Tricolor enfrenta o Defensor Sporting (URU), pela segunda fase da competição. A partida será no Maracanã, às 21h45.

VAVEL Logo