Ramon analisa sequência ruim do Vasco: “Falta um pouco de maturidade”

Lateral falou também de alguns reforços da equipe e descartou pressão

Ramon analisa sequência ruim do Vasco: “Falta um pouco de maturidade”
(Foto: Rafael Ribeiro/Vasco.com.br)

A derrota para o São Paulo, no último domingo (5), não foi bem digerida pelo elenco do Vasco. Para muitos jogadores, pelo volume apresentado na segunda etapa, o Cruz-Maltino merecia sorte melhor que um revés por 2 a 1. 

O lateral-esquerdo Ramon foi um dos que não aceitaram bem o placar, mas ressaltou que no futebol não é volume que ganha os jogos: “O resultado foi injusto, tivemos um bom volume. Erramos duas vezes, nos dois gols do São Paulo. Nosso segundo tempo foi excelente, tivemos o domínio. Mas no futebol não é isso que ganha jogo. Precisamos de concentração e aproveitar as chances”

Na quinta-feira (9), diante da LDU pela Copa Sul-Americana, o camisa 27 vê mais uma oportunidade de recuperação na temporada com a classificação às oitavas de final da competição e fim da sequência de três derrotas. 

“Contra LDU é mais um jogo em que temos que correr atrás. Temos que pressionar desde o começo e não levar gol, assim como foi contra o Bahia. Temos que tirar esse jogo de exemplo. Mudamos muito a linha defensiva, e isso prejudica. Esse jogo temos que fazer mais força do que o normal para vencer”

Ainda sobre o confronto pelo Campeonato Brasileiro, o atleta afirmou que faltou um pouco de maturidade para cadenciar o resultado: “Não minha opinião, nos falta um pouco de maturidade. O São Paulo jogava pela liderança com estádio cheio, e tivemos mais volume. Os detalhes que decidem. Retardar um lateral, fazer uma falta, às vezes ficar rolando no chão sim, isso acontece no futebol mundial”

Quanto a um dos novos reforços, o zagueiro Leandro Castan, o jogador vascaíno elogiou o companheiro e reforçou que o clube precisa de jogadores vitoriosos, como o defensor ex-Corinthians: “Desde o primeiro contato do Vasco ele já me mandou mensagem. O clube precisa de jogadores com DNA vencedor como o Castan. A maneira como ele é e como ele joga vai nos ajudar muito nessa parte defensiva”

Já no caso do centroavante Maxi López, o profissional enalteceu a carreira do argentino e descontraiu sobre a importância de um homem fazedor de gols na área: “É um jogador de referência, que atuou num dos maiores clubes do mundo. É muito inteligente para fazer o ‘um, dois’ e se movimentar. Vai nos ajudar muito na bola aérea. Chegar no fundo e cruzar pro Pikachu é difícil por causa da estatura (risos)”.

Ramon finalizou rechaçando qualquer possibilidade de pressão e lembrou confrontos que o argumento poderia ter sido usado. Para o lateral, ainda há muitos jogos e o que a equipe precisa é de concentração: “Se fosse uma atuação como contra o Corinthians, eu assumiria a pressão. Mas tomamos conta contra o São Paulo no segundo tempo. Prova que temos capacidade, mas precisamos de mais maturidade e concentração. Pressão agora ainda não, tem muito campeonato”