Em viés de baixa, Vila Nova recebe Figueirense querendo deixar para trás pior derrota do ano
Foto: Vinícius Nunes/Figueirense FC 

Em viés de baixa, Vila Nova recebe Figueirense querendo deixar para trás pior derrota do ano

Goleada sofrida contra Brasil de Pelotas colocou em xeque a permanência do técnico Hemerson Maria para 2019; Colorado ainda possui chances de subir, enquanto Alvinegro joga 'pela honra'

gustavomilioli
Gustavo Milioli

Vila Nova e Figueirense têm encontro marcado na noite desta sexta-feira (9), pela 36ª rodada da Série B, na capital goiana. Os mandantes ocupam a oitava colocação, enquanto os visitantes aparecem na 11ª.

O Vila, ainda que com remota possibilidade de acesso, já aparece com um discurso de aceitação. Então melhor defesa da competição, a equipe comandada por Hemerson Maria sofreu em Pelotas sua pior goleada no ano, que praticamente pôs fim ao sonho da Série A. O Figueira, já assegurado na Segundona, faz da reta final de campeonato um período de testes para melhor planejar 2019. Depois de um início animador, o Alvinegro ficou pelo caminho e mais uma vez adiou seu retorno à elite.

Sem alimentar expectativas

Vindo de duas derrotas e um empate nas três últimas rodadas, o Tigre acabou perdendo contato com o G-4 e agora está com cinco pontos de desvantagem para o quarto colocado. O presidente do clube, Ecival Martins, foi direto ao falar sobre a situação após a derrota de 5 a 0 para o Brasil de Pelotas, no Sul do país.

"Eu não vou mentir para o torcedor. Matematicamente ainda é possível, mas, neste momento, eu não vou ficar alimentando uma situação. Se eles (jogadores) tiverem atitude para fazerem três bons jogos e contarem com a sorte ou um milagre, é possível. Do contrário... Se jogarem como jogaram em Pelotas, é impossível", afirmou o mandatário.

Ecival evitou comentar sobre o futuro de Hemerson Maria, que tem contrato em vigor até o final deste ano. O cartola não quis fazer críticas, mas também não bancou sua permanência para o terceiro ano à frente do comando técnico do Colorado.

'Jogar pela honra' é o combustível para o Figueira

No meio da tabela e sem qualquer chance de acesso ou descenso, o Figueirense busca encerrar seu ano com dignidade. Para as rodadas finais, jovens jogadores que não tiveram tantas chances em outros momentos querem agarrar a oportunidade para continuar no clube. É o caso do zagueiro Henrique Trevisan, de 21 anos, revelado nas categorias de base do Alvinegro.

"É importante, mais um jogo como qualquer outro. Temos três jogos para terminar o ano bem, vamos fazer um grande jogo em Goiânia, buscar a vitória, jogar pela nossa honra. Estou feliz pelo momento de estar jogando, atuando nas últimas partidas. Todo jogador quer jogar e eu também quero aproveitar as oportunidades que estou tendo", disse o defensor.

Quem também está aproveitando é o goleiro Vitor Caetano. O atleta de 19 anos pôs o experiente Dênis no banco e nas duas partidas que jogou até agora não foi vazado, com dois empates em 0 a 0. Contra o Guarani, inclusive, o arqueiro teve atuação destacada para garantir a manutenção do placar. Desempenho que começa a atrair olhares de fora em torno da promessa.

"(O Vitor Caetano) está mostrando a cara, um jogador que nos dá tranquilidade, nos momentos que é exigido e tem sido importante. Está sendo monitorado pela seleção brasileira pelas partidas que tem feito. É esse o trabalho do Figueirense, sempre foi formador, tem que apostar na base até pelo orçamento, não temos como competir em um mercado inflacionado", destacou o treinador Rogério Micale.

VAVEL Logo

Figueirense FC Notícias

há 8 dias
há 12 dias
há 15 dias
há 19 dias
há 25 dias
há 25 dias
há um mês
há um mês
há um mês
há 2 meses