Análise: os pecados do Flamengo na pior atuação da temporada
(Foto: Gilvan de Souza/ Flamengo)

Após a melhor atuação da equipe em 2018, no empate contra o Grêmio pela Copa do Brasil, o Flamengo retornou à Arena do Grêmio, para enfrentar o Tricolor dessa vez pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Com uma equipe praticamente titular, apenas três jogadores foram poupados, a equipe da Gávea enfrentou o adversário com uma equipe reserva, pensando na Libertadores. E, cometendo dois grandes pecados, os comandados de Barbieri tiveram a sua pior atuação na temporada, e perderam por 2 a 0.

Desde o apito inicial, ficou claro o primeiro pecado: a passividade. Após uma partida desgastante no meio de semana, era evidente que o ritmo imposto naquela partida, não seria repetido hoje. Porém, dois exemplos confirmam que o Rubro-Negro não mostrou o mesmo ímpeto da partida pela Copa do Brasil.

No primeiro tempo, a equipe carioca tocou a bola, mas sem ameaçar o goleiro Paulo Victor, enquanto o Grêmio - mesmo sem a qualidade da equipe titular - demonstrava uma maior vontade de vencer, e abriu o placar ainda na primeira etapa. Outro exemplo foi o fato da primeira finalização rubro-negra, no gol, ter acontecido apenas aos 37 do segundo tempo, e a única chance de fato aconteceu aos 50, no último lance. 

O segundo, e último, pecado cometido pela equipe rubro-negra, foram os erros de posicionamento. Apesar de boa parte da equipe titular estar em campo, as quatro novidades na equipe (Thuler, Juan, Jean Lucas e Vitinho), fizeram com que a equipe fosse modificada taticamente.

Ofensivamente a equipe foi muito afetada por essas mudanças, especialmente o jovem Jean Lucas, que não conseguiu auxiliar nas subidas pelo lado direito. Vitinho também mostrou estar desentrosado com seus novos companheiros, e não ficou muito na ponta-esquerda, deixando o ataque rubro-negro mais centralizado, e facilitando a marcação gremista.

Defensivamente, as mudanças de Maurício Barbieri também não surtiram efeito, especialmente nos gols do Tricolor - ambos com erros da dupla de zagueiros. Além disso, Marinho e Jael encontraram muita facilidade para atacar e, se não fosse Diego Alves (um dos únicos que tiveram uma atuação de destaque na partida), a derrota poderia ter sido de goleada.

Para se recuperar rapidamente dessa atuação, o Flamengo precisará dar a resposta contra o Cruzeiro, pela Libertadores e pelo Brasileirão, nas duas próximas partidas do Rubro-Negro. Além disso, também precisará torcer contra o São Paulo, nesse domingo (5), para se manter na liderança do campeonato nacional. 

VAVEL Logo