Com gols no primeiro tempo, Paysandu e Criciúma empatam pela Série B
Foto: Jorge Luiz/Paysandu

Com gols no primeiro tempo, Paysandu e Criciúma empatam pela Série B

Criciúma sai atrás, busca o empate, e consegue segurar pressão na Curuzu; com várias tentativas, Paysandu para na trave e em defesas de Luiz

gustavomilioli
Gustavo Milioli
PaysanduRenan Rocha; Maicon Silva, Fernando Timbó, Perema e Willyam (Felipe Guedes); Nando Carandina, Guilherme Santos e Pedro Carmona (Alan Calbergue); Mike , Hugo Almeida e Magno (Claudinho). Técnico: João Brigatti
CriciúmaLuiz; Sandro, Nino e Fábio Ferreira; Sueliton, Liel, Jean Mangabeira, Alex Maranhão (Andrew) e Iago (Luiz Fernando). Joanderson (Patrick) e Vitor Feijão. Técnico: Mazola Júnior
Placar1-0, min 5, Fernando Timbó. 1-1, min 34, Liel.
ÁRBITROFLAVIO RODRIGUES DE SOUZA, AUXILIADO POR ALEX ANG RIBEIRO E TATIANE SACILOTTI DOS SANTOS CAMARGO, TODOS DE SÃO PAULO
INCIDENCIAS28ª RODADA DA SÉRIE B DO CAMPEONATO BRASILEIRO, NO ESTÁDIO DA CURUZU, EM BELÉM/PA

Em confronto direto na parte de baixo da tabela, Paysandu e Criciúma não saíram do empate. Fernando Timbó abriu o placar para o Papão, mas ainda no primeiro tempo, Liel marcou para o Tigre, dando números finais ao confronto. Pior para o time da casa, que fica uma posição acima da zona de rebaixamento da Série B.

+ Confira as ofertas de nosso parceiro Futfanatics

Para se afastar do Z-4, o Paysandu contava com uma vitória na Curuzu. Logo na pressão inicial, o Bicolor se lançou ao ataque e abriu o placar aos cinco minutos. Após passe rasteiro, o zagueiro Fernando Timbó recebeu com liberdade e finalizou para por os mandantes à frente.

O Criciúma tinha dificuldades de manter a posse de bola. Com seis desfalques, o técnico Mazola Júnior alterou a estrutura tática e escalou um esquema com três zagueiros. Com pouco entrosamento, a equipe não conseguia atacar o adversário.

Aos 18 minutos, Luiz impediu que o placar fosse ampliado. Magno invadiu a área e chutou cruzado, fazendo com que o goleiro se esticasse todo para mandar a bola pela linha de fundo.

Com mais consistência, o Paysandu não conseguiu transformar as chances em gol, mantendo o placar magro. Na metade do primeiro tempo, o árbitro parou o jogo para reidratação dos jogadores, visto o calor na cidade de Belém. Pausa que se fez importantíssima para o Criciúma se organizar em campo, com o treinador aproveitando o tempo para passar as instruções.

Em uma das primeiras chegadas do Tigre, Alex Maranhão cobrou escanteio na cabeça de Liel para empatar o jogo. Foi o quarto gol do volante na competição, todos em jogadas aéreas.

A partir de então, o Paysandu caiu de rendimento e viu o time visitante gostar da partida. O primeiro tempo encerrou com os catarinenses tendo 56% de posse de bola, contra 44% dos mandantes.

No retorno do intervalo, o Papão se dispôs a mudar o cenário e voltou a propor o jogo. Aos 12 da etapa final, Mike perdeu grande chance. Na marca do pênalti, ele girou e chutou com desvio da zaga. A bola passou muito perto do gol de Luiz.

Aos 16, em uma das poucas tentativas do Tigre no segundo tempo, o zagueiro Sandro cabeceou na trave. Em seguida, em rápida resposta, o Paysandu também parou no poste. Dentro da área, Pedro Carmona chutou e por pouco não desempatou.

Minutos depois, foi a vez de Hugo Almeida carimbar a trave. Após bola alçada na área, o atacante subiu alto para cabecear no travessão.

A partir de então, o Bicolor fez uma blitz no campo de ataque para pressionar em busca da vitória. Abusando dos cruzamentos, o esquema com três zagueiros de Mazola Júnior prevaleceu sobre os oponentes e mesmo sofrendo apuros, o placar foi mantido.

Com o empate, o Paysandu retomou a 16ª posição, mas com o mesmo número de pontos que o Juventude, time que abre o Z-4. O Criciúma, mantém a 13ª posição, agora com 36 pontos, e segue com uma folga em relação a zona da degola.

O Papão volta a campo na próxima sexta-feira (28), quando novamente em casa, enfrenta o Goiás. Um dia depois, o Tigre encara o Boa Esporte, seguindo fora de casa, em Varginha.

VAVEL Logo