Sport joga mal, mas arranca empate no fim contra Chapecoense

Gol de Carlos Henrique evitou derrota, mas a torcida ficou na bronca com o técnico Claudinei Oliveira

Sport joga mal, mas arranca empate no fim contra Chapecoense
Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife
Sport
1 1
Chapecoense
Sport: Magrão; Cláudio Winck, Ronaldo Alves, Ernando e Sander; Deivid (Rafael Marques), Fellipe Bastos, Gabriel, Marlone (Neto Moura) e Andrigo (Hygor); Carlos Henrique. Técnico: Claudinei Oliveira
Chapecoense: Jandrei; Eduardo, Douglas, Rafael Thyere e Bruno Pacheco; Amaral, Márcio Araújo e Elicarlos (Orzusa); Yann Rolim (Canteros), Osman (Bruno Silva) e Wellington Paulista. Técnico: Gilson Kleina
Placar: 0-1, min. 13, Wellington Paulista. 1-1, min. 46, Carlos Henrique.
ÁRBITRO: Ricardo Marques Ribeiro, auxiliado por Guilherme Dias Camelo e Sidmar dos Santos Meurer
INCIDENCIAS: Partida válida pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro Série A, realizada na Ilha do Retiro, em Recife.

Sport e Chapecoense empataram na noite de domingo (5) na Ilha do Retiro. Os leoninos mostraram muita dificuldade durante a partida, levaram um gol logo no começo e só conseguiram empatar nos acréscimos do segundo tempo. A partida acabou 1 a 1

O resultado, que não foi bom para nenhum dos times, deixou o Leão na 12ª colocação, com 20 pontos. Já a Chape, permanece na 16ª colocação com 18, apenas um a mais que o 17º, Santos. De quebra, manteve a sequência ruim de, agora, sete jogos sem vitórias dos rubro-negros. Para os alviverdes catarinenses, a bronca foram os três pontos desperdiçados, que quebrariam o tabu do time que ainda não venceu fora de casa nessa Série A.

O jogo começou muito pobre tecnicamente. As duas equipes erraram muitos passes e pareciam pouco inspirados. O Sport até tentou propor o jogo, mas não conseguia passar pela defesa da Chapecoense.

Para o azar dos rubro-negros, a Chape foi fatal em sua primeira chance. Logo aos 13 minutos, em contra-ataque, Yann ganhou de Deivid na força, driblou Ronaldo Alves e tocou para Wellington Paulista abrir o placar na Ilha do Retiro.

A torcida do Sport perdeu a paciência com o time, que não conseguiu produzir muita coisa nos momentos seguintes. A Chapecoense se fechou bem na defesa e segurou as investidas do Leão. Yann saiu lesionado aos 30 minutos, substituído por Canteros.

O Sport só conseguiu chegar com perigo no terço final do primeiro tempo. Aos 34, Marlone, cobrando falta, cruzou para a área e Fellipe Bastos quase marcou. Minutos depois, aos 38, Marlone cobrou escanteio e foi a vez de Ronaldo Alves cabecear com perigo.

Já nos acréscimos, após de jogada e cruzamento de Cláudio Winck, Carlos Henrique ajeitou de cabeça para trás e Fellipe Bastos tentou a finalização também de cabeça, mas Jandrei defendeu sem sustos.

Os catarinenses voltaram com o mesmo time que terminou o primeiro tempo. No Sport, Claudinei Oliveira sacou Deivid e colocou Rafael Marques em seu lugar, buscando melhorar a saída de bola da equipe.

E o Sport começou a acertar mais passes e criar chances. Aos 8 minutos, depois de cobrança de escanteio rebatida pela zaga da Chape, Gabriel finalizou de primeira. O belo chute do meia passou perto do gol. Porém, a retranca do alviverde voltou a se acertar, impedindo a maioria dos ataques do Sport que só voltou a ter uma boa chance com chute de fora da área de Sander aos 19 minutos.

Se dentro de campo a situação não estava boa, fora dele o clima azedou ainda mais com a torcida rubro-negra pegando no pé do treinador Claudinei Oliveira. O treinador foi chamado de burro nas duas substituições seguintes que fez - Neto Moura no lugar de Marlone e Hygor no lugar de Andrigo.

A Chape conseguiu uma boa sequência de finalizações aos 32 minutos. Primeiro, Canteros recebeu pelo lado esquerdo do ataque, entrou na área e chutou para boa defesa de Magrão. Depois da cobrança de escanteio, Bruno Silva - que entrou no lugar de Osman - escorou, Rafael Thyere finalizou e Magrão fez mais uma boa defesa para salvar o Leão.

No restante do terço final, o Sport não conseguiu agredir a Chapecoense, que controlou o jogo na defesa. Porém, quando o resultado já parecia perdido, Cláudio Winck fez jogada pela direita e cruzou para Carlos Henrique empatar de cabeça, já nos acréscimos, fechando o placar na Ilha do Retiro.

O resultado, que não foi bom para nenhum dos times, deixou o Leão na 12ª colocação, com 20 pontos. Já a Chape, permanece na 16ª colocação com 18, apenas um a mais que o 17º, Santos. De quebra, manteve a sequência ruim de, agora, sete jogos sem vitórias dos rubro-negros. Para os alviverdes catarinenses, a bronca foram os três pontos desperdiçados, que quebrariam o tabu do time que ainda não venceu fora de casa nessa Série A.

A próxima partida do Sport é contra o São Paulo pelo Campeonato Brasileiro, às 16h, no próximo domingo (12) na Ilha do Retiro. Já a Chapecoense enfrenta no mesmo dia e horário o Corinthians, na Arena Condá.