Ex-patrocinadora do Fluminense nega atrasos e diz que clube não cumpriu obrigações contratuais

Valle Express se manifesta sobre rescisão e diz que fez notificações ao clube várias vezes sem receber resposta

Ex-patrocinadora do Fluminense nega atrasos e diz que clube não cumpriu obrigações contratuais
Foto: Maílson Santana/Fluminense

A Valle Express se pronunciou sobre a rescisão de contrato com o Fluminense. Segundo a ex-patrocinadora, não houve atraso nas parcelas, e sim suspensão diante do não cumprimento das obrigações contratuais por parte do clube.

+ Sem receber, Fluminense anuncia fim da parceria com a Valle Express

A empresa ressalta ainda na nota que notificou o Tricolor várias vezes e nunca recebeu resposta da diretoria e nem do departamento de marketing.

No anúncio feito pelo Flu, o clube afirmou que entrou na Justiça para fazer valer os seus direitos. Por contrato, a instituição poderia solicitar a rescisão contratual após três meses de atraso no pagamento. De acordo com o Tricolor, a dívida atual é de quatro meses (abril, maio, junho e julho).

O clube entende que pode cobrar pelo menos R$ 8,7 milhões da ex-patrocinadora na Justiça, soma dos valores atrasados com a multa prevista em contrato: 40% do valor previsto até o fim do compromisso - que terminaria no fim de 2019.

Leia a nota oficial do clube:

"O Fluminense Football Club lamenta a nota oficial divulgada na tarde dessa quarta-feira, dia 8 de agosto, pela empresa Valle Express. O clube esclarece que está tranquilo quanto a sua correção com as obrigações contratuais e, por primar pelo bom relacionamento e respeito com todos os seus parceiros, informa que se manifestará e demonstrará suas razões no foro competente".