Atlético-PR vence Bahia nos pênaltis e se classifica para as semifinais da Sul-Americana
Foto: MIguel Locatelli/Atlético Paranaense

O Atlético-PR não jogou tão bem quanto poderia, e chegou a perder a partida por 1 a 0, mas conseguiu levar para os pênaltis, por ter vencido pelo mesmo placar na Arena Fonte Nova, e venceu o Bahia pelas quartas de final da Copa Sul-Americana. O resultado no tempo normal quebrou a sequência de 12 vitórias seguidas do Furacão na Arena da Baixada.

O Bahia começou buscando o resultado, mas quem assustou primeiro foi o Atlético-PR. Logo aos 8 minutos, Pablo cobrou falta para boa defesa de Douglas. Aos 16, o Tricolor respondeu bem. Zé Rafael roubou bola no ataque e a bola ficou com Júnior Brumado, que mandou para as redes do Furacão, mas o gol baiano foi anulado por falta de Zé Rafael no primeiro lance da jogada.

O decorrer do jogo mostrou um Bahia pilhado, mas errando bastante, o que afetou a produtividade ofensiva. Para completar, as reclamações dos baianos eram constantes. Enquanto isso, os Rubro-negros investiram nos contra-ataques, fazendo o jogo acelerar, aproveitando o que o gramado da Arena da Baixada proporciona.

Aos 32 minutos, Raphael Veiga cobrou falta à meia altura. Ninguém do Furacão conseguiu desviar, mas a bola passou perto da trave de Douglas. Cinco minutos depois, o Bahia assustou com jogada de Zé Rafael e finalização de Léo, para defesa de Santos. Já aos 40, Pablo puxou bom contra-ataque, e tocou para Marcelo Cirino, mas Lucas Fonseca conseguiu travar o chute e encerrar o avanço Rubro-negro.

Ainda deu tempo de o Bahia sair à frente no placar na primeira etapa. Já nos acréscimos, Léo cobrou lateral direto para a área atleticana. Nilton conseguiu o desvio e Douglas Grolli completou para o gol. Com o placar, o Tricolor de Aço levava o jogo para os pênaltis.

O placar não refletiu o que foi a etapa inicial da partida, já que o Atlético-PR criou e ameaçou mais o Tricolor de Aço, que errou muito na transição ofensiva e se mostrou muito agitado em campo, cometendo várias faltas e levando cartões.

A postura Rubro-negra se manteve na segunda etapa, mas os paranaenses encontraram mais resistência do Bahia no campo ofensivo. Se no primeiro tempo o Tricolor ousou até pressões altas, no segundo tempo as linhas recuaram, dando espaço para o Furacão trocar passes menos objetivos e com mais paciência para construir jogadas ofensivas.

Sem conseguir grandes chances, o Atlético-PR chegou apenas aos 19, com chute de fora da área de Raphael Veiga, para defesa de Douglas. Poucos minutos depois, Cirino escorou de cabeça para Pablo finalizar, mas a bola passou longe. As chances para o Furacão continuaram escassas, enquanto o drama do jogo aumentou. Mesmo os lances de bola parada não foram suficientes para fazer os atleticanos empatarem o placar.

Com o empate no placar agregado, o jogo foi mesmo para a cobrança das penalidades. Vinícius e Zé Rafael perderam para o Bahia, enquanto o Atlético-PR conseguiu converter todas as suas cobranças e sacramentou a classificação, com o 4 a 1 nos pênaltis.

Pelas semifinais da Copa Sul-Americana, o Atlético-PR enfrenta o Fluminense, que se classificou ao vencer o Nacional-URU, em Montevidéu.

VAVEL Logo