Avassalador nos minutos iniciais, Atlético-PR atropela o Flamengo na Arena da Baixada
(Foto: Staff Images/ Flamengo)

Na manhã desse domingo (19), o Atlético-PR não tomou conhecimento e derrotou o Flamengo por 3 a 0, na Arena da Baixada. Os gols foram marcados nos 20 minutos iniciais, com Pablo, Raphael Veiga e Zé Ivaldo.

Com o resultado, o Furacão pulou para a 18ª posição, com 18 pontos, um a menos que o 16º colocado, e enfrentará a Chapecoense na próxima rodada. Já o Rubro-Negro carioca caiu para 3º, com 37 pontos, e receberá o Vitória, no Maracanã, no próximo compromisso.

A partida começou com os donos da casa tendo mais a posse e conseguiu abrir o placar logo aos 9 minutos: Marinho cobrou falta rasteira, Rodinei - que cometeu a infração - cochilou e Pablo apareceu para empurrar para o gol, Atlético 1 a 0.

O Rubro-Negro carioca respondeu três minutos depois, mas Santos defendeu a finalização de Vitinho, cara a cara, na pequena área. Aos 16, em mais uma falha do lateral-direito, o Furacão ampliou: Pablo foi lançado nas costas de Rodinei, cruzou para Nikão que parou em César mas, no rebote, Raphael Veiga ampliou, 2 a 0.

E o que já era ruim para o Flamengo, piorou aos 20: Veiga cobrou escanteio e Zé Ivaldo completou para o gol, definindo a partida no primeiro tempo, 3 a 0. Com a enorme desvantagem, a equipe carioca começou a perder a cabeça, especialmente Vitinho e Éverton Ribeiro, que descontaram em Marcinho e Zé Ivaldo, mas o árbitro mineiro só amarelou o atacante, antes do intervalo.

Na volta para a segunda etapa, Barbieri colocou Marlos Moreno no lugar de Arão, e o colombiano entrou disposto a mostrar serviço. Mas a primeira chance foi do Furacão, aos 4, com Lucho González forçando uma boa defesa de César. Aos 9, Rodinei obrigou uma defesa difícil de Santos, em um chute de fora da área.

Aos 17, Vitinho tentou mais uma vez, e o goleiro paranaense espalmou para o lado. Seis minutos depois, em um contra-ataque, Nikão acertou a trave do Flamengo, contando ainda com desvio em Éverton Ribeiro. O Atlético seguiu pressionando, e quase ampliou aos 38, quando Anderson Plata cruzou, Léo Duarte desviou e a bola foi novamente na trave.

No final da partida, o Rubro-Negro carioca ensaiou uma pressão final, com Lincoln e Vitinho, mas Santos fez mais duas boas defesas. No último lance, Paquetá chutou forte, por cima do gol. No apito final do árbitro, a festa paranaense contrastou com o lamento e a irritação dos cariocas. 

VAVEL Logo