Após marcar duas vezes, Bergson admite ansiedade em seus primeiros jogos pelo Atlético-PR
Foto: Divulgação/Site Oficial Atlético-PR

Após marcar duas vezes, Bergson admite ansiedade em seus primeiros jogos pelo Atlético-PR

Atacante acredita que a boa atuação diante do Sport podem dar confiança

matheus-gabriel
Matheus Gabriel

A expectativa sobre o nome de Bergson era alta, já que chegou como status de artilheiro, marcando 28 gols em 2017 pelo Paysandu. Porém, o início foi lento, com 20 jogos e apenas dois gols. Mas com a boa atuação diante do Sport, no último domingo, o camisa 30 espera engrenar de vez.

"Dá uma moral marcar dois gols, mas não pode se acomodar nisso. Que eu continue trabalhando, buscando meu espaço. Como todos sabem, joguei pouco. O negócio é trabalhar e melhorar a cada dia", disse.

As únicas vezes em que Bergson tinha marcado pelo Furacão foram no 5 a 4 contra o Tubarão, pela Copa do Brasil, e no 1 a 1, contra o Cruzeiro, também pelo mata-mata nacional. Ele falou sobre a ansiedade e as poucas oportunidades que teve.

"Aqui, muita gente não leva em conta, mas tenho seis partidas na Série A. O meu pecado aqui no Atlético, admito, foi um pouco de ansiedade, um pouco de querer mostrar logo o que fiz no ano passado e por que eu estava aqui, mas superei isso com trabalho, com pessoas me auxiliando. As coisas vão acontecer naturalmente aqui, como aconteceram hoje", comentou.

Bergson teve a difícil tarefa de substituir Pablo, artilheiro do Atlético-PR no Brasileirão. Depois de um primeiro tempo apagado, sem muitas chances, conseguiu reverter a situação e marcar duas vezes na segunda etapa, com direito a uma assistência para Rony.

"Hoje, entrei em campo sem aquele peso de estar substituindo o Pablo, que é o artilheiro do time. A gente sabe que ele está iluminado, está chutando e está entrando. Da mesma forma que fico feliz por ele, fico feliz pelos outros companheiros, como o Rony, que eu consegui dar um passe para ele. A gente que está entrando pouco sabe da necessidade de entrar e poder ajudar", pontuou.

Já na segunda etapa, o goleiro do Sport, Magrão, sentiu dores no braço e pediu para sair, mas a equipe já tinha feito as 3 alterações. Com isso, o meia Gabriel, ex-Flamengo, teve de atuar como goleiro. Bergson garantiu que a situação foi encarada com máximo respeito.

“Quando o Magrão saiu e o Gabriel entrou no gol, nosso time foi muito maduro, todos se olharam e falaram que tínhamos que respeitar o Sport. E a equipe se portou bem”, finalizou.

O Atlético-PR agora enfrenta o São Paulo, fora de casa, no próximo sábado (20), às 19h, de olho em uma vaga no G-7.

VAVEL Logo

Atlético PR Notícias

há 2 dias
há 2 dias
há 5 dias
há 10 dias
há 10 dias
há 12 dias
há 12 dias
há 12 dias
há 13 dias
há 13 dias
há 19 dias