Sánchez festeja boa fase no Santos  e fala sobre Seleção: ''É um prêmio para todos''
Foto: Ivan Storti/ Santos Futebol Clube

Na tarde desta quarta-feira (31), o volante Carlos Sánchez deu entrevista coletiva, no CT Rei Pelé, e falou sobre o próximo compromisso do Santos, que é o clássico diante do Palmeiras, no sábado (3), às 19h (de Brasília), no Allianz Parque, em partida válida pela 32ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro. A partida será o primeiro encontro entre o jogador e o Verdão, equipe que tentou atravessar o negócio entre o camisa 7 com o Peixe.

Para Sánchez, o jogo não desperta nenhuma motivação especial para o jogador.

"É indiferente. Nunca tive contato com ninguém para saber se eu iria para lá. Foram só rumores. É uma partida especial, um clássico, e tem que levar a semana com tranquilidade para fazer um grande jogo”, comentou o camisa 7.

"É uma grande motivação jogar contra o líder, cada semana se trabalha da mesma forma, com intensidade, sabemos que vivemos um grande momento e desfrutamos. No sábado, é concentração total no objetivo que é triunfar", completou.

Porém, antes do clássico contra o Santos, o time comandado por Felipão tem um compromisso nesta quarta-feira (31), diante do Boca Juniors, em jogo de volta da semifinal da Copa Libertadores. Sánchez, como ex-jogador do River Plate, vibrou com a classificação da sua ex equipe na noite da última terça-feira (30), contra o Grêmio, e garantiu que não irá torcer para o Palmeiras e nem para o time da Bambonera.

Não vou torcer por nenhum dos times. Torci ontem porque o meu irmão (Nicolás de La Cruz) joga no River Plate e há um carinho enorme pela instituição. Hoje não tenho nada a ver", disse o uruguaio.

Sánchez está na pré-lista da seleção uruguaia para os amistosos contra o Brasil e a França, nos dias 16 e 20 de novembro e pode desfalcar o Santos no Brasileirão por três rodadas. O clube paulista, assim como já fez em outra oportunidade tentará a liberação do atleta.

"Complicado, pois não depende de mim. Seleção é um prêmio para todos, não é menos importante ficar na equipe, é muito importante tudo. Se estou convocado e confirmado, seria um prêmio, vou. E se fico, faço o que venho fazendo, pensando na equipe", disse Carlos Sánchez.

"Seleção é algo lindo, poder estar lá de novo, mas não tenho confirmado nada e estou só pensando em trabalhar aqui, ajudar nos jogos. Sempre pensamos no presente, treinar e verei como será a convocatória", completou o camisa 7.

VAVEL Logo