Goleiros do Fluminense têm contrato encerrando no fim do ano e diretoria pode apostar na base

Julio César, Rodolfo e De Amores ainda não foram procurados para discutir renovações; Base vêm sendo observada no treinamento dos profissionais

Goleiros do Fluminense têm contrato encerrando no fim do ano e diretoria pode apostar na base
Foto: Lucas Merçon/Fluminense

As camisas 1 e 12 são as posição mais indefinidas do Fluminense no que diz respeito ao planejamento para 2019. Do elenco Tricolor, três dos quatro atletas da função têm contrato por terminar ao fim de 2018.

Com a situação, Pedro Paulo, 20 anos, goleiro do sub-20, aumentou a frequência de participação nos treinos do grupo de Marcelo Oliveira. Concilia os trabalhos para ganhar experiência com a disputa do Brasileirão da categoria, competição na qual é titular da equipe de Leo Percovich.

Pedro teve contrato de empréstimo prorrogado recentemente. Cedido pelo Globo-RN, o novo vínculo termina em 31 de janeiro da próxima temporada. Quando ele não está no profissional, quem ganha chance é Marcelo, aquele que integrou o grupo na pré-temporada dos Estados Unidos, atualmente no sub-17. Os dois da base completam os treinos dada a lesão de De Amores, ainda sem prazo de retorno após cirurgia no joelho direito.

Situação de cada goleiro:

Julio César (titular) - Contrato encerra em 31/12/2018. Afirmou recentemente ainda não ter sido procurado pela direção para renovar.

Rodolfo (reserva) - Emprestado pelo Oeste-SP até 31/12/2018. Contrato fixa valor para a compra dos direitos. De acordo com o time paulista, Tricolor ainda não manifestou desejo de compra. Equipes têm boa relação e não está descartado novo empréstimo.

De Amores (machucado) - Emprestado pelo Boston River até 31/12/2018. Direitos estão fixados em US$ 1,5 milhão (R$ 5,8 milhões). Novo empréstimo custa US$ 200 mil (R$ 776 mil).

Marcos Felipe (terceiro goleiro) - Tem contrato até 31/12/2019.