Fluminense se apoia em conexão com torcida para manter bom rendimento contra uruguaios
Foto: Nelson Perez - Fluminense.FC

Fluminense se apoia em conexão com torcida para manter bom rendimento contra uruguaios

Tricolor encarou Liverpool-URU, em 2017, no Maracanã e saiu vitorioso com grande festa da torcida

Vmoreno
Vitor Moreno

O encontro entre Fluminense e Defensor-URU na próxima quinta-feira, ás 21h45 no Maracanã, tem cenário de filme repetido para o Time de Guerreiros. Isto por que, o clima antes da partida contra o Liverpool era bem parecido com o jogo da Sul-Americana deste ano. Naquela ocasião, a expectativa por um bom público se concretizou e 38 mil torcedores acompanharam o retorno do time ao Maracanã, após 5 meses atuar no estádio. De presente, uma vitória por 2 a 0, gols de Henrique Dourado e Richarlisson, ainda no primeiro tempo.

Na volta do intervalo, mesmo com um jogador a mais, Abel demorou para tirar o lateral esquerdo Léo, que errava todos os cruzamentos, e fazia péssima partida. Até que, por clamor da torcida, colocou Marquinhos Calazans e o time melhorou consideravelmente, mas não o suficiente para fazer 3 a 0.

Os torcedores do Fluminense saíram do Maracanã otimistas para o jogo da volta depois de verem a fragilidade do adversário em campo e sabendo que a partida no Uruguai seria disputada no estádio Centenário.

Lá, o Liverpool é considerado um time de pouca expressão se comparado com Nacional e Peñarol, e a torcida quase não comparece aos jogos do time, ainda mais quando o time não vinha bem na temporada – naquele momento o time comandado por Alejandro Bertoldi fazia péssima campanha no campeonato uruguaio, sendo um dos últimos colocados na competição.

Público pequeno e primeiro tempo tenso no Uruguai

Com boa vantagem e sem pressão da torcida adversária, o clima para o duelo no Uruguai era ideal para o Fluminense. Mas como a partida só aconteceria um mês depois, os comandados de Abel teriam alguns jogos importantes nesse intervalo, sendo o principal deles a decisão do Carioca contra o Flamengo, que aconteceria no domingo anterior ao jogo da Sul-Americana.

O medo de Abel seria o desgaste físico e principalmente psicológico, já que, tinha em mãos um elenco muito jovem. Mesmo após a perda do título estadual para o rival, o clima antes da bola rolar era de tranquilidade para o time carioca.

Como previsto, estádio vazio e torcida do Liverpool pouco animada. Mas bastou o árbitro Juan Soto apitar o início da partida para que o clima aparentemente favorável ficasse totalmente adverso para o time das Laranjeiras.  

Sem saída de bola devido a péssima atuação dos volantes, Henrique e Renato Chaves ficavam mano a mano com os atacantes uruguaios que desperdiçaram muitas chances durante todo o primeiro tempo. O gol não demorou a sair e aos 12 minutos, Ramirez completou cruzamento da direita e estufou a rede de Cavalieri. Foram 46 minutos de tensão para os tricolores que começavam a ver eliminação mais de perto.

Uma pequena melhora fez o Fluminense quase empatar a partida no segundo tempo. O gol do alívio só não aconteceu por má pontaria dos atacantes de Abel e a atuação do goleiro Guilhermo De Amores, que em algumas oportunidades fez grandes defesas.

O jovem uruguaio chamou a atenção dos tricolores, que passaram a pedir a contratação do jogador no início deste ano, após a dispensa de Diego Cavalieri. Sem gastar muito e contrariando Abel, a diretoria atendeu a torcida e trouxe o goleiro emprestado do Boston River-URU. Entretanto, De Amores não estará presente na partida desta quinta, pois se recupera de uma cirurgia no joelho.

Foto: Lucas Merçon/Fluminense
Foto: Lucas Merçon/Fluminense

Será a primeira vez na história que os dois times se enfrentam. O retrospecto contra uruguaios não é bom, são apenas 5 vitórias, 14 derrotas e 9 empates. O Tricolor Carioca precisa melhorar este desempenho se quiser avançar na Copa da Sul-Americana

VAVEL Logo

Fluminense FC Notícias

há 3 dias
há 5 dias
há 5 dias
há 6 dias
há 6 dias
há 7 dias
há 8 dias
há 8 dias
há 9 dias
há 9 dias
há 10 dias