No começo do ciclo para 2022, Seleção Brasileira tem Neymar como capitão e novidade no meio-campo
Foto: Lucas Figueiredo/CBF

No começo do ciclo para 2022, Seleção Brasileira tem Neymar como capitão e novidade no meio-campo

Tite acaba com rodízio de capitães e nomeia Neymar como principal líder de uma "nova" seleção, que segue com 10 jogadores que estiveram presentes no Mundial da Rússia

Araujo_Luis
Luis Araujo

Após a eliminação para a Bélgica nas quartas de final da Copa do Mundo da Rússia, a Seleção Brasileira inicia seu novo ciclo nesta sexta-feira (7), quando disputa amistoso contra a seleção dos Estados Unidos, no Estádio MetLife, em Nova Jersey. Tite segue no comando técnico da equipe canarinho e entende que será quase que uma primeira oportunidade, pois assumiu o time a apenas dois anos do Mundial.

“Aceitei permanecer, pois não tive a oportunidade de começar o trabalho. Tenho direito a ter meus quatro anos e por isso optei por permanecer", disse o treinador.

+ Confira ofertas do nosso parceiro FutFanatics

Tite usará amistosos como observação para Copa América, que será no Brasil

Neste jogo contra os Estados Unidos, o comandante canarinho está na etapa de observações, já visando a Copa América do próximo ano, que será disputada no Brasil.

 

“Existe uma primeira etapa neste novo trabalho que é de observação e vai até o fim do ano, englobando este amistoso contra os Estados Unidos inclusive. No ano que vem, será de preparação para a Copa América. E depois, logicamente, vem o processo maior que são as Eliminatórias e, consequentemente, a disputa da Copa do Mundo de dois mil e vinte e dois”, comentou o comandante do Brasil.

A renovação na lista não foi tão grande, mas a base da Copa do Mundo foi mantida. Dez dos titulares nesta sexta-feira estiveram no Mundial da Rússia. A exceção é o lateral-direito Fabinho. Do time considerado titular no Mundial, o goleiro Alisson, o zagueiro Thiago Silva, o volante Casemiro, o meia Philippe Coutinho e o atacante Neymar estão mantidos. Alguns reservas da Copa parecem ter subido de patamar, caso do zagueiro Marquinhos.

“Para mim é uma grande oportunidade seguir neste trabalho com o Tite. Temos agora que amadurecer ainda mais, sem deixar de lado o padrão que conquistamos. Queremos ganhar corpo, forma, ideia. Trabalhar o que podemos fazer de melhor, o que podemos fazer nesse novo ciclo. Temos grandes objetivos pela frente, como o título da Copa América do próximo ano e a Copa do Mundo do Catar”, avaliou Marquinhos.

Foto: Lucas Figueiredo/CBF
Foto: Lucas Figueiredo/CBF

O time que vai começar jogando segue tendo uma linha de frente respeitável. Douglas Costa e Roberto Firmino são os novos companheiros de Neymar no ataque, todos municiados por Philippe Coutinho.

EUA segue com treinador interino comandando a equipe 

Pelo lado dos Estados Unidos, o técnico Dave Sarachan, interinamente na função, já começou a promover a reformulação necessária em uma equipe que sequer conseguiu a classificação para a Copa do Mundo da Rússia.

“Entendemos que precisamos trabalhar de olho no futuro, independentemente de seguirmos no trabalho ou se um outro nome chegar para dirigir a seleção. A filosofia é muito importante e os Estados Unidos estão dispostos a voltar a ser uma força na Concacaf. Temos um ciclo importante pela frente, que inclui a Copa Ouro, os Jogos Olímpicos e a próxima Copa do Mundo”, analisou o treinador norte-americano.

Aliás, a demora em se anunciar um treinador oficial incomoda a imprensa e a torcida, já que Dave Sarachan está interinamente no cargo há um ano. O novo treinador, nesta lista, deixou de fora alguns medalhões, como o meia Michael Bradley e o atacante Jozy Altidore. Para este amistoso ele perdeu o meia-atacante Christian Pulisic, do Borussia Dortmund da Alemanha, que sofreu uma lesão muscular na perna direita.

VAVEL Logo

    Seleção Brasileira Notícias

    há um mês
    há um mês
    há um mês
    há um mês
    há um mês
    há 2 meses
    há 2 meses
    há 2 meses
    há 2 meses
    há 2 meses
    há 2 meses