Milton Cruz deixa o Figueirense, cita ameaças ao presidente e se defende: ''Não abandonei o barco"

Decisão foi anunciada na tarde dessa segunda feira. Treinador sai do cargo após 68 partidas

Milton Cruz deixa o Figueirense, cita ameaças ao presidente e se defende: ''Não abandonei o barco"
Técnico afirmou que dois 'sujeitos' estariam pressionando o presidente caso não o demitisse (Reprodução / Figueirense)

Milton Cruz não é mais técnico do Figueirense. O clube anunciou  seu desligamento na tarde dessa segunda-feira (10), após reunião com o treinador. O Alvinegro chegou a convidar o profissional para assumir o cargo de manager na equipe, porém teve a proposta recusada.

Surpreendido com a decisão, Milton comentou sobre os motivos de sua saída, afirmando que o presidente Cláudio Vernalha teria sofrido ameaças de torcedores caso o mantivesse no cargo.

''Estou triste. Jamais abandonaria uma equipe que eu ajudei a montar. Dois sujeitos entraram lá (na coletiva de imprensa) para me xingar.  Cláudio foi pressionado por eles. Infelizmente ele vem sendo ameaçado. Eu não abandonei o barco", disse.

Contratado em agosto de 2017, o treinador de 61 anos tem como principal conquista no clube o Campeonato Catarinense desse ano. Ele comandou o Figueira em 68 jogos, somando 31 vitórias, 21 empates e 16 derrotas. 

Atualmente, o Furacão do Estreito está na 8ª colocação da Série B, do Campeonato Brasileiro, com 38 pontos. O próximo confronto será na sexta-feira (14), contra o São Bento, no estádio Orlando Scarpelli, às 20h30.