Após confusão com torcida, árbitro encerra partida e Santos é eliminado da Libertadores

Novamente a partida terminou sem gols, mas o Independiente se classificou após ser declarado vencedor do jogo de ida por 3 a 0

Após confusão com torcida, árbitro encerra partida e Santos é eliminado da Libertadores
Foto:  Ivan Storti/Santos FC
Santos
0 0
independiente
Santos: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Verissimo (Robson Bambu), Gustavo Henrique e Diego Pituca; Alison (Jean Mota) e Carlos Sanchez; Depois Gonzalez, Bruno Henrique (Bryan Ruiz), Rodrygo e Gabigol Técnico: Cuca
independiente: Campaña; Britez, Flanco, Figal e Gastón Silva; Francisco Silva, Fabrício Bustos (Domingo) e Pablo Hernandez;

Após ser punido na manhã desta terça-feira (28), o Santos recebeu o Independiente, no Pacaembu, pelo jogo de ida das oitavas de final da Libertadores. O Peixe tinha a missão de fazer no mínimo três gols para levar a partida para as penalidades, já que com a decisão da Conmebol a partida de ida que ficou 0 a 0 passou a ser 3 a 0 para o time argentino.

Mas a partida terminou novamente 0 a 0 e não dá melhor forma, já que alguns torcedores jogaram bomba no gramado e tentaram invadir o gramado se transformando numa imensa briga generalizada. O árbitro acabou o jogo, faltando 10 minutos para o término por falta de segurança. 

+ Confira as ofertas do nosso parceiro FutFanatics

O jogo

Sem poder contar com Dodô, que foi expulso no jogo de ida, o técnico Cuca optou por Diego Pituca na ala, com Alison e Carlos Sánchez no meio-campo. O ataque seguiu sendo igual o da partida contra o Bahia, no último sábado (25): Gabriel, Bruno Henrique, Derlis González e Rodrygo. 

Se o ataque era o mesmo, os problemas no meio-campo também. Sem o armador o ataque pouco produzia. 

Aos sete minutos, o Independiente reclamou de pênalti, após Meza entrar na área e ser tocado por Lucas Veríssimo próximo à linha de fundo. 

Aos oito, o Santos perdeu grande chance de abrir o placar. Gabigol recebeu lançamento pelo meio da defesa, avançou e chutou na saída do goleiro Campaña, que saiu do gol e defendeu o chute cara a cara com o camisa 10.

Aos 30  minutos, em bola levantada na área, o grandalhão Gigliotti cabeceou por cima do gol. 

O Santos só levou perigo novamente aos 38 minutos. Gabigol foi lançado pela direita e quase da linha de fundo bateu, para defesa do goleiro Campaña. 

Aos 44 minutos, em rápido contra-ataque, Gigliotti foi lançado, invadiu a área sozinho e quando tentou driblar Vanderlei, foi derrubado. 

Pênalti, para desespero da torcida santista. Após muita catimba em cima do habilidoso Meza, ele bateu no canto direito, mas Vanderlei se esticou todo e defendeu a cobrança. Levando a torcida à loucura.

No segundo tempo, os jogadores nem desceram para o vestiário, ficaram em campo recebendo o apoio da torcida. O técnico Cuca tentou corrigir a postura da equipe colocando Bryan Ruiz no lugar de Bruno Henrique. Mas logo aos cinco minutos, perdeu o zagueiro Lucas Verissimo por lesão. 

Aos seis minutos, Victor Ferraz cruzou pela direita, invadiu a área e bateu por cobertura, mas a bola foi muito alta. 

O ritmo do jogo acabou ficando morno, e quem arriscava mais era a equipe visitante. Porém, quando o Santos voltou a ficar melhor na partida, alguns torcedores foram embora, outros jogaram bombas no gramado e outros tentatam invadir o gramado e depredar os assentos do estádio. Sem segurança o árbitro terminou a partida e equipe Paulista está eliminada da Libertadores.