Último dia de contrato: passagem de Guerrero teve altos e baixos durante três anos no Flamengo
(Foto: Staff Images/ Flamengo)

Último dia de contrato: passagem de Guerrero teve altos e baixos durante três anos no Flamengo

Pré-acertado com o Internacional, atacante peruano teve bons e maus momentos na passagem pelo Rubro-Negro, mas encerra a passagem desgastado

rafalisboa
Rafael Lisboa

O contrato de Paolo Guerrero com o Flamengo se encerra nessa sexta-feira (10), e o destino do atacante provavelmente será o Internacional, com quem já tem um acordo - o clube colorado espera o término do vínculo com a equipe carioca para anunciá-lo. Durante três anos, a passagem do peruano pelo Rubro-Negro teve momentos distintos.

A chegada pela porta da frente, com direito a muita festa, contrasta com a saída pela porta dos fundos, se despedindo sem realizar a sétima partida pelo Campeonato Brasileiro, e ficando livre para continuar no mercado nacional. Relembre a trajetória do peruano no clube:

Após chegada perfeita, Guerrero terminou 2015 em baixa

Primeira contratação de impacto na gestão de Eduardo Bandeira de Mello, Paolo Guerrero chegou ao Flamengo, em 2015, nos braços da Nação Rubro-Negra. Logo na primeira partida, horas depois de atuar pela Seleção Peruana, contra o Internacional - em Porto Alegre - o atacante marcou o seu primeiro gol pela equipe, na vitória por 2 a 1. 

A história se repetiu contra Náutico e Grêmio, primeiro jogo do "Depredador" no Maracanã. Contra o Goiás, o atacante não marcou mas deu o passe para Cirino garantir a vitória do Flamengo, completando uma sequência de 100% nos quatro primeiros jogos em campo. Porém, nos 14 jogos restantes da temporada, em que participou, Guerrero anotou apenas mais um gol, e terminou o ano em baixa.

Atacante voltou a marcar em 2016, mas terminou o ano sem nenhum título

O ano seguinte não poderia começar melhor para o peruano. Sob comando de Muricy Ramalho, Guerrero anotou quatro gols nas quatro primeiras partidas da temporada, incluindo dois contra o Atlético-MG, no Mineirão, pela Primeira Liga. 

Após ser eliminado na Copa do Brasil, e no Campeonato Carioca, o Flamengo focou suas forças na busca pelo título brasileiro. O atacante marcou nove gols no torneio (18 no ano, empatando, até então, com sua melhor marca na carreira), mas o Rubro-Negro acabou terminando 2016 sem nenhuma conquista, e colecionando vexames na temporada. 

Primeiro título em 2017, e melhor temporada artilheira ofuscados pelo doping

Após três anos de seca, o Flamengo finalmente voltou a levantar uma taça em 2017, com a conquista - invicta - do Campeonato Carioca, e tendo Guerrero como artilheiro isolado da competição, com 10 gols. Porém, a queda na fase de grupos da Libertadores, manchou o primeiro semestre do clube, e deixou uma pressão gigante para o restante da temporada.

No Brasileirão, veio seu primeiro hat-trick no país, contra a Chapecoense, mas novamente o atacante acabou decepcionando no torneio nacional, onde o Rubro-Negro acabou não disputando o título. Na Copa do Brasil, o centroavante fez o possível, mas não conseguiu impedir o vice-campeonato - nos pênaltis - para o Cruzeiro, em Belo Horizonte.

Apesar disso, o Flamengo seguia vivo na Copa Sul-Americana, mas a temporada do peruano foi encerrada por causa de um exame anti-doping, que testou positivo para benzoilecgonina, um metabólito da cocaína, em Argentina x Peru, pelas Eliminatórias. 

Após um mês de suspensão preventiva, Guerrero foi punido por seis meses pela Fifa, em dezembro, e só voltaria a jogar quase na metade do ano seguinte, perdendo a final do torneio sul-americano, onde novamente o Rubro-Negro ficou com o vice-campeonato, após ser superado pelo Independiente-ARG.

Sem acordo, Guerrero encerra trajetória no Flamengo fora dos gramados

Após uma intensa luta, sem sucesso, para diminuir a pena e voltar a jogar antes dos seis meses estabelecidos, o jogador retornou aos gramados contra o Internacional, pela 4ª rodada do Brasileirão. Depois disso, o atacante ainda enfrentou a Ponte Preta, e a Chapecoense - onde marcou o seu primeiro gol na temporada.

Porém, quando menos esperava, o atacante viu o TAS (Tribunal Arbitral do Esporte) aumentar a sua pena para 14 meses, o que impediria Guerrero de jogar a Copa do Mundo, pelo Peru. Após uma liminar concedida pelo Tribunal Federal Suíço, o peruano foi liberado para atuar e conseguiu disputar o torneio mundial, mas a Seleção Peruana foi eliminada na fase de grupos.

No retorno ao Flamengo, o centroavante disputou mais quatro partidas, até sentir uma lesão na coxa, antes de completar sete jogos no Campeonato Brasileiro, desfalcando o Rubro-Negro nos duelos contra Grêmio (pela Copa do Brasil e Brasileiro) e Cruzeiro (pela Libertadores), nos últimos jogos antes do término do vínculo.

As negociações para renovação do contrato - que começaram no ano passado - não avançaram, pois o Rubro-Negro e os empresários do jogador não chegaram a um acordo, especialmente no tempo do novo vínculo. Próximo do Colorado, Guerrero sairá muito distante da idolatria esperada quando chegou ao Rio de Janeiro.

VAVEL Logo

Flamengo Notícias

há 3 dias
há 3 dias
há 4 dias
há 5 dias
há 7 dias
há 8 dias
há 9 dias
há 10 dias
há 11 dias
há 13 dias
há 18 dias