Em noite de Richarlison, Brasil goleia El Salvador e conquista segunda vitória após Mundial

Atacante do Everton, da Inglaterra, marcou dois gols na vitória por 5 a 0 da Seleção Brasileira

Em noite de Richarlison, Brasil goleia El Salvador e conquista segunda vitória após Mundial
Foto: Lucas Figueiredo / CBF
Brasil
5 0
El Salvador
Brasil: Neto; Éder Militão, Marquinhos, Dedé, Alex Sandro; Casemiro; Arthur, P. Coutinho, D. Costa, Neymar; Richarlison. Técnico: Tite
El Salvador: H. Hernándes; B. Tamacas, R. Domínguez, A. Méndoza, J. Barahona; Alfáro; Ó. Cerén, G. Baires, A. Flores Jaco, J. Alas; D. Pineda. Técnico: Carlos de Los Lobos

Nesta segunda-feira (11) em Washington, capital dos Estados Unidos, a Seleção Brasileira goleou a equipe de El Salvador, por 5 a 0. Após vitória tranquila contra a seleção norte-americana, o Brasil voltou a apresentar bom resultado contra a fraca seleção salvadorenha. Os gols da partida foram marcados por Richarlison (2x), Neymar, Coutinho e Marquinhos.

+ Camisas das principais seleções com desconto? É na FutFanatics!

Diante da 72ª colocada do ranking da FIFA, o técnico Tite aproveitou para testar algumas peças novas pensando na Copa América do ano que vem e na Copa do Mundo de 2022 no Catar. Jogadores como Arthur, o goleiro Neto, Richarlison, Éder Militão, que foi convocado no lugar do lesionado Fágner, além da volta do zagueiro Dedé como titular da equipe.

Primeira etapa sem sustos para o Brasil

O Brasil teve o domínio do jogo durante toda a primeira etapa, e teve tranquilidade após abrir o placar aos quatro minutos da partida com gol de pênalti do Neymar. Com a maior parte de posse de bola o estreante goleiro Neto não foi exigido em nenhum momento da primeira metade da partida.

O segundo gol da seleção brasileira saiu em ótimo chute de perna direita do Richarlison no canto superior do goleiro, Henry Hernández. Com a superioridade técnica brasileira, não demorou pra ampliar o marcador com chute colocado de Phillippe Coutinho. A inferioridade técnica dos adversários foi fator que facilitou as ações defensivas da seleção do Tite.

A fraqueza salvadorenha ficou explícita quando ainda aos trinta minutos da primeira etapa a seleção caribenha fez duas substituições por opção da sua comissão técnica.

Segundo tempo utilizado para novos testes

Nos cinco minutos iniciais da segunda etapa a equipe de El Salvador tentou pressionar a Seleção brasileira na defesa, mas sem qualidade nas finalizações não trouxe trabalho ao gol de Neto. A pressão salvadorenha foi interrompida por Richarlison, dessa vez de perna esquerda.

O segundo tempo foi importante para mais testes do Tite no elenco, assim como no jogo contra os americanos, o meia, Lucas Paquetá teve nova oportunidade, assim como o atacante Éverton. Ainda houve tempo para mais estreantes como o zagueiro Felipe no lugar do Dedé, e o meia Andreas Pereira que tinha a possibilidade de jogar naturalizado pela seleção da Bélgica, mas decidiu vestir a camisa canarinho.

Com o resultado encaminhado os laterais brasileiros se soltaram, Militão fazendo uma partida segura e com bom apoio pela direita, e Alex Sandro não tão bem pela esquerda teve muitos erros em suas aparições ofensivas.

Outra alteração importante feita pelo treinador brasileiro foi a inversão de posição entre Marquinhos e Militão, ambos já atuaram de zagueiro central e lateral direito, Militão no São Paulo que atuava pela lateral e que está servindo o Porto, de Portugal, como zagueiro. E Marquinhos atuou como lateral na base do Corinthians, e atualmente joga como zagueiro do PSG.

No final da partida com a equipe de El Salvador já entregue o Brasil fechou o placar com gol de Marquinhos após escanteio cobrado por Neymar.