Em segundo tempo arrasador, Flamengo goleia Sport e segue líder do Brasileirão
Foto: Stafi Images/Flamengo

Em segundo tempo arrasador, Flamengo goleia Sport e segue líder do Brasileirão

Com gols de Revér, Lucas Paquetá, Everton Ribeiro e Fernando Uribe, Fla constrói goleada em cima dos pernambucanos, que marcaram com Cláudio Winck

wesley-silva
Wesley Silvali
FlamengoDiego Alves; Rodnei, Réver, Leo Duarte, Renê; Cuellar, Lucas Paquetá, Diego; Marlos Moreno, Everton Ribeiro; Fernando Uribe
SportMagrão; Raul Prata (Cláudio Winck), Ronaldo Alves, Léo Ortiz, Sander; Deivid, Felipe Bastos, Gabriel; Michel Bastos, Marlone; Rafael Marques
Placar1-0, Revér, 14Min, 1-1, Cláudio Winck, 44Min, 2-1, Lucas Paquetá, 3Min do 2t, 3-1, Everton Ribeiro 5Min do 2ºt, 4-1, Fernando Uribe, 18Min do 2ºt.
ÁRBITROMARCELO APARECIDO RIBEIRO DE SOUZA, AUXILIADO POR ANDERSON JOSÉ DE MORAES COELHO E BRUNO SALGADO RIZO. TODOS DE SP.
INCIDENCIASJogo válido pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Na tarde desse domingo (29), Flamengo e Sport se enfrentaram no Maracanã, em duelo válido pela 16ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro. Depois de um primeiro tempo equilibrado, o Fla voltou determinado na segunda etapa e construiu a goleada por 4x1. Gols de Revér, Lucas Paquetá, Everton Ribeiro e Fernando Uribe. Cláudio Winck fez o honra para o Leão.

A goleada fez o Urubu se manter na liderança com 34 pontos, dois a mais que o vice-líder São Paulo. Seguindo o calvário do período pós copa, o Sport se viu derrotada pela quarta vez seguida, e segue estagnado com 19 pontos, na 12º posição. Podendo perder posições para América Mineiro, Santos e Bahia.

Primeiro tempo equilibrado em campo e no placar

O primeiro tempo foi equilibrado. Com as duas equipes se especulando, o gol do Flamengo até saiu cedo, marcado por Rever, em escanteio batido por Diego, aos 14 minutos. Mas a verdade é que em nenhum momento o time carioca conseguiu impor um ritmo de pressão e lances de perigo. Reativo, o Sport conseguia ter a bola de forma praticamente igualada e descia para o campo de ataque, mesmo que sem muita qualidade. O primeiro tempo chegava ao final e enfim os recifenses encaixaram uma troca de passes com efetividade, aos 44 minutos. Em um lance plasticamente bonito, Marlone recebeu a bola no lado esquerdo, levantou com perfeição na cabeça de Cláudio Winck, que por sua vez só teve o trabalho de escorar para o gol de Diego Alves.

Início arrasador no segundo tempo e resultado nas mãos do Mengão

Intervalo dourado. Foi o que pareceu ter tido o técnico Barbieri nos 15 minutos que reteve os jogadores no intervalo. Com outra postura, os cariocas foram precisos e conseguiram dois gols em menos de cinco minutos. Erradamente, Marlone tentou inverter a bola na frente da área e viu o passe ser inteceptado por Renê, que lançou para Uribe. Inteligente, o colombiano escorou a bola de peito para trás e viu Lucas Paquetá de primeira emendar para as redes do goleiro Magrão. A comemoração no segundo gol seria ampliada em seguida. Apressado, o Sport tentou reagir rápido e foi pego pela primeira vez em um contra-ataque: faltal. Correndo com a bola na intermediária, Marlos Moreno viu Everton Ribeiro na diagonal e deu o passe em ponto futuro.  Sem decepcionar, o meia recebeu, deixou Sander no chão e deu lindo chute na gaveta de Magrão, que adiantado, outra vez não teve como reagir.

Staff Images/Flamengo
Staff Images/Flamengo

3x1 em mãos tão rápido pareciam ter sido um achado diante de um primeiro tempo que se desenhou complicado. Com a torcida já a fazer festas na arquibancada, a equipe flamenguista se sentiu mais solta, diante de um Sport estático com o baque que havia sentido. Trocando passes e acelerando as jogadas quando bem queria, o quarto gol, mais do que maduro, saiu aos 18 minutos com Fernando Uribe, que outra vez trabalhou a bola no peito: mas dessa vez para ele mesmo. Em um giro rápido, o atacante chutou seco, viu a bola quicar e contou com ajuda de Magrão, que parecia inteiro no lance mas acabou aceitando. Foi o primeiro do atacante com a camisa rubro-negra. 4x1 e resultado definido. 

Visivelmente tirando o pé do acelerador, os 20 minutos finais foram de troca de passes curtos sem tanta objetividade por parte do Flamengo. O Sport, sem força de reação, pouco conseguiu ameçar Diego Alves outra vez. A complacência tomou conta até do juiz, que, atipicamente ao que vem ocorrendo em gramados do Brasileirão, só deu mais dois de acréscimos e encerrou a partida para festa definitiva dos mais de 58 mil presentes no Maraca.

Staff Images/Flamengo
Staff Images/Flamengo
VAVEL Logo